Sonhe acordado

Está de férias marcadas, mas não sabe direito para onde ir? Relaxe


HORA DO MOCHILÃO: A Patagônia é uma das nossas sugestões de viagens do sonho

Por Andrea Estevam, Camila Junqueira, Erika Sallum, Maria Clara Vergueiro, Mario Mele e Kate Siber

Pesquisamos adoidado e descobrimos os melhores lugares e as aventuras mais sensacionais do planeta para você curtir seu merecido descanso – sem descansar tanto assim.

RAFTING + CANOAGEM + SUP

Remada na Polinésia

Moorea é uma das ilhas mais lindas do mundo, um playground de picos vulcânicos e lagoas azul-turquesa. A melhor forma de se explorar a região é no meio de transporte mais típico do lugar: a canoa havaiana. A Moorea Outrigger Expedition, da agência Tahiti Expeditions, oferece uma circunavegação de nove dias durante os quais os participantes remam 60 quilômetros por baías e corais em canoas para seis pessoas – podendo optar ainda entre mergulhar e fazer snorkeling com golfinhos, surfar ou caminhar pelos vales tropicais. A hospedagem é em barracas montadas em praias de areias brancas ou em hotéis cinco estrelas (os hóspedes escolhem). No sétimo dia, cometa o pecado da gula num banquete tradicional de peixes, folhas de inhame, banana-da-terra e pudim de frutas.

Quando ir: O ano todo

Preço: A partir de US$ 2.850

Dificuldade: Nenhuma, só curtição

Duração: 9 dias

Quem leva: tahitiexpeditions.com

Stand-up paddle em Jeri

Jericoacoara, no Ceará, foi descoberta por mochileiros na década de 1980 e hoje é reduto de wind e kitesurfistas. Os ventos alísios do litoral, principalmente entre julho e janeiro, são os maiores responsáveis por atrair os esportistas. Mesmo que esse não seja seu caso, ainda é possível passar bons momentos na vila de pescadores. O ClubVentos, um dos maiores centros náuticos do Brasil, oferece aulas de stand-up paddle dentro do Parque Nacional de Jericoacoara. A remada corta o manguezal do rio Guriú, um passeio que geralmente é feito em balsas a remo. Na enseada de Jeri, ondas pequenas e perfeitas são a escola perfeita para quem quer também surfar com o pranchão de SUP.

Quando ir: O ano inteiro

Preço: R$ 140 (hora/aula + aluguel diário de equipamento)

Dificuldade: Fácil

Duração: Quantos dias você quiser

Quem leva: clubventos.com

Corredeiras na Sibéria

Quando a Echo River Trips convidou Vladimir Gavrilov, autor de um livro sobre águas brancas na Rússia, para guiar uma expedição em seu rio favorito, ele escolheu o Kaa-Khem. A descida de 267 quilômetros começa com um helicóptero Mi-8 te deixando na província de Tuva, no sul do país e a 80 quilômetros da fronteira com a Mongólia. Com águas claras como vodka e quedas velozes – um trecho particularmente violento de 16 quilômetros oferece mais de 30 corredeiras III e IV –, o Kaa-Khem é um parque de diversões para quem curte canoagem. Curiosidade: o rio, próximo ao centro geográfico do subcontinente asiático, é o local mais distante que se pode estar de um oceano. Outra atração são os peixes: o Kaa-Khem é lar de um tipo de salmão muito briguento e do raro taimen, uma gigantesca criatura que se alimenta de ratos.

Quando ir: Durante o verão no hemisfério norte

Preço: US$ 5.660

Dificuldade: Desafiadora

Duração: 24 de julho a 7 de agosto

Quem leva: echotrips.com


EU QUERO ÁGUA: O Taiti oferece aventuras aquáticas imperdíveis

Pai e mãe do Butão

Zach Collier, co-proprietário da agência Northwest Rafting Company, foi um dos seletos 25 mil viajantes admitidos no Butão no ano passado. Sua estratégia: ficar amigo de Ugyen Dorji, um guia local e instrutor de rafting nas horas vagas. No segundo semestre, a dupla oferecerá dois roteiros de rafting pelo país, nos rios Mo Chuu (“rio Mãe”) e Po Chuu (“rio Pai”). As corredeiras vão de classe II até classe IV, com confluências marcadas com as típicas bandeirolas budistas de boa sorte. Em vez das tradicionais descidas de vários dias, você fará remadas de meio período, com saídas para pedalar e visitar templos. As noites são curtidas num luxuoso acampamento no vale Punakha, com barracas de safári, comida caseira e vistas do Himalaia.

