O Tietê visto de cima


O Tietê sob o ponto de vista de Lu Marini (FOTOS: Leandro Saadi)

Depois de sobrevoar toda a extensão da rodovia Transamazônica em 2013, o piloto de paramotor Lu Marini resolveu ver o rio Tietê – que com seus 1.010 quilômetros corta o estado de São Paulo de leste a oeste – de seu assento privilegiado.

Lu tem recordes de altitude no currículo e também já sobrevoou um vulcão ativo. Mas ele garante que a expedição sobre o Tietê, realizada entre agosto e setembro deste ano, rendeu os voos mais espetaculares em seus 20 anos como piloto de paramotor. Ainda mais ao cruzar a capital paulista. “Era apenas eu, o rio mais poluído do Brasil e a selva de pedra”, disse.

A primeira decolagem foi em Salesópolis, onde o rio nasce, no interior de São Paulo. Diariamente Lu realizava voos de pouco mais de duas horas de duração a uma altura que variava de 3 a 400 metros do solo, a uma velocidade média de 50 km/h. Ao todo, foram mais de 40 pousos e decolagens, com oportunidades únicas de conhecer de perto diferentes realidades de quem vive às margens do Tietê.

O aventureiro acredita que foi o destino que o colocou de frente a uma senhora de 80 anos chamada Maria. “Sem dúvida foi o momento mais emocionante de toda a expedição”, garante. “Uma mulher que sustentou 12 filhos com os peixes tirados do Tietê e que hoje ajuda a retirar o lixo do rio para tentar salvá-lo. Além disso, o mesmo rio que alimentou a sua família levou embora um de seus filhos, que aos 22 anos de idade morreu atropelado por uma barcaça.”

A beleza do rio, já novamente com vida e limpo, voltou a ser contemplada pelo piloto nos trechos finais da expedição, onde o Tietê deságua no rio Paraná.

A conclusão pode ter sido óbvia. “Foi muito triste ver o caos em que se encontra o Tietê”, disse Lu. Porém mais importante é que ele conseguiu dessa forma novamente chamar a atenção para uma causa nobre: o descaso ambiental que afeta cidades e cidadãos. “Com a seca, o problema se intensificou e atingiu o transporte hidroviário, causando milhares de demissões e afetando o comércio de pequenas cidades e a economia do país”, disse.

O material – em vídeo e foto – captado durante a aventura fará parte de um documentário e um livro sobre a expedição, além de uma cartilha infantil cujo lançamento será no primeiro semestre de 2015. Nela, tudo será real: Lu Marini será o personagem que sai para conhecer a natureza voando sobre o Tietê. Foi a maneira que ele encontrou de plantar uma semente de consciência ambiental.


O Tietê na cidade Bariri


Sobrevoando Barra Bonita (SP)


EMOÇÃO: Lu recebe um abraço apertado de Dona Maria


O Tietê ao cortar Santana do Parnaíba (SP), um dos trechos críticos


Lu sobrevoa a marginal do Rio Tietê, na capital paulista


Carro boiando às margens do Tietê

-Publicidade-