Vivendo na altitude


VISUAL: Cidade La Rinconada, no Peru

Por Paulo Roberto Parofes

O terreno acidentado extremamente diversificado de nosso planeta apresenta ao ser humano uma série de características: qualidade, vantagem, fertilidade, produtividade, umidade, aridez. Entretanto também o desafia com adversidades diversas. Estas dificuldades podem acontecer em qualquer tipo de terreno ou altitude. Pensemos de outra forma, se tivéssemos a possibilidade de configurar um solo com o clique de um mouse, poderíamos selecionar a dificuldade de um solo infértil como um solo desértico arenoso, só que ao invés de aplicá-lo onde naturalmente ocorre na África, em baixa altitude como o Sahara, apliquemos a uma altitude diferente, quilômetros acima do nível do mar. O resultado é obviamente uma vida muito difícil ao ser humano não só pela infertilidade do solo, mas pela altitude por si só e todas as limitações que ela impõe ao homo sapiens.

Acontece que este clique do mouse configurando este solo infértil e alto não é fantasia, ele existe em nosso planeta e em diversos países colocando o homem frente a frente com o que há de mais desafiador na natureza. Mesmo assim, existem vilas e cidades em que pessoas vivem permanentemente em grandes altitudes, vamos conhecer alguns casos impressionantes.

Chega a ser irônico. Nós, praticantes do esporte de altitude, nos arriscamos lutando contra nossa própria fisiologia para chegar nestas altitudes, fazemos aproximação carregando peso, acampamento base, acampamento alto, cume da montanha e descendo o mais rápido que podemos para evitar os temidos efeitos das alturas. Existem povos que literalmente vivem no topo destas altitudes tornando nosso esforço uma piada social. Anos atrás escutei uma piada, e conto no final do texto.

Uma rápida pesquisa na internet revela dezenas de listas de cidades mais altas do mundo e nunca se parecem — possuem cidades em comum, mas a ordem não bate: nomes diferentes surgem, principalmente as altitudes não batem em 80% dos casos quando conferidas com as coordenadas, via georeferenciamento. Fiz uma pesquisa cansativa e cheguei a algumas conclusões, vou expor aqui uma lista de cidades altas que não representa necessariamente as mais altas, mas simplesmente cidades altas onde a única em que há certeza de “posição de reinado” é a primeira, a mais alta do mundo efetivamente. Pelo menos até descobrirem uma cidade mais alta do que esta…

Entretanto, antes de demonstrar os resultados da pesquisa, voltemos nossa atenção a um detalhe impressionante. O homem não desafia a natureza e especificamente a altitude só morando lá, mas também construindo estruturas nas alturas. Bem, simplesmente escrever isto não ajuda a entender a magnitude do exemplo, o homem não só constrói na altitude, mas constrói em record de altitude uma estrutura de 1957 quilômetros de extensão! Inacreditável não? É fato.

A linha de trem Qinghai, conhecida como “Qinghai – Tibet railway”, ou “Qingzang railway” se extende por longos 1.957 kms ao longo do planalto Tibetano, região conhecida como teto do mundo por causa da altitude média de 4.900 metros. Os primeiros 815 kms da linha foram concluídos em 1984, e os 1142 restantes concluídos em 2006. Ao longo da via existem nada mais nada menos que 45 estações, destas, destaca-se a mais alta estação de trem do mundo, Tanggula, a 5.068 metros de altitude. De todas as estações, somente 7 têm funcionários regulares e as 38 restantes são controladas remotamente de Xining.

Construir em uma altitude tão elevada não é nada fácil, principalmente no decorrer de região de “permafrost”. Permafrost significa solo que fica constantemente abaixo de zero grau, em ponto de congelamento. Por meses a fio ou por anos contínuos. Em linguagem mais simples, solo congelado. Por este motivo até cavar em terra para plantar é impossível, e o uso de uma britadeira é essencial. O congelamento do solo depende da temperatura, saturação do solo, basicamente condições climáticas.

