10 dicas de lugares para treinar de dia e curtir um friozinho à noite

Por Redação

Os cânions de Cambará do Sul (RS). Foto: shutterstock.

As baixas temperaturas podem afugentar muita gente dos prazeres da atividade física, mas aqui reunimos 10 dicas de lugares onde é possível treinar de dia e ainda curtir um friozinho à noite. Afinal, não é só porque os termômetros baixaram um pouco que você vai desistir de fazer o que gosta, né?!

Barra do Piraí (RJ)

Uma boa opção para quem está perto do Rio de Janeiro – são 120 quilômetros de distância –, Barra do Piraí fica numa antiga região do ciclo do café com diversos casarões, fazendas, senzalas e muita história. Em meio à Mata Atlântica, a cidade oferece diversas trilhas para trekking e bike para todos os níveis de condicionamento, com percursos de 25 minutos a até uma hora e meia de duração.

Teresópolis (RJ)

Foto: Shutterstock.

Teresópolis abriga a sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. A região é cercada de mata e pontuada por diversos picos como o Dedo de Deus e a Pedra do Sino. Além de ser repleta de cachoeiras e fontes de água mineral, oferece diversas opções de trekking e escalada. A travessia Teresópolis-Petrópolis é uma das trilhas mais bacanas do Brasil e tem 42 quilômetros.

+ 4 receitas fáceis de sopas para mandar o frio embora

Serra da Bocaina (RJ/SP)

Foto: Shutterstock.

Para interagir com a natureza do Parque Nacional da Serra da Bocaina, em Areias, no Rio de Janeiro, um trekking bacana até a Cachoeira dos Veados é a pedida. Prepare o calçado e a mochila com muita água e comida, pois leva o dia inteiro num percurso bem acidentado pela Mata Atlântica.

Santo Antônio do Pinhal (SP)

Foto: Shutterstock.

A cidade fica na Serra da Mantiqueira e é um dos centros do turismo ecológico da região e uma opção para quem não curte a multidão que invade Campos do Jordão nessa época do ano. Se você não liga muito pro frio, um voo de asa delta saindo do Pico Agudo é um ótimo pedido para olhar o Vale do Paraíba lá do alto. Se não, Santo Antônio do Pinhal tem inúmeras trilhas que fazem a alegria de qualquer mountain biker.

+ Pedalar no frio: como se vestir em camadas

Paranapiacaba (SP)

Foto: Shutterstock.

“Lugar de onde se vê o mar”. Esse é o significado em tupi guarani do nome dessa vila fundada ainda no século 19. A neblina típica do inverno, a ferrovia que compõe a paisagem e a arquitetura inglesa dão um ar londrino e um charme todo especial ao local que está a apenas 60 quilômetros da capital paulista. Cercada pela Mata Atlântica, Paranapiacaba possui inúmeras trilhas com nascentes, cachoeiras e mirantes, e níveis variados de dificuldade. A mais longa delas leva à base da Serra do Mar em Cubatão. As estradinhas de terra ao redor são uma ótima opção para um pedal de nível médio. Depois do treino, aproveite a sossego local.

Santana de Parnaíba (SP)

Foto: Shutterstock.

Muito próxima a São Paulo, Santana de Paranaíba é uma ótima opção para uma escapada rápida do caos urbano. A cidade tem um centro que funciona como palco para eventos culturais e turísticos, e guarda importantes imóveis do período colonial. É dela que parte o Caminho do Sol, um roteiro que pode ser feito de bike ou trekking, de 240 quilômetros, percorrendo 12 cidades do interior, até chegar a Águas de São Pedro. Entre Santana de Parnaíba e Aldeia da Serra, você pode percorrer estradas de asfalto e terra com variações de altitude e terreno perfeitos para um treino de fim de semana.

+ Guia Hardcore: fazendo a primeira surf trip solo

Gonçalves (MG)

Foto: Shutterstock.

No alto da Serra da Mantiqueira, Gonçalves, entre as conhecidas cidades de Campos do Jordão e Monte Verde, em São Paulo, dá a opção de explorar diversas trilhas e cachoeiras, à pé ou de bicicleta. Para descansar e se proteger do friozinho da montanha, a Pousada Serra Vista oferece chalés confortáveis e estilosos com lareira, varanda com rede, hidromassagem e uma caminha quentinha.

Rio do Rastro (SC)

Foto: Shutterstock.

Essa cidadezinha fica a 1.500 metros de altitude numa serra que leva seu nome. As curvas da estrada são literalmente “cotovelos” e é importante ficar muito atento na direção e, também, na bela paisagem. A grande atração é o Parque Nacional São Joaquim (tel.: 49 3278 4002), que oferece atrações como o Morro da Igreja – o lugar mais frio do Brasil –, com 1.822 metros, muito procurada por praticantes de escalada. A entrada fica em Uribici, a 30 quilômetros de Rio do Rastro.

Rio dos Cedros (SC)

Foto: Shutterstock.

Incrustada no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, Rio dos Cedros é conhecida pelo grande número de lagos. Correr ou pedalar em torno do Lago Rio Bonito, com 9 quilômetros de extensão, ou do Lago do Pinhal, com 14 quilômetros, é um bom treininho. Em Timbó, cidade vizinha, o Morro Azul (Parque Ecológico Freymund Germer) é procurado por praticantes de voo livre.

+ 5 trekkings que passam pelos vales mais bonitos do país

Cambará do Sul (RS)

Foto: Shutterstock.

Se você cansou um pouco do eixo Gramado-Canela, a cidade de Cambará do Sul, no Rio Grande do Sul, é uma alternativa mais simples, porém menos badalada. Fica perto dos Parques Nacionais de Aparados da Serra e Serra Geral, conhecidos pelos cânions. Além dos famosos Itaimbezinho e Fortaleza, faça um trekking de 7 quilômetros até o Malacara (que começa na entrada de Aparados da Serra).

-Publicidade-