Ele é o Brasil no Tour

Tem um pouquinho de Brasil no Tour 2005. É o paranaense Luciano Pagliarini, 27 anos, velocista da equipe Liquigas Bianchi. Luciano mora na Itália há sete anos, desde que foi “descoberto” por uma equipe italiana e convidado a correr as provas do circuito amador europeu. Em dois anos, conseguiu 14 vitórias e virou profissional – uma conquista impressionante para um ciclista com então 21 anos e quase nenhuma experiência internacional. Mais cinco anos e ele está agora entre os nove ciclistas da equipe Liquigas Bianchi que irão disputar o Tour 2005.

Luciano participou do Tour em 2002, mas teve de abandonar a prova. Este ano, ele acredita ter chances reais de vencer uma das etapas e ajudar sua equipe a ficar entre as primeiras. Conversamos com o velocista dois dias antes dele embarcar para a França.

Por que você teve que abandonar o Tour em 2002?

Tive um acidente na 9a etapa e meu joelho não parou de inchar. Na 13a etapa, tive que parar.

Você não quis voltar nos anos seguintes?

Quis, mas existe um planejamento da equipe. Alguns ciclistas vão pro Tour, outros vão para as outras competições importantes do calendário, como o Giro D’Itália. Somos em 28 ciclistas, de onde saem três equipes de nove atletas.

Você sonhava em correr de novo o Tour?

Muito! O Tour é a menina dos olhos de qualquer ciclista. Para mim é um orgulho indescritível estar numa das melhores equipes do mundo e ser um dos escolhidos para ir pra França.

Você tem chance de chegar entre os primeiros na classificação geral?

Não, porque sou velocista, minha característica física é a explosão. Sou mais cheinho, então é difícil competir com os montanhistas. Minha preocupação é terminar as etapas de montanha dentro do tempo limite, para brigar nas etapas de velocidade. Meu trabalho na equipe é puxar os sprints finais.

Você já está com frio na barriga?

Eu estou tranqüilo. Treinei muito, fiz a Volta da Suíça em junho e me senti super bem. Agora não tem mais o que fazer. Quem treinou, treinou.

Quem é a sua inspiração?

É o Mauro Ribeiro, que fez o Tour de France em 1991 e venceu a 9a etapa da prova, ficando em 47o no final. Hoje ele está no Brasil e é técnico da equipe de ciclismo da Caloi.

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de julho de 2005)

-Publicidade-