Tensão em câmera lenta


NOCAUTE: Sequência que quase apagou Carlos Burle

No começo desta semana, o surfista pernambucano Carlos Burle sofreu um acidente enquanto surfava ondas grandes na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde mora atualmente. Naquela sessão, ele surfava acompanhado de sua parceira de longa data no tow-in (surf rebocado), a carioca Maya Gabeira, uma das maiores surfistas de ondas grandes do mundo.

A “vaca” foi tão assustadora que Burle admitiu. “Apesar de surfar ondas enormes pelo mundo, eu poderia ter morrido hoje na frente de casa.”

Ao cair dentro do tubo, ele levou uma pranchada no rosto e por muito pouco não perdeu os sentidos – demorou alguns segundos até ele voltar a entender o que tinha acontecido. “A respiração ficou difícil, o corpo ficou mais lento… Aliás, o tempo ficou mais lento”, disse. Pedimos para ele detalhar esses momentos de tensão em câmera lenta. Leia a seguir e, mais abaixo, assista ao vídeo registrado por sua câmera GoPro.

“O mar estava especialmente bom naquele dia, e eu e a Maya [Gabeira] já tínhamos surfado ondas incríveis. Foi nesse momento que eu falei para ela que gostaria de registrar uma onda com a minha GoPro. Então pedi para ela escolher uma onda que fosse tubular. Entrou uma série grande e fomos à caça. Vi que seria um tubo ‘quadrado’ e forte e, como sempre, senti o perigo por perto! Mesmo assim, resolvi entrar no clima ‘enjoy the ride’! Coloquei no ‘trilho’ e comecei a viajar dentro do cilindro, que depois se fechou com muita violência na minha frente. É difícil se livrar da prancha com alças [especial para tow-in] em alta velocidade e dentro de tubos. Por isso, sempre procuro chutar a prancha para frente. Só que dessa vez não deu certo! Foi tudo muito rápido. Senti a porrada e quase apaguei… Fiquei zonzo, enjoado e com os reflexos lentos! Mas graças a Deus está tudo certo.”

-Publicidade-