Montanha-russa


NOS TRILHOS: Biker se prepara para encarar uma das seis trilhas do park

Texto e foto por Pedro Cury

Achar boas trilhas para freeride (modalidade com manobras e saltos usando obstáculos naturais) e downwhill (aquela em que bike e ciclista descem ladeiras na maior velocidade possível) no Brasil é quase tão difícil quanto ficar em cima da bike num single trek casca-grossa. Muitas áreas perto das cidades são protegidas pelo IBAMA (alterar local protegido por lei sem autorização da autoridade competente pode levar a reclusão de um a três anos e multa) e as mais remotas não possuem estradas para os carros levarem as bikes de downhill – que não são adaptadas para pedalar morro acima – até o topo das trilhas. William Graça Filho, dono de um terreno em Sousas (distrito de Campinas, há cerca de 10 minutos do centro da cidade), resolveu o problema: criou, juntamente com diversos atletas e com a ajuda da loja Mega Bikers, suas próprias trilhas, transformando sua propriedade num excelente bike park, o Floresta Park.

O lugar é o paraíso para qualquer mountain biker que gosta de vôos, saltos, manobras e descidas, e serve para aprimorar a técnica, se divertir ou desafiar os próprios limites. As trilhas, muito bem construídas, têm diversos obstáculos naturais e artificiais. Uma estrada chega ao topo das trilhas, ou então basta aquecer as pernas empurrando a bike por 10 a 15 minutos para se chegar “na boca” das seis trilhas.

VAI ENCARAR?

Todas as trilhas possuem pelo menos um obstáculo muito difícil. Há desde drop-offs (pedras ou barrancos em que a bike precisa obrigatoriamente voar para chegar ao chão lá embaixo) e rock gardens (trechos onde não há como desviar das pedras, é preciso passar por cima delas) até estreitas pontes suspensas de madeira, com até 2 metros de altura e apenas 50 cm de largura – algumas servem como rampas (a maior fica a quatro metros de altura). Para os amadores, existem caminhos alternativos para evitar os obstáculos mais suicidas. A dica para os iniciantes é começar na trilha 4, a mais fácil.

Para se jogar nas trilhas, o bike park cobrará uma pequena taxa de manutenção. Mas o espaço ainda não foi inaugurado: falta o apoio de empresas patrocinadoras. Antes de cair pra lá, entre em contato com o William pelo email florestapark@terra.com.br.

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de junho de 2005)

-Publicidade-