Arqueólogos acreditam que a esfinge é da dinastia ptolomaica

Arqueólogos egípcios anunciaram a descoberta de uma esfinge de arenito após a drenagem de água do templo faraônico de Kom Ombo, na cidade de Aswan.

Segundo o Ministério de Antiguidades, a estátua de figura mítica, com a cabeça humana num corpo de leão, provavelmente é da dinastia ptolomaica, que governou o Egito de 305 aC até a conquista romana em 30 aC.

A esfinge foi descoberta enquanto a água subterrânea estava sendo drenada do templo – Foto: Ministry Of Antiquities

A esfinge mede cerca de 28cm de largura e 38cm de altura.

Dois relevos de arenito do rei Ptolomeu V também foram encontrados recentemente no templo.

O diretor-geral do departamento de antiguidades de Aswan, Abdul Moneim Saeed, disse em um comunicado que vai realizar mais estudos sobre a esfinge para descobrir o seu propósito.

A esfinge representava o poder real no Egito faraônico. A escultura combina a força física de um leão com o poder mundano de um rei.