Poeta das ruas

Durante três décadas, o goiano Raimundo Arruda Sobrinho, 75, morou nas ruas de São Paulo (SP), sendo 18 anos no mesmo lugar: no canteiro central de uma movimentada avenida da zona oeste da maior cidade do Brasil.

Vestido com sacos plásticos e morando numa pequena cabana construída em moldes precários, ele vivia exclusivamente de doações de moradores da região. Passava a maior parte do tempo sentado e fazendo o que mais gostava: escrever poemas.

Raimundo nunca negou sua identidade, mas sempre assinou seus escritos como “O Condicionado”. Em 2011, com a saúde e os movimentos debilitados, ele se sentia preso e destruído pelo modo de vida que levava por tanto tempo. Mesmo assim, nunca parou de escrever. Naquele mesmo ano, a publicitária Shalla Monteiro criou uma página no Facebook sobre o poeta morador de rua, e a história de Raimundo se espalhou pelo Brasil. Com isso, ele pode reencontrar seu irmão – que não via há 57 anos – e retornar para Goiânia.

De volta à sua cidade natal, ele não deixou de escrever e, recentemente, sua saga foi contada neste documentário curta-metragem a seguir, produzido pelo coletivo internacional Already Alive.

Em um de seus poemas, Raimundo diz: “Desgraçado do homem que se abandona. Estas seis palavras indicam que por pior que seja a situação, nunca o homem deve considerá-la perdida”.

Hoje, além de essa mensagem ser o resumo de sua incrível história de vida, Raimundo se vê prestes a realizar seu maior sonho: publicar um livro.

-Publicidade-