Estou grávida, posso andar de bicicleta?

estou gravida posso andar de bicicleta
Imagem: Shutterstock

“Estou grávida, posso andar de bicicleta?” São muitas as dúvidas do que pode ou não pode durante a gravidez. Quem ama pedalar pode ficar triste com a ideia de fazer uma pausa muito longa. A boa notícia é que em uma gravidez saudável e sem riscos, é possível pedalar praticamente até o parto. Claro que podem ser necessárias algumas adaptações, como mudar o tipo de percursos e deixar de lado um pouco alguns pedais mais extremos.

>> Siga a Go Outside no Instagram

Mesmo a Sociedade Americana de Obstetrícia e Ginecologia não veta pedalar durante a gravidez (andar a cavalo, esquiar e outras atividades de alto risco sim). Eles observam que mountain bike pode ser mais arriscado, e que pedalar numa ergométrica é mais seguro que na rua por causa da mudança no centro de gravidade pela qual nosso corpo passa.

Mas a orientação dos ginecologistas e obstetras é, antes de mais nada, manter o bom senso. Quem já é ciclista, está bem acostumada e confortável na bike pode continuar pedalando.

+ Que esportes posso praticar na gravidez?
+ 15 melhores nutrientes e vitaminas para a mulher
Só preste atenção em como você se sente depois do primeiro trimestre. Podem acontecer algumas mudanças no equilíbrio por causa da mudança no centro de gravidade. Neste caso, é melhor não subir na bike. 

Em todo caso, não importa qual sua decisão, alguém irá criticar. Se você gostaria de continuar andando de bicicleta, veja nossas dicas para fazer isso com segurança para você e seu bebê. Não se esqueça que cada gravidez é diferente, então não deixe de falar com seu médico. Algumas gravidezes são de risco e várias atividades devem ser restritas, inclusive pedalar.

Estou grávida, posso andar de bicicleta?

Moderação

O conselho geral sobre quanto exercício fazer depende de quanto você já fazia antes de ficar grávida. Para uma Ironman, um pedal de duas horas é algo que ela faz antes do café. Para quem está começando, pode ser o maior pedal que a pessoa já fez na vida.

Fique dentro de sua zona de conforto; não é hora de quebrar recordes e forçar seus limites. Os médicos não estabelecem mais zonas cardíacas recomendadas (o teto antigamente era 140), mas recomendam a percepção de esforço moderada, como conseguir conversar enquanto pedala. 

Cada trimestre é diferente

Em geral, o primeiro trimestre é uma avalanche de hormônios. Isso porque seu corpo está trabalhando dobrado para firmar a gravidez e criar a placenta, e você pode se sentir mais cansada, ter enjoos matinais, e aquela sensação de “não me sinto eu mesma”. Ou você pode estar se sentindo ótima. Use a cabeça e avalie como se sente.

Geralmente o mal estar matinal alivia no segundo trimestre e sua energia volta ao normal. Pode ser a melhor fase para pedalar. Mas pode acontecer ao mesmo tempo em que a barriga começa a ficar saliente. Aí vai de cada uma.

No terceiro trimestre, o peso e a barriga podem incomodar. Vá sentido o que funciona para você. Talvez seja uma opção interessante usar uma ergométrica ou um rolo de treino fixo, para ter mais estabilidade, conforto e segurança, sem precisar deixar de pedalar. 

Relaxe e curta 

Não é preciso dizer que quanto maior sua barriga, mais devagar você tende a ir. E que fica mais difícil respirar profundamente. Tem uma pessoinha crescendo dentro de você, e puxando um pouco daquela energia que você injeta no pedal. Seu giro de sempre vai começar a parecer mais longo. Se precisar, encurte o treino e evite subidas muito fortes.

Você vai ficar maior e mais pesada, o que impacta sua forma de pedalar. Você vai precisar de mais tempo para acelerar e parar; pode ser ser mais delicado fazer curvas. Nos últimos meses, ciclovias, estradas tranquilas e acostamentos seguros podem ser os melhores lugares para girar.

Ajuste o bike fit

Conforme ficar mais difícil se apoiar no guidão, você pode precisar fazer alguns ajustes para ficar confortável no selim. Subir um pouco o guidão pode ajudar ao deixar você numa posição mais ereta. Mas lembre-se que talvez isso implique em colocar um selim mais largo também, feito para dar o melhor apoio numa posição mais vertical. Talvez você precise também de um bretelle maior ou um short com forro para suas roupas de passear na bike preferidas.

Hidrate e se alimente

Não subestime suas necessidades energéticas. Um giro ao qual você está super acostumada pode ser muito mais desafiador para o corpo da gestante. Afinal, boa parte da energia consumida está sendo direcionada para um novo ser humano em formação, certo? Por isso, levar comida a mais é uma excelente ideia, ou mesmo programar seu pedal para sua padaria ou cafeteria preferida e reabastecer por lá.

Hidratação é mais importante ainda quando você está grávida. Você precisa de mais água para seu corpo desempenhar as mesmas funções e além disso as funções relacionadas à gravidez. É mais fácil superaquecer grávida porque sua taxa metabólica está mais alta e seu corpo não consegue se resfriar tão fácil. Leve o dobro de fluido que está acostumada e não pedale no calor forte. Isso significa que você pode precisar parar mais para fazer xixi  porque a bexiga fica comprimida pela expansão do útero, então já programe estas paradas.