Pipe Masters: Mick X Kelly


À LÁ UFC: Durante a coletiva de imprensa do Billabong Pipe Master
(Foto: ASP/Cestari)

Por Kevin Assunção, da Hardcore online

O Billabong Pipe Masters começou ontem (dia 9 de dezembro). Assista aqui ao vídeo sobre a etapa e saiba tudo sobre este primeiro dia, que contou com a nota 10 do Sebastian
Zietz e tubos do brasileiro Gabriel Medina.

Ainda assim, a disputa pelo título mundial terá início a partir do “round 3”, a fase em que Mick Fanning e Kelly Slater estreiam na competição. A etapa estava agendada para hoje, mas devido às condições de onda o campeonato foi adiado.


Kelly venceu Mick na semi e Parko na final em Kirra, no Quiksilver Pro Gold Coast
(Foto: ASP/Kirstin)

Mick só depende de si mesmo para ser tricampeão mundial: o australiano garante o título se chegar à semifinal. Já Kelly precisa ser campeão do Pipe Masters pela sétima vez e torcer para Fanning chegar ao máximo as quartas de final, para conquistar seu 12º WCT.

O desempenho no WCT 2013 dos dois concorrentes ao título foi bastante diferente, o que torna ainda mais interessante a briga pelo caneco mais importante do surf de competição.

Na etapa de Gold Coast, quando muitos faziam a tradicional e cansativa pergunta "Kelly brigará pelo título?", o Careca colocou um fim na questão. Nas finais, surfou Kirra tubular com perfeição. Bateu Mick na semi e Joel Parkinson na final, com direito a nota 10 nas duas baterias.



A vitória no Quiksilver Pro France consagrou o ano consistente de Mick Fanning
(Foto: ASP/Kirstin)


Dois meses depois, reassumiu a liderança do ranking mundial com a vitória em Fiji. Em tubos de 8 pés em Cloudbreak, superou Fanning na decisão.

Já Mick só foi vencer uma etapa em outubro, na França, ao bater Gabriel Medina na decisão em Hossegor. Por outro lado, ele se manteve no topo do ranking devido à consistência que teve em todas as etapas. O "aussie" assumiu a liderança após o quinto lugar no Oakley Pro Bali, em junho.

Enquanto o Careca da Flórida parou no Round 3 em Bells — perdeu para Willian Cardoso — e em Trestles e no Round 2 em Portugal, o pior resultado do Macaco Albino de New South Wales foi um 9º em Trestles.


> Retrospecto no Pipe Masters

A única possibilidade de Mick e Kelly se enfrentarem em Pipeline em 2013 é na final. Ou seja, o aussie já seria campeão do mundo. Então, é importante analisar o desempenho dos dois no Pipe Masters.


Nos anos em que foram campeões do WCT, nem Mick nem Kelly dependeram de uma vitória em Pipeline. Em 1994, 1996 e 1998, o americano sagrou-se campeão antes da final.


Em 2007, Mick garantiu o título na penúltima etapa, em Imbituba, Santa Catarina. Já em 2009, Parko perdeu no Round 3 e, com isso, Mick foi bicampeão mundial.

Se lembrarmos como foram os últimos anos do Pipe Masters, percebemos que o tricampeonato de Mick não está tão perto como pode parecer.


Enquanto Fanning não sabe o que é passar do Round 4 em Pipe desde 2007, Kelly chegou a duas finais – e foi campeão em 2008 – e três semis.


A experiência no Pipe Masters é a grande vantagem de Slater na decisão do título mundial de 2013. O "Quarentão" impressionou na maioria das 21 vezes em que disputou esse campeonato.


Além de ser hexacampeão da etapa, foi finalista em 11 ocasiões, três vezes vice-campeão (1993, 2006 e 2009) e parou na semi em outros sete campeonatos, inclusive em 1991, quando estreou no WCT.


Mick também surpreendeu no primeiro ano na elite mundial, em 2002. Foi finalista do Pipe Masters e ficou em quarto lugar na decisão. Naquele ano, Andy Irons sagrou-se campeão, Shane Dorian foi vice e Kelly terminou na terceira colocação.


Três anos depois, o aussie chegou à decisão mais uma vez e foi vice-campeão, atrás apenas de Andy Irons. Antes da final, ganhou a bateria da semi em que Slater foi eliminado.


Dos nove Pipe Masters que participou, Mick foi eliminado por havaianos em sete deles. Já Kelly pretende espantar os fantasmas australianos que o impediram de chegar à final de Pipe em 2011 (Parko) e 2012 (Josh Kerr) e de ser campeão em 2009 (Taj Burrow).


-Publicidade-