Italo Ferreira fica com o vice-campeonato na etapa do Mundial da WSL no Surf Ranch

Por Redação

Italo Ferreira ganhou o duelo brasileiro com João Chianca nas quartas de final. Foto: @WSL / Pat Nolan.

No último domingo (28), na piscina de ondas de Kelly Slater, na Califórnia, o surfista brasileiro Italo Ferreira conquistou o segundo lugar na etapa do Surf Ranch. Ele perdeu a final para o Griffin Colapinto (EUA) em uma disputa acirrada, com placar final de 17,77 a 17,13 em favor do norte-americano.

Com esse resultado, o surfista norte-americano assume a liderança do CT, seguido por João Chianca e Filipe Toledo. Esta foi a primeira vitória de Colapinto nesta temporada, após ter sido vice-campeão em duas ocasiões anteriores.

Veja também
+ Gabriel Medina questiona critérios de avaliação da WSL
+ Primoz Roglic conquista o Giro d’Italia 2023
+ Desafio pela preservação dos oceanos contribui com o Projeto Ondas
Griffin Colapinto quebra invencibilidade do Brasil no Surf Ranch. Foto: @WSL / Aaron Hughes.

A final teve um excelente desempenho inicial de Griffin Colapinto, que obteve pontuações de 7,83 e 8,70 em suas primeiras ondas, uma direita e uma esquerda, respectivamente. Italo Ferreira respondeu prontamente com sua primeira direita, realizando manobras poderosas com batidas fortes na crista, um tubo longo e espetacular, finalizando com uma rotação completa e alcançando uma pontuação de 8,13.

Ferreira teve um desempenho ainda melhor em sua segunda esquerda, atacando a parede com ainda mais intensidade e obtendo uma pontuação de 8,70, totalizando 16,83 na primeira rodada. Colapinto precisava de 8,13 para virar o jogo na direita e, além de uma boa onda, executou um aéreo completo, recebendo uma pontuação de 9,07. Ele ainda tentou aumentar seu somatório na esquerda, mas caiu, e Italo Ferreira passou a precisar de 9,07 para virar o placar.

Em sua segunda direita, Ferreira mostrou um desempenho espetacular, atacando a crista da onda com força, realizando manobras perfeitas e um tubo longo e profundo. Os juízes concederam uma pontuação de 8,43, e com isso, Ferreira precisava fazer 9,34 na esquerda para conquistar o título. Pressionado, ele cometeu um erro e o título ficou com Griffin Colapinto.

Gabriel Medina é eliminado no desempate por Ethan Ewing. Foto: Pat Nolan/World Surf League.

Mesmo surfando muito, Gabriel Medina, na opinião dos juízes, não foi melhor que Etan Ewing (AUS) nas quartas. Foto: Aaron Hughes/World Surf League)
Dos surfistas brasileiros que se classificaram para competir no domingo, Yago Dora foi eliminado por Griffin Colapinto, Gabriel Medina perdeu para Etan Ewing (AUS) e João Chianca foi derrotado por Italo Ferreira, todos nas quartas de final. Após vencer Leonardo Fioravanti (ITA) nessa mesma fase, Filipe Toledo foi derrotado pelo campeão Griffin Colapinto na semifinal.

Disputa feminina

Na final feminina, Caroline Marks (EUA) começou mal na direita, mas se recuperou na esquerda, onde obteve uma pontuação de 7,50 na primeira rodada. No entanto, ela viu sua vida se complicar ao presenciar a excelente performance de Carissa Moore (HAV) em sua primeira direita, com destaque para um tubo espetacular, que recebeu uma pontuação de 8,60, e somou 7,93 na esquerda.

Carissa Moore volta a ocupar o primeiro lugar no ranking do CT. Foto: @WSL / Aaron Hughes.

Marks respondeu com uma pontuação de 7,93 na direita, e um 8,60 ou mais lhe daria a liderança, com ainda duas ondas restantes para a adversária. No entanto, ela não conseguiu completar a segunda esquerda, o que permitiu que Carissa comemorasse o título sem precisar entrar na água novamente.

Tatiana Weston-Webb, após uma vitória na estreia em Surf Ranch, não teve a mesma sorte neste domingo. Enfrentando a havaiana Carissa Moore na semifinal, a brasileira perdeu por 18,00 a 14,77, ficando em terceiro lugar na competição. Com os pontos conquistados na Califórnia, Tatiana subiu da sétima para a sexta colocação, uma posição abaixo da zona de classificação para o WSL Finals.







Acompanhe o Rocky Mountain Games Pedra Grande 2024 ao vivo