Drone com piloto automático


1, 2, 3 e JÁ: Cinegrafista para quem precisa

Lily é um drone com câmera acoplada que foi criado para facilitar as filmagens e fotografias aéreas de esportes de ação. O mecanismo inovador dispensa o “piloto do drone”. Tudo o que o usuário tem que fazer é guardar um pequeno dispositivo no bolso e jogar o aparato para o alto. Através de monitoramento via GPS e um visor, a Lily é capaz de te perseguir durante o rolê de mountain bike, uma corrida ou um downhill de skate ou snowboard (veja o vídeo abaixo).

Ela pesa 1,3 kg (é mais leve do a maioria doas laptops do mercado) e mede 26 cm X 26 cm, com 8 cm de altura. Além de portátil, é à prova d’água (salgada, inclusive) e faz fotos em alta resolução e filma em 1080p (60 fps).

Enquanto você estiver preocupado em mandar bem em seu esporte, a Lily estará ali, sobrevoando e fazendo a parte dela a uma altura de até 15 metros (ou até 30 metros de distância do usuário, apesar de que a recomendação para os melhores ângulos são entre 3 e nove metros de altura).

Claro que é um projeto inicial, e ela tem uns pontos negativos. Nada garante, por exemplo, que a Lily não vá se chocar contra uma árvore durante o singletrack. Mesmo assim, no dispositivo que a pessoa carrega, há um botão que, quando acionado, para o drone. Além disso, as hélices são maleáveis para aguentar o choque.

A Lily foi desenvolvida por cinco amigos da Universidade da Califórnia em Berkeley, e já está sendo vendida por US$ 499 (são aceitos pedidos internacionais; pré-venda aqui). A entrega será somente em fevereiro de 2016, mas até lá ela vai ficar bem mais cara.

Assista a seguir ao vídeo demonstrativo. Para mais informações, acesse a página oficial: lily.camera.

-Publicidade-