Quando ir: No segundo semestre de 2011

Preço: US$ 4.900

Dificuldade: Média, se você tiver alguma experiência com rafting

Duração: De 24 de outubro a 7 de novembro; e 7 a 21 de novembro

Quem leva: nwrafting.com

Caiaque na Escócia

O roteiro da operadora escocesa Wilderness Scotland foi escolhido pela revista National Geographic como um dos 50 melhores de 2011. É fácil concordar: são seis dias remando de caiaque oceânico pelas paisagens deslumbrantes da costa escocesa, numa expedição de luxo. Ao final de cada dia, os privilegiados turistas podem descansar em confortáveis acomodações e curtir excelentes restaurantes e pubs locais. Os grupos são formados por, no máximo, oito pessoas, com dois guias feras do remo – ou seja, além de aproveitar o visual e os vilarejos do país, você ainda volta bem mais experiente nesse esporte.

Quando ir: Saídas em 2011 acontecem em 28 de agosto e 11 de setembro

Preço: £775

Dificuldade: Moderada

Duração: 6 dias

Quem leva: wildernessscotland.com


ESCÓCIA: Aventuras aquáticas


MULTIESPORTES

As várias faces do Alasca

A filosofia por trás da expedição Ultimate Alaska, da agência Alaska Wildland Adventures (AWA), é simples: experimentar quase tudo que o 49o estado norte-americano tem a oferecer. A jornada de oito dias começa e termina na cidade de Anchorage e inclui caiaque no Kenai Fjords National Park, trenó puxado por cachorros nos arredores da cidade de Girdwood, cavalgada pelas florestas de abetos das montanhas de Chugach, rafting ou pesca de trutas no rio Kenai e trekking pela floresta mais setentrional da América do Norte, depois de um voo em hidroavião. Os clientes descansam em um dos três refúgios da AWA, incluindo recém-construídas cabanas localizadas numa praia rochosa no meio dos fiordes do Kenai. As varandas têm vistas para a geleira Pedersen, e para uma infinidade de lontras do mar, cabritos e ursos.


PÉ NA TÁBUA: Se jogue em uma temporada multiesportiva no Alasca


Quando ir: Durante o verão no hemisfério norte

Preço: US$ 4.495

Dificuldade: Fácil

Duração: De 7 e 14 e agosto

Quem leva: alaskawildland.com

TREKKING + MONTANHISMO

No alto do Roraima

Todo mundo sabe onde ele fica, mas poucos já foram lá. O monte Roraima integra uma cadeia de montanhas tepui – aquelas formações achatadas, que parecem mesas – que se estende do extremo norte do Brasil à Venezuela e Guiana. O roteiro de dez dias da Pisa sobe a trilha que vai ao topo do monte. Por isso, disposição é essencial: até lá são 5 horas de caminhada, com paradas em mirantes e cachoeiras para entrar em contato com a fauna e flora da região, uma das mais ricas do país. Some ao roteiro almoço na tribo indígena San Francisco de Yuruani e uma chegada até a cachoeira de Jaspe, já no meio da selva, um paraíso natural ao sul da Venezuela conhecido como Gran Sabana. Os pernoites são em barracas.

