Partiu neve: o melhor da temporada no Chile e na Argentina

Veja o que de mais quente a estação reserva para praticantes de esportes de inverno

Por Verônica Mambrini*

APESAR DE o inverno no Brasil ser bem ameno, estamos a poucas horas de voo (ou, dependendo de onde você mora, a algumas horas de carro) de picos nevados, estações de esqui e plataformas de gelo que são diversão garantida para quem curte a vida outdoor em temperaturas baixas. Seja você um iniciante nos esportes de inverno ou já craque no esqui ou snowboard, selecionamos novas modalidades e lugares menos batidos para agitar a temporada de neve de 2018.

>SNOWKITE 

Que tal usar suas habilidades adquiridas em um esporte para começar arrasando em outro? O snowkite lembra muito o kitesurf. É a mesma lógica: você escorrega sobre a neve usando a força do vento. “Com uma vantagem: você não precisa ‘boiar’, então a velocidade mínima de vento para sair deslizando é muito menor que no kitesurf. A partir de 10 nós, dá para subir a montanha com a força do ar”, diz Sandro Sclovsky Saltz, sócio da agência Point da Neve. “O grande barato é explorar áreas onde o teleférico não te leva. Quem já faz kitesurf vai para a montanha e sai andando, é muito mais fácil. Você consegue ir além da área da estação de esqui e explorar lugares onde as pessoas não esquiam”, explica Sandro.

Onde praticar: Cerro Caviahue (Argentina)

A cerca de 350 km de Neuquén, Caviahue está se transformando rapidamente em um centro de snowkite. É lá onde acontece o Snowkite Jam, um festival anual da modalidade que atrai gente da Argentina toda e de outros países. O destino é ótimo para snowkiters iniciantes e intermediários. Há points com visual incrível, como as encostas do vulcão Copahue, e a região oferece neve praticamente o ano inteiro. Dá para pegar o jeito do esporte na estação de esqui e ir desbravando a região a bordo de um umuruga, um tipo de quadriciclo para neve. caviahue.com

Corralco, Chile

O melhor lugar do Chile para ser explorado de snowkite é, definitivamente, Corralco. O resort, na verdade, é o destino quente da temporada, por ser um dos mais recentes, com uma pegada mais fresca que os roteiros de esqui manjados do país. Cercado de lagos e florestas, é perfeito para a prática do snowkite por conta dos ventos sem obstáculos. De quebra, fica perto do vulcão Lonquimay – ou seja, subir de kite, descer de esqui! corralco.com

>TREKKING

Embora boa parte das estações ofereça algum tipo de caminhada no gelo, se você quer mais sossego e fugir para o meio da natureza, Huilo Huilo, no Chile, é o lugar. O Bosque Nevado é o centro de neve dentro da reserva ecológica. Entre as atividades mais bacanas para se fazer por lá, estão passeios no gelo, com raquetes de neve. São três opções: uma trilha de três horas de duração por uma floresta nevada (com as lindíssimas árvores patagônicas centenárias, como coihues, faias e carvalhos), uma caminhada pelo glaciar até as encostas do vulcão Mocho- Choshuenco, com direito a cume, ou ski randonné (esqui de travessia, feito no plano ou em subidinhas para queimar os músculos das pernas) por uma plataforma de gelo que inclui uma descida freeride no fim. Cansou de tanto gelo e neve? O menu de passeios outdoor da reserva também está cheio de opções não nevadas. huilohuilo.com 

Fatbike em Farellones (Chile)

 >FAT BIKE 

Se você morre de curiosidade de andar de fatbike na neve, rume para Farellones, no Chile. As fatbikes ganharam bastante espaço nos últimos anos, por conta de seu porte mais robusto e pneus grossos que conseguem encarar percursos de neve e areia. A apenas 30 km da capital chilena, Santiago, fica uma das estações de esqui mais antigas do país, bem pertinho de atrações clássicas como Valle Nevado, El Colorado e La Parva. Trata-se de um destino com mais opções para a família, com trenós, tubing (um “skibunda” na neve), tirolesa e, claro, esqui. De fatbike, você pode curtir dois circuitos, um mais leve para principiantes, de duração estimada de 45 minutos, e outro mais exigente, com subidas duras. parquesdefarellones.cl

Esquiador em Antillanca

>ESQUI MAIS TÉCNICO

Quem já tem experiência e quer dar um passo além no esqui vai se apaixonar por Antillanca, no Chile. Queridinha de snowboarders e esquiadores fora de pista, a região tem montanhas íngremes e descidas técnicas, muita neve virgem e uma temporada longa, que pode chegar a outubro ou até novembro. Diferentemente das estações mais populares, a vila é tranquila, pequena e encravada em montanhas, no meio da Patagônia. Isso garante vias livres, no meio de florestas de cedros. De quebra, dá para escalar e fazer trekking ao redor do vulcão Casablanca. antillanca.cl  

