Conheça um hábito chocante que pode favorecer a gordura abdominal

Conheça um hábito chocante que pode favorecer a gordura abdominal
Foto: Freepik

Muitas pessoas lutam com a dificuldade de se livrar da gordura abdominal. É comum que se inclua à rotina hábitos como dieta e exercícios físicos direcionados à região, mas o acúmulo de gordura pode persistir.

+ Macarrão vegetal ou tradicional: qual é o mais saudável?

+ 4 rolês certeiros para o seu feriadão de Corpus Christi

+ Benefícios do canabidiol podem ser positivos contra efeitos do álcool

Se isso te soa familiar, você pode estar ignorando uma causa significativa de gordura abdominal que provavelmente te surpreenderá: a falta de sono. Entenda com informações do “Eat This, Not That!”.

Sono insuficiente pode causar gordura abdominal

Um novo estudo realizado pela Mayo Clinic e publicado no “The Journal of the American College of Cardiology” revelou que o sono insuficiente aumenta a ingestão de calorias, resultando em acúmulo de gordura — especificamente gordura não-saudável na barriga.

De acordo com o principal pesquisador do estudo, Virend Somers, “o sono inadequado parece redirecionar a gordura para o compartimento visceral mais perigoso”. Nesse contexto, a gordura visceral é a gordura que envolve seus órgãos internos profundamente dentro de seu abdômen. Sabe-se que ela tem uma forte ligação com doenças metabólicas e cardíacas.

Virend ressalta que, embora durante o sono recuperador haja uma diminuição na ingestão de calorias e no peso, a gordura visceral continua a aumentar. “Isso sugere que o sono insuficiente é um gatilho anteriormente não reconhecido para a deposição de gordura visceral, e que ‘correr atrás’ do sono, pelo menos a curto prazo, não reverte o acúmulo de gordura visceral”.

A pesquisa

Realizada pela pesquisadora de medicina cardiovascular Naima Covassin, a análise para o estudo envolveu a observação de 12 indivíduos saudáveis ​​e não obesos. Os participantes estudados se revezaram em duas sessões de 21 dias.

Uma sessão foi considerada “sono normal” e a outra, “sono restrito”. Os cientistas observaram cada indivíduo, registrando o gasto de energia (todos permaneceram relativamente nivelados ao longo do estudo), ingestão de energia (ambos os grupos podiam acessar livremente os alimentos), peso e composição corporal e distribuição de gordura. Isso incluiu a gordura da barriga — ou gordura visceral.

Ambas as sessões começaram seus primeiros quatro dias com nove horas de sono. Em seguida, mudaram para quatro horas de sono para o grupo de sono restrito e nove horas de sono para o grupo de controle. Os últimos três dias incluíram nove horas na cama para ambos os grupos.

Havia 300 calorias a mais ingeridas a cada dia durante as sessões de sono restritas, 13% a mais de proteína e 17% de gordura adicional. As calorias extras foram maiores no primeiro estágio da privação do sono e menores no “período de recuperação”.

Resultado: relação entre sono insuficiente e gordura abdominal

A pesquisa revelou que a falta de sono pode contribuir muito para a gordura abdominal pouco saudável. Quando você não consegue dormir o suficiente, está mais inclinada a consumir calorias extras e não ser fisicamente ativa, o que a coloca em risco de doenças crônicas.

De acordo com Naima, “o acúmulo de gordura visceral só foi detectado por tomografia computadorizada e, de outra forma, teria sido perdido, especialmente porque o aumento de peso foi bastante modesto — apenas cerca de meio quilo. As medidas de peso sozinhas seriam falsamente tranquilizadoras”.

“Também são preocupantes”, continua ela, “os efeitos potenciais de períodos repetidos de sono inadequado em termos de aumentos progressivos e cumulativos da gordura visceral ao longo de vários anos.”

Malefícios do sono insuficiente

Se você lida com a incapacidade de dormir o suficiente, você não está sozinha. De acordo com um estudo realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, um em cada três adultos não dorme bem o suficiente diariamente.

Isso não é bom. Como explica Virend, “nossas descobertas mostram que pouco sono, mesmo em indivíduos jovens, saudáveis ​​e relativamente magros, está associado a um aumento na ingestão de calorias, um aumento muito pequeno no peso e um aumento significativo no acúmulo de gordura dentro da barriga.”

O CDC ressalta, ainda, que a falta de sono de boa qualidade pode levar a um risco maior de desenvolver pressão alta, diabetes, derrame e doenças cardíacas.

Nesse sentido, tentar dormir o suficiente em um horário que funcione para o seu estilo de vida é fundamental. Virend aconselha pessoas que não conseguem ter um sono de qualidade a manter uma dieta completa com escolhas alimentares saudáveis. Além disso, o aumento da prática de exercícios físicos é imperativo.

-Publicidade-