Uma cruel tradição japonesa


TRADIÇÃO?: Golfinhos são encurralados em Taiji (FOTO: seashepherd.org
)

Na semana passada foi aberta na baía de Taiji, costa leste do Japão, a temporada de caça a golfinhos e pequenas baleias. Todo ano, cerca de 250 desses animais – incluindo jovens e filhotes – são encurralados e mortos de maneira cruel (geralmente uma lança é espetada na coluna vertebral do animal, que com os movimentos paralisados acaba morrendo afogado). A carne é vendida para o consumo e alguns animais são comercializados para parques aquáticos pelo mundo.

Os japoneses defendem essa barbárie como “uma forma de tradição da pesca japonesa”. Foi isso o que disse o chefe de gabinete Yoshihide Suga durante uma recente conferência em Tóquio.

Artistas se manifestam, a mídia divulga, mas nada parece deter ou amenizar a prática. Segundo a ONG Sea Shepherd, que acompanha o evento in loco e promove campanhas contrárias a essa matança que deixa a água da baía vermelha, 12 barcos partiram de Taiji na última manhã e, em seguida, encurralaram e mataram um grupo de 28 golfinhos-riscados. Na intenção de tapar a cena da visão de ativistas e curiososs, os pescadores cobriram os animais mortos com uma lona.

A pesca na baía de Taiji ficou mundialmente famosa depois que o chocante documentário The Cove (assista abaixo), que mostra de perto essa triste realidade, ganhou o Oscar em 2009.

Nesta semana, a artista Yoko Ono (viúva de John Lennon) disse que “a forma como celebram a matança de tantos golfinhos fará com que as crianças do mundo inteiro odeiem os japoneses”.

A embaixadora dos Estados Unidos no Japão, Caroline Kennedy, qualificou como "desumana" essa tradição, por meio de sua conta do Twitter, e lembrou que “Washington não apoia a prática”.

Para que a barbárie chegue à realidade de mais pessoas, a Sea Shepherd está colocando no ar a transmissão ao vivo pela internet. Clique aqui para acessar.

-Publicidade-