Quando ir: Entre novembro e março

Preço: R$ 4.160

Dificuldade: Desafiadora

Duração: 10 dias

Quem leva: pisa.tur.br

Caminhos sagrados do Nepal

Veja o topo do mundo sem passar pelo circo do campo base do Everest nesse roteiro de 14 dias. Grupos de até 15 participantes caminham pelo exuberante e escarpado vale do rio Dudh Kosi (de 2.600 a 3.400 metros) até mirantes com vistas para o Everest, Lhotse e Nuptse. Durante o dia, exploram vilas remotas como a Thame, que já foi uma importante parada na antiga rota de comércio de sal, e atravessam as encostas do monte sagrado Khumbi Yulha. Durante a noite, pousadas familiares simples recebem os visitantes, que podem se deliciar com a comida típica nepalesa. Ponto alto: uma noite no mosteiro de Tengboche apreciando o cântico e a meditação dos monges, e a música tradicional com tambores e cornetas.

Quando ir: De março a maio ou setembro a dezembro

Preço: US$ 2.850, mais US$ 299 pela ida e volta de Katmandu a Lukla

Dificuldade: Fácil, se você estiver disposto a caminhar

Duração: Dias ou semanas, dependendo do seu pacote

Quem leva: rei.com

Veadeiros sem crowd

A Travessia Leste é um roteiro alternativo da Chapada dos Veadeiros (nordeste de Goiás) para fugir das áreas mais procuradas, como o vale da Lua e o Parque Nacional. O trajeto de 100 quilômetros que liga os municípios de Alto Paraíso e São João D’Aliança, passa pelas cachoeiras da Água Fria e do Macaco, entre outras. A opção de se fazer cascading em cada uma delas aumenta o contato com a natureza durante os trechos molhados. No seco, a jornada segue pelo cerrado de altitude da serra Geral do Paranã e, para fechar em grande estilo, canionismo no vale do rio Macaquinho: um percurso aquático de 2 quilômetros, com duas descidas de rapel, te colocará dentro de cânions e piscinas naturais de quartzito com água verde-esmeralda.

Quando ir: Entre maio e setembro

Preço: R$ 2.234

Dificuldade: Médio a difícil

Duração: 7 dias

Quem leva: venturas.com.br e travessia.tur.br


PRIVÊ: Fuja das multidões com um roteiro alternativo na Chapada dos Veadeiros, em Goiás

Caminhada na Mongólia

Estepes verdejantes e pradarias cor de esmeralda. Vales de florestas e pântanos. Lagos azul-turquesa e picos gelados. O Altai Tavan Bogd National Park, localizado na região de Altai-Sayan, no oeste da Mongólia, tem tudo isso e muito mais. Explore o parque em um trekking de 15 dias na trilha Tusker. Neste roteiro, 16 clientes, seis camelos, um guia local e um cozinheiro atravessam entre uma média de 15 impressionantes quilômetros por dia, caminhando ou cavalgando, passando por cabras montanhesas, linces e falcões. As acomodações são em barracas bem estruturadas e, em algumas noites, em cabanas circulares típicas dos nômades locais. Se você tiver sorte, seus anfitriões podem te mostrar um pouco de sua tradição milenar de caçadas com águias douradas.

Quando ir: O ano todo, mas sugerimos os meses mais quentes

Preço: US$ 5.140

Dificuldade: Fácil

Duração: 15 dias

Quem leva: tusker.com


EXÓTICO: Aventure-se a pé ou a cavalo, pelos rincões da Mongólia

Tríplices montanhas da África

Três semanas, três países e três montanhas de mais de 4.800 metros. O novo e ambicioso itinerário da KE Adventure Travel começa com quatro dias de aclimatação nas encostas escarpadas e cobertas de pedregulhos do monte Quênia, com seus 4.983 metros. Após o cume, segue-se por estrada até a fronteira da Tanzânia para uma rápida subida de três dias na selvagem face norte do Kilimanjaro, de 5.894 metros. Dali, você voa por cima do Vitória, o maior lago tropical do mundo, até Uganda, para uma caminhada de oito dias até o topo do monte Stanley, de 5.105 metros. Não espere acomodações elegantes: você dormirá em barracas de safári e cabanas de acampamento base, e as refeições serão típicas de montanhista (mingau, café, macarrão). Espere, sim, algumas dos melhores visuais da África.