Agora fica mais fácil compreender o motivo pelo qual a segunda parte da linha, de mais de mil quilômetros, só pode ser construída duas décadas após a conclusão da primeira parte. Os engenheiros precisaram gastar anos solucionando o fato de ter que construir em região de permafrost, um verdadeiro desafio para a engenharia moderna. Um dos principais fatores é o congelamento por si só. Algumas áreas são áridas, algumas áreas recebem precipitação de chuva ou nevasca, e quando a água congela se expande, o que poderia causar danos estruturais graves não só nos trilhos, mas nas estruturas das estações.

Mais alguns números assustadores da linha de trem de quase 2000 quilômetros: São 45 estações, 675 pontes que totalizam 160 kms sobre pontes, 550 kms da linha estão em região de permafrost, e a linha também inclui diversos túneis e dentre eles está o mais alto do mundo, o túnel Fenghuoshan de 1.338 metros de extensão que está a 4.905 metros de altitude.

É tanto número que chega a confundir não? Agora segure-se na cadeira: O reinado da estação de Tanggula como a mais alta do mundo está pra cair! Há um projeto em estudo para construção de uma outra linha de trem de altitude asiática, será a Bilaspur-Leh railway, que terá cerca de 498 kms de extensão na Índia e o ponto mais alto será a impressionantes 5.325 metros de altitude, dá pra acreditar? O orçamento está em estudo e caso seja aprovado, a conclusão da construção está prevista para o final de 2015.

Dados impressionantes da chamada evolução, observemos agora os dados da vida humana em elevadas altitudes.

A construção da linha chinesa não foi à tôa ou somente pra entrar no guinness book, na verdade a intenção era reduzir o tempo desta viagem de 3 dias para 15 horas de trem, conectando diversas cidades ao longo do caminho. Assim certamente viver acima dos 4.000 metros se tornou infinitamente mais viável para moradores do teto do mundo, até então, isolados das grandes metrópoles por centenas de quilômetros e dias de viagem no lombo de um animal.

Algumas das cidades ou vilas com população permanente mais altas do mundo, ridicularizando nosso esforço montanhístico de chegar lá (risos):

>> La Rinconada, no Peru é considerada a cidade mais alta do mundo
La Rinconada fica a inimagináveis 5.100 metros de altitude, e algumas construções chegam a quase 5.400 metros de altitude. Entretanto, a altitude tida como oficial é a menor já que 90% das construções ficam nesta altitude.



>> Wenzhuan que supostamente fica a 5.019 metros de altitude é um mistério, na China
Pouco se sabe sobre esta cidade chinesa. Tudo que encontrei se resume a poucos dados. A cidade foi fundada em 1955 e fica ao norte das montanhas Tangla. Isto foi tudo que consegui encontrar. Aliás, a cidade é um mistério que poderá ser resolvido assim que as imagens de satélite forem totalmente atualizadas na ásia, já que nota-se hoje regiões onde a imagem exibida ainda é a antiga, de baixíssima qualidade.

>> A alta Amdo, a 4.700 metros de altitude, no Tibet
Esta pequena cidade encontrei justamente durante a busca da cidade supra citada, acompanhando estradas, rios e a própria linha de trem, fiquei surpreso ao encontrar uma cidade tão bem estruturada a esta altitude!

>> Morococha (4500 metros) , no Peru
Esta alta cidade andina peruana não reserva segredos, vive basicamente de mineração de prata, que quase não se extrai mais, sobrando estanho. A altitude elevada também causa problemas de saúde em crianças sobretudo, mas a viagem para a salvação não é muito complicada, já que são apenas 130 kms até a capital Lima, ao nível do mar.

>> Tanggulashan (4542 metros), na China
Esta cidade nada mais é do que uma área administrativa da província de Qinghai possuía no censo de 2006 uma população residente de 1.280 pessoas, e atualmente tem 1.900 habitantes permanentes.

