Surfando na Índia

RETRIBUIÇÃO: Um garoto que os ajudou a desencalhar o jet ski foi presenteado com uma prancha nova, além de uma roupa de borracha e outros acessórios. (Foto: Likoska/ Adrenalimitz)

Recentemente, o surfista catarinense de ondas grandes Everaldo Pato foi convidado pelo amigo Serginho Laus, especialista em surfar ondas de rio, para explorar a recém-descoberta pororoca da Índia, em Calcutá. Pato, que já havia se aventurado em ondas similares na Amazônia, China e Indonésia, aceitou o desafio.

A dupla embarcou no fim de março deste ano. O destino: a onda conhecida pelo nome de Baan e que, segundo os brasileiros, nunca havia sido surfada anteriormente.

Na Índia, a onda não era contínua, e se formava de acordo com a profundidade do rio, que sempre muda.

“Como em muitas vezes não sabíamos a profundidade, encalhamos o jet ski e o barco algumas vezes”, relata Pato. Mas o mais bizarro foi encontrar corpos boiando no rio. “A pobreza é impactante, mas o povo é muito alegre, sincero e prestativo.”

Veja a seguir os melhores momentos dessa empreitada. (Fotos: Likoska/ Adrenalimitz)

-Publicidade-