Luigi Cani encara maior desafio da carreira em prol da Amazônia

Por Redação

Luigi Cani
Luigi Cani abre em queda livre caixa com 300 quilos de sementes. Foto: Joe Jennings.

O paraquedista brasileiro Luigi Cani desafiou a gravidade para semear o coração da Amazônia com mais de 100 milhões de sementes nativas da região.

Leia mais

+ Nicole Barreto e a força feminina nos esportes radicais

+ Já ouviu falar do Hike & Fly? Conheça a modalidade do Rocky Mountain Games

+ Lenda do windsurf, Kauli Seadi é o entrevistado do podcast Gente das Águas

O projeto “100 milhões de sementes” teve como objetivo ajudar na recuperação do meio ambiente, reagindo aos impactos sofridos nos últimos tempos.

Para realizar a façanha, o atleta teve que alcançar e abrir em queda livre uma caixa biodegradável contendo 300 quilos de sementes.

“Toda logística desse projeto foi muito desafiadora”, comenta Cani, que mostrou o desafio no programa Domingão com Huck, da TV Globo. O documentário também será exibido em 30 de abril, no Canal Off (Globosat).

“Sem dúvida o projeto foi o mais importante, até hoje, de toda minha carreira”, afirma Cani, um dos paraquedistas mais conhecidos e respeitados mundialmente.

“Teve um propósito forte do qual me orgulho muito, e acredito que pode inspirar as pessoas a fazer algo parecido. Foi um processo muito árduo e complexo para toda equipe. Tenho muito a agradecer ao governo do Amazonas, Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Amazonas, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAM), Centro de Sementes do Amazonas, Universidade do Amazonas, Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e ao engenheiro florestal Fernando Eduardo, sem os quais nada teria sido possível”, finaliza o brasileiro, que teve o patrocínio de grandes empresas como Audi, BTG Pactual, Oakley e Betano na empreitada.

-Publicidade-