Um jovem grego chamado Kleon Papadimitriou, de 20 anos de idade, estava “preso” na Escócia, onde estuda. Ele desejava regressar a Atenas quando os voos foram cancelados devido à pandemia de Covid-19. O estudante viu três dos seus voos cancelados e decidiu se aventurar com uma bicicleta pelas estradas e viajar até chegar em casa.

O estudante grego demorou 48 dias e pedalou 3.500 km para regressar a Atenas. No início, a ideia de viajar de bike era somente a “miragem de um sonho”. Mas, rapidamente começou a comprar equipamentos que lhe permitisse viajar e acabou por partilhar a ideia com os pais que concordaram, na esperança de que fosse apenas uma ideia que seria facilmente descartada pelo próprio.

A única condição imposta pelo pai foi que ambos instalassem um aplicativos que lhes permitissem saber do paradeiro do jovem.

+ Sem voos, homem navega através do Atlântico para estar com os pais
+ Bikepacking: tudo o que você precisa saber para viajar de bike

No dia 10 de maio, com todo o equipamento à disposição, incluindo pão, manteiga de amendoim, sardinhas em lata, saco de dormir, barraca e claro, bicicleta, Kleon partiu.

O jovem grego contou à CNN que pedalava, todos os dias, entre 55 a 120 quilômetros. O estudante atravessou Inglaterra, Holanda e Alemanha, a que se seguiu Áustria e Itália. De lá, ele pegou um barco para o porto grego de Patras, voltando novamente a pedalar até ao seu bairro em Atenas.

Kleon passou as noites acampando. Contudo, ao longo das semanas, várias pessoas souberam de sua aventura e lhe ofereceram abrigo e até mesmo comida.

“Sendo uma pessoa relativamente introvertida, fui forçado a sair da minha zona de conforto no sentido em que se não fizesse certas coisas, não teria um lugar para ficar, não teria água”, disse o jovem à CNN.

No dia 27 de junho Kleon chegou a casa. “Foi muito emocionante. Vindo de uma família de dois pais que eram muito aventureiros quando jovens, me assistir seguindo os passos deles, eu acredito que seja algo muito emocionante para eles e, obviamente, me traz muito significado. Mas acredito que, acima de tudo, eles se sentiram aliviados.”