Sem salário

VALEU!: Alex Honnold, agora com um patrocínio a menos (Foto via escalademag.com)

Saber o que uma marca espera de um atleta que ela patrocina é sempre uma incógnita – pelo menos quando ele não faz parte mundo competitivo.

Recentemente, a norte-americana Clif Bar, uma famosa fabricante de comidas e bebidas orgânicas para atletas, decidiu rescindir o contrato de cinco de seus mais famosos “funcionários”: Alex Honnold, Steph Davis, Timmy O’Neil, Dean Potter e Cedar Wright.

Indiscutivelmente, são pessoas que elevaram o nível da escalada, dos esportes de montanhas e da aventura em geral na última década. Um grupo conhecido por assumir grandes riscos em nome do esporte. Mas é exatamente disso que a Clif Bar parece querer fugir.

Em carta publicada no site, a marca se manifestou dizendo que "já não se sente bem bancando atletas que fazem coisas que não dão margem para o erro”. Ainda segundo a Clif Bar, a escalada está indo por um caminho e empurrando um limite que eles não estão dispostos a seguir ou relacionar o próprio nome.

Alguns comentários na internet chegaram a comparar tal atitude como “não patrocinar um jogador de futebol porque ele joga futebol”. É curioso, no entanto, que a Clif Bar seja uma das patrocinadoras do filme Valley Uprising, (recém-lançado nos Estados Unidos), um documentário que aborda o lado extremo da evolução da escalada. E você, o que acha disso tudo?

-Publicidade-