Ordem na parede

“É para colocar ordem na casa.” É assim que Silvério Nery, o Presidente da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada, justificou a decisão de suspender o pagamento da anuidade à Federação Internacional de Escalada Esportiva (IFSC), entidade que regula as competições internacionais da modalidade.

Com o anúncio, que foi feito durante uma assembléia organizada no Rio Mountain Festival 2013, atletas brasileiros são impossibilitados de participar de qualquer competição oficial da entidade, como o Campeonato Mundial, Copas do Mundo, entre outros.

O Presidente explica que são quase 15 mil reais pagos, por ano, à entidade e, com isso, a confederação não consegue fazer a escalada esportiva de competição fluir no Brasil. “Enquanto mandamos dois atletas participar de provas internacionalmente, não organizamos o próprio cenário de competições do país”, diz ele, que este ano anunciou também o cancelamento do Campeonato Brasileiro. Assista ao depoimento completo no vídeo acima, que foi publicado no blog do escalador Eliseu Frechou (acesse aqui).

Segundo o texto publicado no site Desce daí, doido!, portal especializado no assunto, a fala do Silvério só fará sentido se o dinheiro economizado for realmente revertido para o fundo de competições nacionais. Leia abaixo um trecho interessante da reportagem:

"Sei muito bem que é difícil organizar competições, ainda mais quando não se tem muitos recursos, mas eu pergunto: o que a escalada tem de diferente de outros esportes? Praticamente todo esporte, até os menos expressivos, consegue ter competições nacionais regularmente organizadas, com patrocinadores, premiação e atletas motivados. Nós temos Campeonato Brasileiro até de Futebol Americano, pra você ter uma ideia. O que faz então a escalada não conseguir tirar o pé da lama no caso das competições?


Pra mim a resposta parece clara. Os outros esportes têm entidades que tem como o vetor principal de difusão das suas modalidades justamente as competições. E isso acontece porque, na maioria dos caso, esses outros esportes não tem outras questões “maiores” para lidar, como no caso da escalada. Na escalada, além do aspecto competitivo, ainda existem aspectos gerais da atividade dentro do ambiente natural. Questões de acesso à áreas de escalada, questões de formação de montanhistas, de prática segura do esporte, de impacto ambiental, questões éticas, que com certeza devem ser vistas hoje na CBME como mais importantes do que as competições. Não estou dizendo que não sejam, nem que não devam ser valorizadas. Mas o fato de receberem mais atenção acaba deixando a escalada de competição relegada a um segundo plano. O que faz com que os campeonatos acabem caindo na prática do “se der a gente faz."

-Publicidade-