Recorde brasileiro no cliff diving

Laso Schaller tem um nome incomum para um brasileiro, mas a explicação é simples: aos 2 anos, este mineiro de Teófilo Otoni foi adotado por uma familia suíça apaixonada por esportes, o que mudou drasticamente o rumo de sua vida. A influência da família fez com que ele começasse a praticar natação e ginástica aos 4 anos e, aos 16, já participava de competições de cliff diving (saltos de penhascos).

A modalidade virou sua especialidade. Recentemente Laso cravou seu nome na história do esporte: ele bateu o recorde de salto em cachoeira na Cascata del Salto, em Ticino, na Suíça. São impressionantes 58.8 metros de altura (mais alto do que a torre de Pisa, na Itália, que tem 56,70 metros). Na queda livre, ele atingiu 123 km/h, mergulhando em uma piscina natural de oito metros de profundidade. Devido ao impacto com a água, ele sofreu um pequeno deslocamento na perna direita, mas já se recuperou.

Recordes grandiosos eram a meta de Laso no começo de sua carreira no cliff diving, mas aos poucos a ousadia que domina o esporte e a camaradagem entre seus praticantes se tornaram o centro de suas atenções. Laso é ex-integrante do deap, um grupo de destemidos atletas que mistura cliff diving e canionismo, realizando saltos que partem de alturas chocantes e passam por caminhos rochosos estreitos e perigosos antes de cair na água.

O Brasil está nos planos de Laso, já veio ao país algumas vezes. Entretanto o atleta ainda não praticou sua arte em solo nacional: "Não conheço muito sobre canionismo no Brasil, porém venho pensando em fazer um projeto nas cataratas do Iguaçu", disse. O amor pela natureza e por lugares remotos, onde ele pode realizar saltos ousados, o incentivam: "Adoro procurar locais de onde outras pessoas nem pensam em saltar."

Veja o vídeo de Laso quebrando o recorde de salto em cachoeira abaixo:

-Publicidade-