Luto no montanhismo


Rato no cume da Esfinge, no Peru (foto via altamontanha.com)

Desde a última quinta-feira (7/agosto) o montanhista gaúcho Ricardo Baltazar, mais conhecido como Rato, estava desaparecido. Ele havia saído para percorrer uma trilha no Cânion de Malacara, na divisa entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Rato, de 33 anos, era considerado um montanhista e escalador experiente, com sucesso em escaladas no Fitz Roy, na Argentina, e no Tocllaraju, no Peru. Ele trabalhava como guia na região onde acabou morrendo.

Seu corpo foi encontrado num rio por voluntários que ajudavam em sua busca. Um ferimento na cabeça leva a crer que Rato sofreu uma queda. A polícia abriu um inquérito para investigar o caso.

Em março de 2012, a Go Outside publicou uma matéria sobre ele, que com pouca grana e sem muitos equipamentos, brilhava em duas temporadas na Patagônia e era apontado como um dos maiores promissores escaladores de alta montanha do país (leia aqui).

(Fonte: altamontanha.com)

-Publicidade-