Quando ir: O ano todo, dependendo do cronograma da agência

Preço: US$ 6.525, incluindo taxas de entrada nos parques

Dificuldade: Média a desafiadora, para bem condicionados

Duração: De 22 de dezembro a 14 de janeiro

Quem leva: keadventure.com

Trilha em Utah

Apontada pela Outside norte-americana como uma das melhores viagens em Parques Nacionais dos EUA, este trekking no Zion National Park, em Utah, combina exclusividade e rusticidade de um jeito raro. Isso porque a operadora é a única com autorização do governo para levar turistas aos arredores mais selvagens do parque por mais de um dia. O roteiro, sempre acompanhado por guias experientes, inclui caminhadas por vales, falésias e cavernas, além de canionismo, escalada leve, duas noites em hotel e camping, com direito a dormir debaixo de uma concentração colossal de estrelas.

Quando ir: Junho, julho e setembro

Preço: U$ 4.500

Dificuldade: Fácil

Duração: 5 dias

Quem leva: soladventure.com

ESQUI E SNOWBOARD

Snowboard no fim do mundo

A estação de esqui Cerro Castor está a 26 quilômetros de Ushuaia, a cidade mais austral do mundo, na Argentina. São 29 quilômetros esquiáveis, divididos em 15 pistas de três níveis. Fora delas, snowboarders e esquiadores mais experientes têm ainda várias opções. Neste roteiro da Freeway, estão inclusos três dias de traslado de Ushuaia até Cerro Castor para esquiar. Os outros três dias são opcionais – os custos ficam por conta do cliente e é possível variar as atividades, como atravessar o Valle Tierra Mayor em trenós puxados por cães, navegar no estreito de Beagle ou fazer um passeio noturno usando sapatos de neve em um bosque iluminado por tochas – no mínimo, diferente.

Quando ir: Julho

Preço: US$ 1.564 (com aéreo)

Dificuldade: Média

Duração: 8 dias

Quem leva: freeway.tur.br


SHOW: Que tal um rolê de snow pela Argentina?

Heli-ski na Groenlândia

Arne Hardenberg, ex-membro da equipe de esqui alpino da Groelândia, é guia de uma viagem de cerca de uma semana em barco e esqui pela costa oeste de seu país. Até 12 pessoas aproveitam ao máximo seis dias de esqui em neve virgem, dormindo em beliches numa kisaq, uma balsa de madeira de 25 metros. O helicóptero segue a embarcação e leva os passageiros do mar até o topo das montanhas de quase 2.000 metros que margeiam os 80 quilômetros do fiorde Eternity. As tardes são aproveitadas em caiaques marítimos, esquiando no mar ou pescando o próprio jantar. Abril é o melhor mês para neve, luz (o dia dura 14 horas) e temperatura, que oscila por volta dos 6 oC.

Quando ir: Abril é o melhor mês

Preço: US$ 13.100

Dificuldade: Intermediária ou desafiadora, para quem sabe esquiar

Duração: 6 dias

Quem leva: greenlandextreme.com

CICLISMO

Em duas rodas na Puglia

A região de Puglia é exatamente o salto da bota da Itália, uma charmosa península que se torna o pretexto ideal para os amantes das viagens sobre duas rodas. O visual já seria suficiente para que o roteiro oferecido pela Bike Expedition integrasse a lista das viagens dos sonhos. Mas, para não deixar dúvidas, a operadora resolveu fazer deste um destino “premium”: depois de passar o dia pedalando pela costa ao lado de casinhas brancas e com o mar azul ao fundo, você ainda se hospeda em hotéis top de linha, com todas as mordomias imagináveis.

Quando ir: De maio a setembro

Preço: €3.390

Dificuldade: De moderada a desafiadora

Duração: 7 dias

Quem leva: bikeexpedition.com.br

França clássica

A pedalada de seis dias e cinco noites da agência Cyclomundo, que parte do lago Geneva (a 370 metros do nível do mar) até o mítico Alpe d’Huez (1.860 metros), é tão linda quanto dura. Ao longo do percurso de 360 quilômetros, os ciclistas enfrentam algumas das mais cabeludas subidas dos Alpes franceses – incluindo a Colombière e a Galibier, que integram o Tour de France – aproveitando o visual do Mont Blanc no caminho. A Cyclomundo oferece opções auto-guiadas – hospedagem, refeições, um GPS, mapas e um mecânico de bike estão incluídos, mas não um guia. Mas, se você precisa de motivação, escolha o pacote completo, que vem também com cara para te puxar, veículo de apoio e um pelotão de até 15 viajantes.

