Isaquias Queiroz leva prata e chega a sua 5ª medalha em Jogos Pan-Americanos

Isaquias Queiroz leva prata e chega a sua 5ª medalha em Jogos Pan-Americanos
Foto: William Lucas/COB

Isaquias Queiroz adicionou mais uma medalha ao seu vasto currículo de conquistas, levando o ouro na canoagem velocidade C1 1000m neste sábado (4) de Jogos Pan-Americanos. Esse é o quinto pódio do brasileiro na história da competição e o terceiro consecutivo na prova mais longa da canoagem velocidade.

+ Com dupla da nova geração, Brasil é prata na canoagem velocidade do Pan de Santiago
+ Surfe: Tatiana Weston-Webb é ouro nos Jogos Pan-Americanos 2023

Isaquias completa agora três ciclos entre os melhores do continente e do mundo no C1 1000m, categoria que lhe rendeu as maiores glórias de sua carreira, como o ouro em Tóquio 2020, a prata no Rio 2016, além de título mundial em 2019.

Isaquias Queiroz no Pan de Santiago

Na disputa final do Pan neste sábado, que aconteceu na Gran Laguna de San Pedro de la Paz, sub-sede do evento, Isaquias fez o tempo de 3min54s05. A primeira colocação ficou com o cubano José Ramon Cordoba, com o tempo de 3min54s69. Já o canadense Connor Fitzpatrick cruzou a linha de chegada em terceiro, com 3min55s13.

Isaquias chegou ao Pan de 2023 em busca do tricampeonato do C1 1000m, única prova que participou na competição. O brasileiro fez questão de disputar o evento, no entanto, já em fim de temporada, revelou que seu foco principal está na preparação para os Jogos Olímpicos de Paris.

“Fico feliz com a medalha de prata dentro do que a gente treinou. Tive um descanso depois do Mundial e apenas um mês de treinamentos para o Pan. Para mim foi bem difícil. Tentei descansar no meio da prova, o canadense veio pra cima e eu ainda tinha um pouco de gás pra subir. Às vezes a derrota é bom para a gente sentir mais vontade de treinar. Então agora é treinar pesado para chegar em Paris em forma”, afirmou.

Aos 29 anos, os Jogos Pan-americanos de Santiago possivelmente serão os últimos da carreira de Isaquias. Em San Pedro de la Paz ele teve pela primeira vez o filho Sebastian o acompanhando em uma competição internacional.

“O futuro ninguém sabe, mas talvez esses podem ser meus últimos Jogos Pan-americanos. Então, fico feliz de estar aqui. Queria sair com o ouro, mas nem sempre a gente ganha. O C1 1000m é uma prova pesada, desgastante. Por ser o campeão tem que mostrar resultado, mas eu fico feliz por tudo que construí na minha carreira”, agradeceu Isaquias, que ainda elogiou a nova geração da canoagem representada no Pan pelos também medalhistas de prata no C2 500m, Evandilson Neto e Filipe Vieira.

Final do K1 1000m

Ainda neste sábado, o Brasil participou da final do K1 1000m com Roberto Maheler, que ficou na sétima colocação. O atleta de 38 anos disputou seus quartos Jogos Pan-americanos e pela primeira vez chegou na final desta prova.

“A gente vem com a perspectiva de ser finalista, atingimos o objetivo, mas infelizmente fiquei preso no partidor na largada e isso comprometeu a prova. De toda forma, fiquei satisfeito com o trabalho. A gente vem treinando a dupla (K2 500m) com o Heuer e tive me adaptar ao K1. Então, agora é voltar ao Brasil e dar continuidade ao trabalho porque temos um pré-olímpico pela frente”, afirmou Roberto, prata no K4 1000m nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015.







Acompanhe o Rocky Mountain Games Pedra Grande 2024 ao vivo