A Go Outside tem expertise em equipamentos outdoor – já são 14 anos de história! E para selecionar bons produtos, chamamos outros especialistas em aventura para indicar as melhores botas de trekking atuais no mercado. Se liga na avaliação:

Forclaz Trek 900 

Quem recomenda: Bruno de Masredon, guia de montanha e alta montanha e diretor da agência Aventurista

Melhor para: Expedições longas e climas frios O produto da marca de aventura Forclaz, da francesa Decathlon, é o preferido do guia de montanha Bruno de Masredon, um heavy user de produtos de trekking. “Uma bota robusta, firme e que não vacila quando você precisa dela. Totalmente impermeável, ainda conta com uma proteção de borracha na junção do corpo com a sola, o que faz com que dure bem mais do que outras botas”, conta Bruno.

Ele também destaca o solado Vibram, com boa aderência e durabilidade. É uma bota pesada e volumosa, mas que dá conta de condições frias e “acompanha a qualidade das marcas mais renomadas do mercado e com uma durabilidade maior”, nas palavras do guia. Ele faz apenas a ressalva de que se trata de uma bota um pouco quente, que se sai melhor nas montanhas brasileiras e nos Andes. Peso: 400 gramas | decathlon.com.br | R$ 750

Salomon Quest Prime GTX R$ 1.200

Quem recomenda: Elida Zuchini, ex-atleta de rafting, guia outdoor especializada em montanhismo e cicloviagens

Melhor para: Clima brasileiro e trekking de média a longa duração com carga

Este modelo de cano alto, impermeável e robusto da Salomon é o atual preferido de Elida Zuchini, guia outdoor brasileira. “Gosto dele porque não é quente demais, funcionando bem para o Brasil. Está durando muito comigo – pelo meu volume de uso, a maioria das botas se desgasta rápido. Como o acabamento da Quest é mais bruto, está durando. É confortável, macio e leve”, conta. “Seu amortecimento é ótimo: entrega o que promete, mesmo com a alta quantidade de peso que carrego.” A Quest Prime tem membrana de Gore-Tex, proteção antibarro (que aumenta a durabilidade da bota) e ponteira de borracha bem ampla. Peso: 570 gramas | lojasalomon.com.br | R$ 1.200

Dachstein Grimming GTX 

Quem recomenda: Rodolfo Guedes, guia de montanha que já escalou alguns dos maiores picos da américa do sul, como Tupungato e Huayna Potosí

Melhor para: Uso pesado em terrenos mistos e difíceis

Mais rígida e pesada que suas concorrentes, a Grimming é feita para dar conta de situações duras. Considerada semirrígida, é compatível com crampons, o que permite o uso em montanhas nevadas. Também dá conta do inverno brasileiro, como atesta o guia Rodolfo Guedes. “A Dachstein chegou faz pouco tempo ao mercado nacional, com produtos de alta qualidade. A bota é um pouco cara, porém muito durável. Sua qualidade é ótima”, diz. A bota possui tecnologias de impermeabilidade como membrana em Gore-Tex, cabedal em couro Perwanger e em cordura com tratamento hidrofugado resistente à água. A entressola em EVA e PU antichoque embutido ajuda na flexibilidade, com solado Vibram Mulaz, com boa tração. Tem uma camada extra de isolamento, o que deixa o modelo contraindicado para climas mais quentes. Peso: 1.242 gramas | dachstein.com.br | R$ 2.300

Escolhas da redação

The North Face Venture Fastpack 2 Mid Gtx masculino 

Melhor para: Praticantes ocasionais de trekking leve

Quase tão leve quanto um tênis de trilha e extremamente confortável, este modelo da The North Face possui cano alto, o que ajuda a proteger contra torções e desequilíbrios em caminhadas com carga. Com corpo em mesh, a Fastpack é bem respirável e tem membrana Gore-Tex, que a torna impermeável. Pelo conforto e leveza, é um modelo especialmente indicado para quem está começando no trekking, porém, como todo produto alinhado ao conceito de trekking ultraleve, um uso intenso em trilhas mais agressivas pode reduzir a durabilidade de forma signifi cativa. Peso: 312 gramas | thenorthface.com.br | R$ 650

Snake Fuse Dry R$ 614

Melhor para: Quem quer um produto leve, porém robusto

O modelo da marca nacional Snake usa bons componentes, como couro hidrofugado. Impermeável, a bota utiliza o sistema Dry System, uma membrana de poliéster especial não porosa que faz a função de barreira selada. No exterior, materiais como cordura, couro e reforços plásticos deixam o produto bastante resistente à abrasão. O solado da bota é da Vibram, com entressola em EVA para aumentar o conforto. A estrutura injetada do calçado elimina adesivos e costuras, aumentando o conforto e a leveza – aliás, é um dos modelos mais leves do mercado com essa proposta de uso. Com forro interno de poliamida, é respirável e flexível. Peso: 522 gramas | snake.com.br | R$ 614

Five Ten Guide GTX Mid R$ 720

Melhor para: Trekking com carga moderada

Conhecida no Brasil principalmente pelas sapatilhas de escalada, a Five Ten também possui ótimos modelos de montanhismo, como o Guide GTX Mid, bota com meio cano. Além de uma proteção maior para os tornozelos do que oferece um tênis baixo de trilha, seu ponto forte é o solado de borracha Stealth C4, que aumenta a aderência em trechos de rocha como lajes de pedra, escalaminhadas e trilhas com grandes blocos rochosos. A biqueira frontal caprichada também ajuda nessa missão. Com entressola em EVA moldada por compressão, é excelente para trilhas técnicas com carga moderada. Em couro, com membrana Gore-Tex, também é impermeável e respirável. Peso: não informado pela marca | sbioutdoor.com.br | R$ 720