Quando ir: O ano todo

Preço: US$ 910 (auto-guiada) e US$ 1.250 (com guia)

Dificuldade: Desafiadora, para quem já pedala bem

Duração: 6 dias

Quem leva: cyclomundo.com

Mountain bike pela Patagônica

O hotel La Confluencia, construído há 16 anos na Patagônia argentina, fica na isolada confluência dos rios glaciais Azul e Encanto Blanco. No vale que acompanha o rio, o filho do dono do hotel – que já foi campeão argentino de downhill – construiu um labirinto de singletracks com 8 quilômetros. Usando a infraestrutura montada no local, a agência norte-americana Sacred Rides oferece uma viagem de nove dias em que os participantes atravessam pradarias alpinas e florestas, fazem ioga matinal ao lado do rio, descem corredeiras classes II a IV (aulas para iniciantes estão disponíveis) e relaxam numa jacuzzi quentinha, para depois comer um belo churrasco.

Quando ir: De novembro a março

Preço: US$ 2.250, mais US$ 400 para alugar uma bike Cannondale full-suspension

Dificuldade: Média

Duração: 9 dias

Quem leva: sacredrides.com


CHEGA DE RIVALIDADE: Faça amizade com nossos hermanos argentinos em uma trip pela Patagônia

Bike nas praias de Portugal

Estar com o pedal em dia é fundamental para percorrer os 317 quilômetros pelas praias do Alentejo, no sudoeste de Portugal. A média diária é de 63 quilômetros, mas fique despreocupado quanto à monotonia: campos, dunas, planícies costeiras e praias de falésia se revezam na paisagem desse roteiro, cujo percurso é 70% feito em trilhas. Em um dos dias, a missão é atravessar uma floresta de sobreiros (árvore da família do carvalho), num constante sobe-e-desce cortando a flora colorida e endêmica do sudoeste europeu. No itinerário, estão ainda as praias de águas transparentes do Algarve e as cidades históricas de Lagos e Sagres, que foram influentes na época das grandes navegações.

Quando ir: Entre abril e junho, e de setembro a outubro

Preço: US$ 3.400 (aéreo incluso)

Dificuldade: Desafiadora

Duração: 7 dias

Quem leva: pisa.tur.br


Ô,PÁ! : Visite as praias de Portugal em duas rodas

Downhill nas trilhas incas

Misture 30 mil quilômetros de opções de singletracks, montanhas de 6.000 metros e registros históricos de civilizações antiquíssimas. O resultado é um roteiro de deixar qualquer amante de mountain bike babando, com 10 dias pedalando pelas paisagens peruanas, com downhills cheios de poeira, sob a tutela de dois guias experientes. É uma maneira única de unir a paixão pelos rolês sobre duas rodas a uma tonelada de história, fugindo das muvucas que geralmente dominam os tradicionais roteiros para Machu Picchu. Os pernoites são feitos em Lima e Cuzco, em hotéis com paredes de mais de 500 anos.

Quando ir: O ano todo

Preço: U$ 2.395

Dificuldade: Desafiadora

Duração: 10 dias

Quem leva: sacredrides.com

De bicicleta pela Espanha

A Catalunha é uma comunidade autônoma no noroeste da Espanha que abriga as montanhas dos Pirineus. Enquanto você estiver pedalando entre essa área e o Mediterrâneo, cada refeição será iniciada com os famosos aperitivos espanhóis conhecidos como tapas – pães incrementados com fatias de presunto cru, queijo e salame. A “sessão degustação” anima para o pedal, que não será fácil. Para fugir das rodovias, o percurso é por estradas de terra e cascalho, cheio de subidas. Some a isso o fato de que você estará no Pirineus, onde picos acima dos 3.000 metros de altitude são frequentes. Por dia, o pedal gira em torno dos 70 quilômetros. Acha pouco? Há a opção Century, para fechar o dia com 100 quilômetros. Há também um pacote familiar: enquanto você pedala, a empresa cuida para que o resto do clã se divirta tanto quanto você.

