Eddie ajudaria


EDDIE VAI: A lenda põe pra baixo em Waimea, em fevereiro de 1978
(FOTO: Steve Wilkings/Eddie Aikau Foundation)

O que não falta no Havaí são surfistas perseguindo as maiores ondas. Sempre foi assim: na atualidade, caras como Mark Healey, Greg Long e Kelly Slater. No passado, o lendário e pioneiro surfista de ondas grandes Eddie Aikau (1946-1978).

Nascido e criado no Havaí, Eddie não perdeu um dia de ondas grandes por mais de uma década e já venceu campeonatos clássicos como o Duke Kahanamoku Invitational Surfing Championship, em 1977. Ele também ficou conhecido como o primeiro salva-vidas do North Shore e, durante seus dez anos nesse trabalho, nenhuma pessoa morreu afogada na baía de Waimea, onde atuava.

Eddie morreu tragicamente aos 31 anos de idade, no mar, tentando salvar um grupo de remadores, do qual fazia parte e que teve a canoa virada durante uma tempestade numa longa travessia entre o Havaí e o Taiti. Ele decidiu sair remando sua prancha de resgate em busca de ajuda e nunca mais foi visto. Ironicamente, algumas horas depois, toda a tripulação foi salva pela guarda costeira, numa operação considerada "o maior resgate da história do Havaí", feita pelo mar e pelo ar.

Mas, como diz o escritor Stuart Holmes Colleman em seu livro Eddie Would Go, o havaiano curtia tanto
ajudar as pessoas quanto um dia de ondas grandes e prefeitas. O título dessa biografia é uma referência à famosa expressão dita pelo surfista Mark Foo durante um campeonato em homenagem a Eddie. As ondas estavam enormes naquele dia e, enquanto olhava o mar, Mark lançou: “Eddie iria”. A frase pegou.

Até hoje o campeonato em memória de Eddie Aikau acontece na baía de Waimea, mas somente quando o mar está gigante. Nea temporada 2013/2014, a janela do evento vai até o final de fevereiro.

Para saber mais sobre a história dessa lenda, acesse o site da Eddie Aikau Foundation.
Abaixo o trailer do documentário The Legend of Eddie Aikau.

(Fonte: theweek.com)


Clique aqui para assistir a esse documentário na íntegra.

-Publicidade-