Qual a diferença entre sinusite, gripe e rinite?

Por Redação

Qual a diferença entre sinusite, gripe e rinite? - Go Outside
Foto: Shutterstock

Com a chegada da frente fria, começam os sintomas de doenças respiratórias: nariz entupido e escorrendo, tosse e espirros. Com isso, muitas pessoas têm sempre a mesma dúvida: qual a diferença entre sinusite, gripe e rinite?

+ É indicado correr resfriado ou com gripe?
+ Como cuidar da saúde durante mudanças no tempo

As diferenças entre sinusite, gripe e rinite?

Dr. Eduardo Landini Lutaif Dolci, otorrinolaringologista da Clínica Dolci em São Paulo e professor da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, explica que as diferenças são poucas, porém perceptíveis, principalmente quando o caso é de gripe.

“A gripe é uma doença viral, ou seja, causada, na maioria das vezes, por um vírus chamado Influenza. Os sintomas podem ser: febre, dores no corpo, fraqueza, tosse, congestão nasal e falta de apetite. Sintomas típicos de um resfriado, contudo mais intensos”, explicou.

+ Posso curar minha gripe com vinagre de maçã?

Diferente da gripe, que também pode afetar a garganta e a laringe, a sinusite é uma inflamação que se restringe às vias nasais e aos seios perinasais, cavidades localizadas abaixo dos olhos e ao redor do nariz. Ela pode ser causada tanto por vírus, como por bactéria ou por alergia.

“Além da congestão nasal, a sinusite vem acompanhada de dor no rosto, principalmente nos seios da face, sensação de peso no rosto, dor na cabeça, mau hálito e perda do olfato. E, geralmente, a secreção nasal é amarelada ou esverdeada e a tosse piora durante a noite”, esclareceu o especialista.

A rinite, apesar de também afetar as vias nasais, tem origem e ação diferentes. Ela é uma condição alérgica que causa inflamação nas mucosas nasais quando algum agente externo é considerado um agressor do organismo. Nesses casos, micropartículas de poeira, ácaros, pólen, pelo de animais domésticos e até cheiros fortes, como de tinta fresca, podem ser os causadores da doença.

“O paciente que tem rinite, geralmente, já conhece sua condição e sabe o que provoca sua alergia. O que acontece é que no inverno o ar fica mais seco e as mucosas nasais também, com as partículas se espalhando mais facilmente, as chances de uma crise são bem maiores. Por isso, o ideal é manter uma ingestão de água adequada, e lavar e hidratar o nariz diariamente com soro fisiológico. Esse é o melhor preventivo para os alérgicos”, ressalta Eduardo Dolci.

Além dos espirros constantes, da congestão nasal e da coceira nos olhos, nariz e garganta, a rinite não vem acompanhada de febre e a coriza é transparente. O que a diferencia da sinusite.

Seja qual for a doença respiratória, os bons hábitos podem ser a melhor alternativa para fugir delas. O recomendado é lavar bem as mãos várias vezes durante o dia, evitar levar a mão à boca, ao nariz e aos olhos, manter uma boa hidratação, uma alimentação saudável e deixar os ambientes mais umidificados e arejados.

-Publicidade-