Quando ir: Entre março e junho; e de entre setembro a novembro

Preço: US$ 4.995

Dificuldade: Média

Duração: 6 dias

Quem leva: butterfield.com.br

SURF

Surf de luxo no Peru

Não existe possibilidade de você entrar no mar de Trujillo, no Peru, e não sair feliz da vida. Isso porque a região é agraciada com a esquerda mais longa do mundo, o que significa que, uma vez na onda, você segue nela pela eternidade de 1 minuto inteiro. Se o surf for intermediário, dá para arriscar manobras mais arrojadas sem medo. De quebra, há ainda a chance de visitar pontos turísticos históricos, como a cidade de barro de Chan Chan e as ruínas Huaca de El Sol y La Luna. O toque final do roteiro é a hospedagem: o pacote contempla sete noites no hotel Chicama, um resort de luxo especialmente dedicado a surfistas.

Quando ir: De março a novembro

Preço: U$1.163, em quarto duplo

Dificuldade: Todos os níveis

Duração: 8 dias

Quem leva: surftravel.com.br

Ondas filantrópicas na Nicarágua

A Roadmonkey é uma agência de Nova York que se vale do slogan “aventura filantrópica”. Isso porque, em cada pacote, há um trabalho voluntário embutido. Neste aqui, você terá a oportunidade de explorar a costa de San Juan del Sur, na Nicarágua, durante os três primeiros dias. O sul dessa cidade conserva praias intocadas, com boas ondas e sem multidões (há aulas especiais para iniciantes). Em Granada, cidade a uma hora da capital, Manágua, estão reservados um mergulho em lago vulcânico e caminhadas em trilhas que costuram a floresta próxima à orla. A boa ação fica para os últimos três dias: você participará da construção de um sistema de tratamento de água no norte do país, com a ajuda da comunidade local.

Quando ir: Janeiro de 2012

Preço: R$ 2.600

Dificuldade: Fácil

Duração: 8 dias

Quem leva: roadmonkey.net


VELA + MERGULHO

Encanto Vermelho

O potencial subaquático do Egito é tão fascinante quanto o arqueológico. O mergulho nas águas quentes e claras do Mar Vermelho tem visibilidade superior a 40 metros. Com todo o conforto a bordo de um barco de 110 pés, você seguirá para Daedalus Reef, uma grande plataforma de coral de 400 m² localizada a cerca de 60 quilômetros da costa. Lá, as paredes descem a 80 metros de profundidade, e é quase certo o encontro com diversas espécies de tubarão. A fauna é rica e colorida, formada principalmente por peixes-palhaço, barracudas e gigantescos peixes-napoleão, uma espécie ameaçada de extinção. Ao todo, você terá a oportunidade de fazer 22 mergulhos – com opções de alguns noturnos – durante os 13 dias de viagem. Em terra, as visitas passam pelo templo de Karnak, o maior do Egito Antigo, o museu de Luxor, os Colossos de Menon e o vale dos Reis, onde estão as tumbas dos faraós.

Quando ir: Outubro de 2011

Preço: US$ 3.056 (terrestre e barco)

Dificuldade: De intermediária a desafiadora

Duração: 13 dias

Quem leva: nautilusdive.com.br


SEM FÔLEGO: Mergulhe e descubra os tesouros submersos do Mar Vermelho, no Egito

Dobrando o Horn

Costuma-se dizer que o Everest está para o alpinista assim como o cabo Horn está para o velejador. Dobrar a última esquina da América do Sul é um sonho para qualquer esportista da vela. É por isso que esse roteiro foi batizado de A Última Aventura. Depois de conhecer Ushuaia, velejar pelo estreito de Beagle, visitar o fascinante museu Martín Gusinde (que guarda a história dos índios yamana), é chegada a hora do desafio extremo: contornar o cabo Horn. A marinha chilena mantém uma estação próxima, mas isso não deixa o local menos intimidador. Mas, com velejadores experientes a bordo e previsão favorável, não há o que dar errado. Após dobrar o cabo e tocar o Atlântico, o mar agitado dá lugar a águas calmas, habitadas por golfinhos, focas, albatrozes e gansos selvagens. Fora do barco, você terá a oportunidade de escalar o pico Navarino, de 1.195 metros, e ter uma visão privilegiada do estreito de Beagle.

