Montanhista encontra joias 50 anos após queda de avião e leva R$ 960 mil

Por Redação

Montanhista encontra joias 50 anos após queda de avião | Go Outside
Um avião colidiu com o Mont Blanc em 1966 e alpinistas têm encontrado destroços, bagagens e restos mortais no local desde então - Foto: Shutterstock

Oito anos após encontrar joias enterradas em uma geleira ao largo do Mont Blanc, na França, um montanhista foi presenteado com parte das esmeraldas, rubis e safiras – que foram parar no local após a queda de um avião cerca de 50 anos antes.

+ Ossos de esquiador desaparecido em 1983 são encontrados em montanha

O montanhista encontrou as pedras preciosas em uma caixa de metal, que estava a bordo de um avião indiano, em 2013. Agora, o “tesouro” foi dividido entre o rapaz e as autoridades locais. As informações são do Guardian.

“As pedras foram compartilhadas esta semana” em dois lotes iguais avaliados em cerca de € 150.000 (cerca de R$ 963.000) cada, disse o prefeito de Chamonix, Eric Fournier.

Fournier disse ter ficado “muito feliz” com a conclusão do assunto. Ele ainda elogiou o montanhista por sua “integridade” em entregar sua descoberta à polícia, conforme exigido por lei.

Depois de ser informado que receberia algumas das joias no início deste ano, o alpinista disse ao jornal Le Parisien que não “se arrependia de ter sido honesto” e que usaria parte do dinheiro para reformar seu apartamento.

Acidente no Mont Blanc

Dois aviões da Air India colidiram com o Mont Blanc em 1950 e em 1966. Ao longo dos anos, alpinistas encontraram destroços, bagagens e restos mortais das duas aeronaves.

+ Avião voa fora de controle por horas na Rússia e causa pânico entre passageiros

Autoridades acreditam que as joias são provavelmente da queda do avião de 1966, ainda de acordo com o Guardian. O Boeing 707 ia de Mumbai para Nova York e caiu na face sudoeste do Mont Blanc em 24 de janeiro de 1966, matando 117 pessoas, incluindo o pioneiro do programa nuclear da Índia, Homi Jehangir Bhabha.

Em setembro de 2012, a Índia tomou posse de uma bolsa de correspondência diplomática que estava no voo.