Há dois tipos de insolação: a clássica e a por esforço. A primeira atinge pessoas muito jovens, idosas, com excesso de peso e que sofrem de doenças crônicas como diabetes descontrolada, hipertensão ou doença cardiovascular. O álcool e certos medicamentos (diuréticos, antidepressivos tricíclicos, antipsicóticos e alguns remédios para resfriado e alergia) podem aumentar a predisposição. A insolação clássica é capaz de atingir pessoas na calma de apartamentos sem ar-condicionado.

+ O acontece com o corpo durante uma ultramaratona
+ Os benefícios surpreendentes do treinamento no calor

A insolação por esforço, por outro lado, ataca os jovens e pessoas em forma. O exercício acelera drasticamente o aumento da temperatura. Corredores de maratona, ciclistas e outros atletas às vezes se expõe a um estado chamado de hipertermia induzida pelo exercício, em que a temperatura interna pode variar de 37,8oC a 40oC. Em geral, não há danos permanentes, mas a resposta fisiológica fica mais dramática e as complicações, mais profundas. Contudo uma temperatura mais alta pode desencadear uma série de eventos desastrosos, já que o metabolismo funciona tão rápido e esquenta tanto que o corpo perde o controle do resfriamento, levando à falência de órgãos, danos cerebrais e morte.

Mortes por insolação por esforço

Uma das três principais causas de morte entre jovens atletas são insolações. Segundo uma pesquisa realizada pelo programa da HBO Real Sports with Bryant Gumbel, desde o ano de 2000 pelo menos 30 jogadores universitários de futebol americano morreram de insolação durante os treinos, mesmo tendo à disposição métodos tão simples como submergir o corpo superaquecido em água com gelo. Korey Stringer, atacante do Minnesota Vikings, morreu de insolação durante um treino pré temporada em 2001.

Corredores, ciclistas e caminhantes sucumbem rotineiramente à insolação. Mas, se aclimatado, treinado e controlado, o corpo humano pode resistir a episódios extenuantes em altas temperaturas, como a ultramaratona Badwater – uma corrida de 217 km na Califórnia (EUA) que começa no Vale da Morte, atravessa três cordilheiras de montanhas e termina no Monte Whitney – e a Maratona de Sables, no Saara, com seis dias de duração.

No entanto especialistas dizem que, devido aos ritmos mais intensos de percursos mais curtos, a insolação tem sido comum em corridas com duração entre 30 e 90 minutos. Três anos atrás, na Falmouth Road Race, uma prova anual de corrida de 12 km que acontece todo mês de agosto em Massachusetts (EUA), 48 dos mais de 10.000 participantes que completaram o percurso sofreram insolação, e outros 55 apresentaram exaustão pelo calor (todos sobreviveram sem problemas devido à ampla quantidade de mecanismos de resfriamento disponíveis na chegada da prova).

De fato a insolação por esforço causa danos devastadores, mas também pode ser tratada rapidamente

“É crucial para a recuperação de uma pessoa o número de minutos que ela passa com uma temperatura superior a 40,5oC”, diz Douglas Casa, CEO do Instituto Korey Stringer, da Universidade de Connecticut, que se chama assim em homenagem a um atleta que morreu de insolação durante um training camp em agosto de 2001. Sobreviver é bastante provável se a temperatura do core abaixar para 40oC dentro de 30 minutos. Aqui, algumas dicas de Douglas:

#1 Evite exercitar em dias quentes

Evite fazer exercício em altas temperaturas ou escolha momentos do dia menos quentes e fique na sombra. Se for se exercitar no calor, use roupas claras, soltas e leves e se aclimate às condições aumentando gradativamente o tempo de treino ao longo de 7 a 14 dias.

#2 Hidrate-se

Quanta água beber é tema de debate. Para atletas recreativos, Douglas recomenda se hidratar de acordo com a sede. Atletas de endurance de alto nível devem levar outros fatores em consideração, como a taxa de suor. Evite bebidas alcoólicas antes e durante atividades extenuantes.

#3 Não ignore os sintomas

Os sintomas da insolação variam. Muitas vítimas permanecem conscientes, e algumas têm convulsões ou vômito e outras não. Suspeite de insolação se uma pessoa já não puder aguentar o próprio peso, falar de forma irracional ou estiver muito irritada ou confusa.

#4 Resfrie

“Resfrie primeiro, depois transporte” é o conceito de como agir em casos de insolação. Com meros minutos para agir, uma vítima deve ser resfriada antes de ser levada ao pronto-socorro. Imergir o corpo em um banho frio abaixa a temperatura o mais rápido possível, reduzindo aproximadamente 0,5oC a cada três minutos se a água estiver circulando.

Uma insolação por esforço em regiões isoladas apresenta desafios adicionais. Qualquer coisa que resfrie a vítima é útil, mas as melhores opções são imergi-la em um lago, rio ou córrego ou envolvê-la com tecido molhado com água gelada. É importante resfriar a maior superfície do corpo possível. Se não houver água fria, procure uma sombra, molhe as roupas da pessoa com sua garrafa de água e a abane.