Quando ir: Entre março e dezembro

Preço: Entre US$ 300 e 600 por dia, dependendo da embarcação e do número de pessoas

Dificuldade: Fácil a intermediária

Duração: 14 dias

Quem leva: oceanvoyages.com

SOSSEGO + CULTURA + ZEN

Relax na Ponta dos Ganchos

Localizado na cidade de Governador Celso Ramos, a cerca de 40 quilômetros ao norte de Florianópolis, a Ponta dos Ganchos é um dos resorts mais particulares do mundo. Esse mega-hotel de luxo fica numa península exclusiva e dispõe de 25 luxuosos bangalôs “pé na areia”. Devido à topografia – e também para manter a tranquilidade absoluta –, o resort não permite a hospedagem de menores de 18 anos. As dependências são equipadas com sala de cinema, quadra de tênis, academia, salão de jogos e piscina aquecida. Lá fora o ambiente é propício para remar, nadar e mergulhar – a ilha do Arvoredo, um dos melhores points de mergulho do Brasil, está a 11 quilômetros de Celso Ramos.

Quando ir: O ano todo

Preço: R$ 2.820 por pessoa durante 5 dias em bangalô de luxo e com pensão completa

Dificuldade: Moleza

Duração: Você decide

Quem leva: teresaperez.com.br

Pássaros na Amazônia

A reserva de Mamirauá, no estado do Amazonas, é feita de florestas alagadas pelo encontro do rio Solimões com o Japurá. A combinação resulta em um ecossistema muito específico, composto de espécies de animais e plantas adaptados às mudanças de nível das águas. No meio desse paraíso verde, a pousada Ucari – ligada ao Programa de Ecoturismo do Instituto Mamirauá – recebe com conforto os visitantes, que podem passear de barco e lancha pelas águas brancas desses rios para observar as inúmeras espécies de aves e outros animais, como preguiças e macacos.

Quando ir: O ano todo

Preço: A partir de R$ 2.590

Dificuldade: Fácil

Duração: 9 dias

Quem leva: aoka.com.br

Iate na Austrália

Um iate de 113 pés no meio do mar azul, com você e um grupo privilegiado de amigos. Dentro, quatro cabines dignas de um hotel cinco estrelas. Quando você se decidir entre um drinque ou um mergulho, um dos tripulantes atende prontamente a seu pedido. Parece sonho, mas o roteiro existe. Essa viagem pelas ilhas Witsunday, na costa nordeste da Austrália, é perfeita para quem curte atividades aquáticas, mas também quer um tempinho para relaxar. O pacote inclui passeios de caiaque e mergulhos em águas transparentes para ver peixes coloridos e corais. De brinde, visitas a cavernas indígenas e um pouco de história entre uma parada e outra.

Quando ir: O ano todo

Preço: A partir de U$ 10.878 por pessoa ou U$ 60 mil para um grupo fechado de 8 pessoas.

Dificuldade: Baba

Duração: 7 dias

Quem leva: interpoint.com.br

Ioga na Índia

Nove em cada dez praticantes de ioga é vidrado na ideia de conhecer a Índia. O roteiro da Latitudes promove um encontro mais intimista com algumas das principais cidades indianas (Nova Déli, Agra, Jaipur e Jodhpur) e passagens inesquecíveis por outras menores, mas não menos bonitas (Manvar e Pushkar) – com direito a ioga e meditação, passeios em camelos e elefantes e acampamentos em tendas no meio do deserto. Toda a viagem é acompanhada por Marlei Caroli, especialista em Índia e iogue de mão cheia.

