Criando sensações

Uma das intenções de qualquer filme é criar sensações e, nesta “categoria”, o diretor Vincent Haycock (@vincehaycock ) já deveria ter levado a estatueta. Vincent é conhecido por dirigir filmes publicitários e vídeos musicais, mas às vezes ele usa seu conhecimento de cinema para aprofundar narrativas entremeadas com paisagens outdoor realmente tocantes.

Seu lado “contador de histórias” está bem representado no curta-metragem Loved on Water (assista a seguir na íntegra), de seis minutos. Nele, o diálogo entre o
presidiário Robby "Little Bull" Boyd e seu advogado é costurado com a cena de um garoto que vai atrás das ondas por conta própria.

Depois de alguns minutos de filme, o garoto, que supostamente é o filho do detento, cai no mar com sua prancha, e os efeitos sonoros da prisão dão lugar ao barulho do oceano. Além disso, na imensidão salgada é possível “ouvir apenas a própria respiração e as batidas do coração”, diz o personagem principal.

O ritmo dado pelos sentidos involuntários descritos por Robby também remetem à cadência de Loved on Water, criando um ambiente misterioso e traçando um caminho pela busca da liberdade, que apesar de totalmente incerto, é necessário.

Produzido em 2011, este filme não ganhou nenhum prêmio (e talvez nem tenha sido nomeado para nenhum), o que não te impede de assistir ao melhor filme do dia e viajar por sons e sensações.

-Publicidade-