Mosquitos em trilhas e viagens? Saiba como se prevenir de picadas

Por redação

picadas de mosquitos
Além dos repelentes tradicionais, existem outras formas de evitar e amenizar os incômodos causados por picadas de mosquitos - Foto: shutterstock

Sabe quando você está num lugar incrível, com cenário paradisíaco e muita natureza, mas as picadas de mosquitos estragam tudo e te fazem pensar que você está vivendo um pesadelo?

+ O que não fazer na primeira vez que você for acampar

+ Trilha Minha Deusa: o percurso do Uphill e Hike & Fly no Rocky Mountain Games Atibaia

+ Treinar em jejum pode fazer mal para minha performance?

Pois é. Um dos pontos negativos mais chatos de viagens e trilhas de inúmeros lugares é ter que lidar com as picadas de mosquitos. Por isso, encontrar medidas efetivas para minimizar esse incômodo pode ser a melhor saída para o problema – principalmente para aqueles que são alérgicos e sofrem ainda mais.

Pensando nisso, preparamos uma lista para ajudar a evitar picadas tanto de pernilongos, quanto de borrachudos em trilhas e em viagens:

Barreira física

Pode parecer chato, mas o uso de calça comprida e meias mais altas é uma das soluções mais eficientes para não levar picadas durante o dia. Se estiver calor, o ideal é optar por tecidos leves e respiráveis, isso porque, dependendo do lugar, a coceira das picadas pode incomodar mais do que o calor. Isso, sem contar que você fica menos exposto aos perigos de picadas de aranhas, por exemplo.

Repelentes tradicionais

Essa é óbvia. Mas quando for viajar ou fazer trilhas, certifique-se primeiro se aquele local é famoso por ter muitos insetos e sempre leve um repelente na mochila. Os repelentes industrializados geralmente são feitos a base de 3 princípios ativos: Icaridina e DEET e IR3535. O Icaridina é conhecido como sendo o mais potente, porém mais caro, já o IR3535 não é tóxico para organismos aquáticos, como peixes, algas, e não se acumula no meio ambiente. Portanto, é mais indicado para usar quando você for para lagos, cachoeiras e rios. Atenção! Repelente a base de DEET é contra-indicado para crianças abaixo de 2 anos e grávidas.

Para dormir, ventilador ou mosquiteiro

O que faz o mosquito querer picar o ser humano é o cheiro das substâncias que o corpo exala. Isto é, o ventilador não espanta o mosquito por conta do vento, mas sim por espalhar esse cheiro e ‘confundir’ o inseto. Se estiver, frio, invista em um mosquiteiro ou certifique-se que a sua cama terá um.

Óleos essenciais

Óleos essenciais puros causam irritação ao entrar em contato diretamente com a pele. Por isso, é fundamental sempre diluí-los em algum óleo carreador, como jojoba, amêndoa, argan ou coco. É recomendável usar uma mistura formada por cerca de 10% de óleo essencial para 90% de óleo carreador. A opção mais popular para afastar os mosquitos é o óleo de citronela. Já para aliviar coceira, é o eucalipto, devido a sua propriedade refrescante e anti-inflamatórias. Lavanda, melaleuca, hortelã-pimenta, manjeiricão e camomila também ajudam a aliviar o inchaço e a coceira das picadas. Enquanto isso, o cheiro intenso dos óleos de alecrim e hamamélis também evitam a chegada do mosquito.

Foi muito picado? Veja métodos naturais para aliviar a coceira

Picadas de mosquitos e borrachudos causam irritação, então se você não for muito alérgico, basta esperar a coceira passar em no máximo 2 dias. Mas algumas pessoas ficam com vermelhões anormais e muito mais inchadas e, dependendo da gravidade, podem até precisar ir para o hospital.

Se você quiser recorrer a tratamentos naturais que podem ser eficazes em casos não graves, faça compressas de camomila na pele ou esfregue a parte interna da casca de banana na área que foi picada (ela é eficiente para estancar sangramentos e ajudar na cicatrização de feridas). Além disso, o manjericão também é um grande aliado natural contra esse tipo de incômodo. Amasse as folhas e pegue o óleo extraído, rico em cânfora e timol – duas propriedades usadas para aliviar coceira – e passe nas picadas.

-Publicidade-