Quando ir: Partida no dia 19 de fevereiro de 2012

Preço: a partir de US$ 4.390 (para um grupo mínimo de 6 pessoas, em acomodação dupla)

Dificuldade: Zen

Duração: 13 dias

Quem leva: latitudes.com.br

Cruzeiro na Antártica

Prepare as camadas de roupas e embarque no Antartic Dream para uma viagem pelo Pólo Sul do globo terrestre. Esse navio – um verdadeiro hotel flutuante, equipado com 40 cabines duplas, biblioteca, sala de ginástica, loja e heliponto – zarpa de Ushuaia, na Argentina, e percorre ilhas e paisagens da Antártica, revelando um universo riquíssimo de gelo, pinguins, focas e leões-marinho. Durante o cruzeiro, que dura 11 dias, são realizados trekkings leves e três passeios de caiaque (opcionais) para quem quiser ver de perto icebergs e baleias gigantescas.

Quando ir: De novembro a março

Preço: De U$ 6.900 a U$ 21.300, de acordo com a cabine e a temporada

Dificuldade: Fácil

Duração: 11 dias

Quem leva: antarticdream.com

4 X 4

Road trip pela América do Sul

O roteiro de duas semanas de 4 x 4 promovido pela Gaia Expedições passa pela Argentina, Chile e Bolívia. Na Argentina, o ponto alto é a cidade de Salta, grande produtora de vinho do noroeste do país. No Chile, o objetivo são os vales da Lua e da Morte, no deserto do Atacama. A viagem segue para a Bolívia e, após uma longa travessia de dois dias pelo altiplano boliviano, chega-se ao maior deserto de sal do mundo, o Uyuni. Depois de partir para o leste e cruzar as cidades de Sucre e Santa Cruz de la Sierra, essa grande volta pela América do Sul termina no Brasil, em Campo Grande – mas só depois de encarar a famosa Estrada da Morte.

Quando ir: 8 de outubro

Preço: R$ US$ 5 mil

Dificuldade: Fácil

Duração: 15 dias

Quem leva: gaiaexpedicoes.com


SOY LOCO POR TI, AMÉRICA: As belezas dos altiplanos andinos

Jipe de La Paz ao Rio

Os portugueses continuam mostrando que são bons exploradores. Este roteiro da operadora lusitana Nomad sai de La Paz, na Bolívia, para viajar pelo país num 4 x 4, passando pelo Salar de Uyuni, maior planície salgada do mundo, Potosí e Santa Cruz de la Sierra. De lá, o grupo desembarca em território brasileiro para navegar pelas águas do Pantanal e cruza o território nacional por Bonito, Foz do Iguaçu, Paraty e Praia Grande, até chegar ao Rio de Janeiro, onde a viagem termina. Uma jornada digna de desbravadores, para quem tem espírito aventureiro.

Quando ir: De abril a dezembro

Preço: €2.240

Dificuldade: Fácil

Duração: 25 dias

Quem leva: nomad.pt

CAVALGADA

Cachoeiras de Macacu

A mata atlântica de Cachoeiras de Macacu é uma das mais extensas e preservadas do país – e, felizmente, não tão conhecida da maioria. Localizada entre o Parque Estadual dos Três Picos e o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no Rio, a região encantou o evolucionista Charles Darwin em sua passagem pelo Brasil, em 1832, e agora pode ser descoberta a cavalo. Na Cavalgadas Brasil, grupos de 5 a 10 pessoas andam em cavalos mangalarga por trilhas indescritivelmente lindas, passando por montanhas, riachos e fazendas. De brinde, há ainda paradas para banhos de rio e observação de pássaros, além de acomodação confortável todos os dias.

Quando ir: De março a junho; e de agosto a outubro

Preço: R$ 485

Dificuldade: De fácil a intermediária

Duração: 7 dias

Quem leva: cavalgadasbrasil.com.br


OBSERVAÇÕES: Os preços dos roteiros não incluem a parte aérea (a não ser que esteja assim especificado)

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de julho de 2011)