Bajada de antorchas na Argentina

>BALADA NA NEVE

Se você quer uma programação animada e fora do comum, faça sua reserva em Cerro Bayo, na Villa La Angostura, na Argentina. A temporada 2018 está recheada: bajada de antorchas (uma descida de esquiadores com tochas de fogo e DJ ao vivo); Tetra Cerro Bayo, uma prova que combina esqui, mountain bike com neve, corrida e caiaque; snow polo, com atletas profissionais convidados; um campeonato de rugby extremo na neve; a Xtreme Week, com provas de snowboard e esqui freestyle; e a Copa Calva, campeonato de esqui e snowboard do Clube Andino de Villa Angostura. Além disso, rola o festival Sabores Patagônicos, que mostra a cada ano as melhores delícias de lá. cerrobayo.com.ar 

Snowboard noturno

 >SNOWBOARD NOTURNO 

O esqui continua sendo o esporte campeão de preferência nas estações chilenas e argentinas. Mas em La Parva, próximo a Santiago, no Chile, a experiência ganha outras cores: das 18h às 21h, dá para praticar esqui e snowboard noturno. São 18 torres de iluminação nas pistas Manzanito e Golondrinas. A tendência chegou também à Argentina, em Las Leñas, a 500 km de Mendoza. Para preencher o dia enquanto a diversão noturna não chega, o menu de atividades de neve é bem completo, já que a estação oferece diversas opções para toda a família. Em localização estrategicamente escolhida, Las Leñas costuma contar com excelentes níveis de precipitação de neve. laparva.cl; laslenas.com

Competidora na Patagonia Run, na Argentina

>CORRIDA EM TRILHA 

Nada de pausa na temporada de corrida em trilha. O snow running está com um calendário cada vez mais legal no Hemisfério Sul, com provas com trechos de neve perto de cumes ou que acontecem nesse tipo de terreno em quase toda a sua extensão. Veja algumas provas bacanas para experimentar a modalidade:

Desafio Cumbrees Mountain Hardwear
Quando: 10 de março
A prova é em Lo Barnechea, na região metropolitana de Santiago, com três opções de distância (7,5 km, 20 km e 30 km) em skyrunning – modalidade de corrida de montanha acima de 2.000 metros de altitude com terreno técnico e altos gradientes de inclinação. desafiocumbres.cl 

Ultrafiord
Quando: 2 a 7 de abril
Na Patagônia chilena, a Ultrafiord é uma ultramaratona mítica em um dos ecossistemas mais inóspitos do mundo. São várias distâncias, começando com 30 km e chegando a 100 milhas (160 km). Na região de Puerto Natales, espere correr entre geleiras, com fortes ventos, travessias de rios congelantes, lama e gelo. ultrafiord.com 

Indomit Ultratrail Mendoza
Quando: 18 e 19 de maio
A prova acontece em Tunuyán e no Valle de Uco, na região vinícola de Mendoza. Há distâncias para todos os gostos, dos 12 km aos 100 km. As montanhas são de babar: não à toa o Aconcágua fica ali perto, e o relax com vinhos e boa comida depois da prova está garantido. tmxteam.com/indomit 

Desafio Volcán Copahue
Quando: 11 de março
Aos pés do vulcão Copahue, na província de Neuquén, na Argentina, a prova conta com distâncias de 6 km, 12 km e 24 km. No começo da temporada, as temperaturas e os trechos de neve são mais amenos, por isso é uma boa opção para quem quer reconhecer o local, correr em altitude e se aclimatar. desafiovolcancopahue.com

Patagonia Run Mountain Hardwear
Quando: 6 e 7 de abril
São seis distâncias, de 10 km a 100 milhas (160 km), ao redor de San Martin de los Andes, na Argentina, região do Parque Nacional Lanín. A corrida faz parte do Ultra Trail World Tour. A distância de 100 milhas passa pelo cume do Cerro Chapelco. patagoniarun.com

Copahue Extremo
Quando: 29 de setembro
Nessa prova, o cenário é o do vulcão Copahue, na Argentina. Por ser no fim da temporada de neve, a coisa fica mais séria. Há opções de inscrição para 10 km (aproximadamente 2 km de trilha e 8 km em raquetes de neve) e 20 km (5 km de trilha e 15 km em raquetes de neve). A cota mínima de altitude é 1.900 metros, chegando a 2.150 metros – prepare os pulmões. copahueextremo.com.ar

*Reportagem publicana na edição nº 149 da Revista Go Outside, março de 2018.