>> Nagchu, muitos tibetanos nesta cidade que fica a 4.530 metros
A grande cidade de Nagchu fica também no teto do mundo tibetano, a 4.530 metros de altitude, e possui a incrível marca de cerca de 80.000 habitantes.


>> Ge’Gyai, escondida nas alturas a 4.520 metros
Pouco encontrei sobre esta pequena cidade chinesa. Aliás, foi mais uma que encontrei mapeando as estradas da região. A julgar pelo tamanho da cidade e quantidade de construções, provavelmente possui uma população de 2.000 pessoas aproximadamente.

>> Cerro Del Pasco (4370 metros), no Peru
Uma verdadeira metrópole andina peruana, com nada mais nada menos que 80.000 habitantes permanentes estimados, o que torna esta uma das mais populosas cidades mineiras de altitude do mundo. Algumas partes da cidade ultrapassam os 4.400 metros.

>> Shiquanhe, uma jóia chinesa a 4.290 metros de altitude
Esta cidade localiza-se a cerca de 230 kms a noroeste do Monte Kailash, montanha famosa mundialmente e sagrada, seu cume nunca foi oficialmente escalado. O Monte Kailash tem 6.638 metros de altitude.

A maioria (para minha surpresa) era boliviano, morando na cidade chilena tentando sustentar suas famílias explorando a vida comercial que é guiar no Villarica, trabalho garantido todos os dias.

Então, fui arguido sobre meus feitos pessoais, na época a montanha mais alta que eu havia escalado era o vulcão Sairecabur, cuja altitude é um mistério guardado por discursos inflamados de andinistas que afirmam que tem 5.976 metros, e outra vertente que usou gps geodésico que mediu em mais de uma ocasião mais de 6.000 metros, sendo a menor altitude encontrada 6.006 metros. Enfim, quando falei sobre a montanha riram de mim.

Perguntei o motivo da risada e a resposta foi: “Brasileño andinista, antes de eu morar aqui era mineiro e vivia a 4.200 metros no acampamento mineiro do Cerro Rico, só ia na cidade por causa de mulheres”. E deu de rir, ele, seus companheiros, e eu é claro, ridicularizado com a declaração.

Ele ainda concluiu, “O Sairecabur é muito fácil, dá pra chegar de carro a 5.500 metros, já fui lá.”. Pois é, me recolhi à minha insignificância e desci de volta pra Pucón. Podia dizer a ele que em 2007 eu cheguei ao topo do Cerro Rico (pra quem não sabe fica em Potosi/ Bolívia, que é vendida equivocadamente comercialmente na web como a “cidade mais alta do mundo”) andando desde os 4.300 metros vestido de minerador, mas não importava. Virei piada mesmo! (risos)

Bem, eu poderia continuar exemplificando com mais uma centena de cidades acima de 4.000 metros e outras centenas de cidades acima dos 3.000 metros, mas assim o texto ficaria sacal e repetitivo, além de perder a premissa inicial que é a vida nas cidades mais altas do mundo em alguns exemplos.

Sobre a piada que citei no início do texto: Em uma ocasião, quando eu estava tentando escalar o vulcão Villarica que tem seu cume a 2.840 metros de altitude (e que recentemente ficou com maior exposição aqui no Brasil depois que um engenheiro brasileiro perdeu sua vida nele), tive que desistir por causa de um terrível whiteout que diminuiu a visibilidade a menos de dez metros ainda no começo, a 2.000 metros, associado a ventos de 70 km/h. Descendo, parei na construção abandonada que serve de refúgio em caso de tempestades, e fiquei papeando com alguns homens de meia idade que ali ficavam.

O site Alta Montanha é um espaço virtual inteiramente dedicado ao tema do montanhismo. Para visitá-lo, clique aqui.

-Publicidade-