9º Prêmio Outsiders: Carlos Neto

Todos os anos desde 2006, selecionamos atletas, expedicionários, inovadores e ativistas que têm contribuido diretamente para expandir os limites dos esportes e da vida outdoor no Brasil para receber o Prêmio Outsiders. A edição deste ano acontecerá no dia 29 de abril na cidade de São Paulo. Até lá, apresentaremos alguns dos premiados, como o fera do slackline Carlos Neto.

CARLOS NETO
Em 2013, ele se tornou o primeiro brasileiro campeão mundial de slackline ao fazer manobras em cima da fita

Por Mario Mele e Bruno Romano


Ilustração: Abiuro e Renato Breder
Retrato: Alex Batista e Eduardo Zappia

Modalidade: Slackline
De onde é: Niterói (RJ)
Idade: 24 anos

O NITEROIENSE CARLOS NETO é um talento nato do slackline, e isso quem afirma são seus próprios adversários. Em outubro, ele venceu a etapa de Las Vegas (EUA) e fechou o circuito mundial – organizado pela entidade máxima desse esporte, a World Slackline Federation (WSFED) – no primeiro lugar do ranking. “Quando você está determinado, é possível usar o foco a seu favor”, diz Neto, como é chamado pelos colegas.

Os juízes de um campeonato de slackline julgam a sequência de manobras que o atleta cria sobre a fita (de 5 centímetros de largura e geralmente presa a 1,60 metros do chão), por isso a modalidade é mais conhecida como trickline (trick significa manobra, em inglês). Na Alemanha, durante uma das etapas do mundial, Neto mandou um inédito giro de 720 graus sobre a fita e, assim, ganhou o evento. Mas para ele é mais importante deixar as manobras fluírem do que ter um “combo” ensaiado na manga. “Eu gosto de improvisar”, diz. “Claro que tenho um instinto competitivo, todo mundo tem, porém me divirto mais dessa maneira.”

Neto foi apresentado ao slackline em 2011, prestes a completar 22 anos de idade. Seu irmão esticou uma fita no quintal da casa onde moram, e ele deu os primeiros passos. Em seguida, conheceu uma galera do slackline que marcava presença diária na praia de Itacoatiara, em Niterói, e as manobras foram saindo. Ele nunca imaginou, no entanto, que sua ascensão seria meteórica: no ano seguinte, passou a integrar o grupo performático da popstar Madonna, e pôde mostrar uma habilidade de veterano em palcos da Ásia, Europa e América do Norte.

Apesar de já ter participado de campeonatos amadores de surf e skate, nada se compara a um circuito mundial profissional. E, mesmo as competições de slackline sendo um fenômeno recente, tratam-se de eventos disputadíssimos: 32 atletas de elite brigam por um degrau no pódio de cada etapa. Neto e Gabriel Aglio, que revezam a fita sobre as areias de Itacoatiara, atualmente são os brasileiros que ditam a ginga verde e amarela nesse circuito. A regra é deixar manobras e sequências cada vez mais espontâneas. A partir de maio eles colocarão isso em prática para encarar mais uma turnê mundial de slackline.


EQUILIBRISTA: Neto se apresenta no mundial de slackline; abaixo, no lugar máximo
do pódio


(Fotos: Arquivo pessoal)

Patrocinadores: Itacoá, Gibbon Slacklines, Xtrax Brasil e Hot Buttered

-Publicidade-