Futuro otimista

O aquecimento global não pode ser tratado como um assunto do passado. No entanto, para o cientista Richard Muller, professor PhD da Universidade da Califórnia, ainda há esperança.

Ele quer deixar um mundo habitável para seus netos e bisnetos e, para ajudar ampliar as pesquisas e facilitar o entendimento das pessoas sobre as mudanças climáticas, fundou com a filha a ONG Berkeley Earth.

Richard é pragmático: as melhoras só serão sentidas através das mudanças de hábitos, que, segundo ele, não precisam causar nenhuma grande alteração econômica. Ele dá o exemplo da China, cujo ar poluído em razão do dióxido de carbono (responsável pela morte de milhões de pessoas todo ano), é um problema que pode ser minimizado pelo uso do gás natural.

No vídeo a seguir, o forte discurso positivo de Richard é ilustrado com belas imagens, algumas da natureza e outras do poder construtivista do homem. Afinal, “não podemos passar um único dia sem impactar o mundo à nossa volta. Mas nossos hábitos e ações fazem toda a diferença, e por isso temos que decidir que tipo de diferença queremos realmente fazer no planeta.”

-Publicidade-