No gingado do mar

Quatro amigos remam de Salvador a Morro de São Paulo, na Bahia, e completam uma das mais longas (e belas) travessias de stand-up paddle já feitas no país

Por Mariana Mesquita



(Foto: Zecops)

DEPOIS DE 8 HORAS remando contra o vento e sob temperaturas acima dos 27ºC, os atletas brasileiros de stand-up paddle Bruno Pitanga, Barbara Brazil, Gustavo Costa e André Barros completaram em fevereiro uma das travessias mais longas de que se têm notícia no Brasil: com os pranchões, a equipe remou os 64 quilômetros, em mar aberto, que separam o tradicional Farol da Barra, em Salvador, de Morro de São Paulo. O trajeto possui quatro quilômetros a mais que a tradicional Molokai 2 Oahu, prova de que acontece anualmente no Havaí e reúne os mais experientes remadores de stand-up paddle do mundo.
O quarteto é destaque no universo do stand-up paddle nacional: Bruno figura na lista dos dez primeiros colocados no campeonato brasileiro da modalidade, Babi (como os amigos a chamam) é tricampeã da competição e Gustavo e André também já estiveram no pódio do brasileiro pelas categorias unlimited e maratona. Segundo Bruno, a vontade de fazer essa travessia surgiu há três anos. Em 2013, ele, Babi e Gustavo remaram pela primeira vez no percurso, porém neste ano o vento complicou muito o desafio – tanto que foi preciso mudar um pouco a rota para fugir da ventania. “Aumentamos seis quilômetros no trajeto e, mesmo assim, baixamos o tempo total em 2 horas”, diz Bruno. Pouca gente se aventura a remar distâncias tão longas nessa região a bordo de um stand-up paddle, apesar de esse ser um roteiro bastante turístico. “O caminho é lindo. Remá-lo de SUP foi, com certeza, uma das experiências mais incríveis que já tivemos”, conclui Bruno.

Assista a seguir ao vídeo que narra a empreitada:

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de abril de 2014)

-Publicidade-