Vai ter surfista mulher, sim, no Mavericks Challenge

Depois de 19 anos categoria feminina de ondas grandes vai competir oficialmente

A surfista de ondas grandes Paige Alms durante o Pe'ahi Challenge em Jaws, na ilha de Maui, no Havaí, quando foi campeã em 2016 – Foto: Brian Bielmann/AFP/Getty

Por Redação

Desde 1999, os principais surfistas de ondas grandes do mundo se enfrentam em um torneio realizado na praia de Mavericks, na Califórnia, conhecida pelas ondas gigantes que por lá se formam. E só 19 anos depois surfistas mulheres de ondas grandes poderão competir no Mavericks Challenge, torneio organizado pelo World Surf League (WSL).

A participação das mulheres na competição tradicionalmente masculina aconteceu após intensa pressão da categoria feminina, que chegou a criar um Comitê para a Igualdade do Surf Feminino. Para esta edição histórica, o WSL intitulou o evento de Women’s Mavericks Challenge e convidou seis surfistas de ondas grandes: Paige Alms, Keala Kennelly, Justine Dupont, Sarah Gerhardt, Emily Erickson e Bianca Valenti. Serão elas e 24 homens no torneio.

A californiana Bianca Valenti sempre foi uma grande defensora da participação de surfistas femininas de ondas grandes nos torneiros de Mavericks. Hoje com 31 anos, Bianca tinha apenas 7 quando se apaixonou pelo surf. Logo estava ganhando campeonatos, competindo contra meninos e meninas. “Finalmente conquistamos um belo passo. Mas temos um longo caminho a percorrer”, disse em entrevista para a revista norte-americana Outside.

O potencial de Mavericks como “point” de big riders ficou conhecido nos anos 1970 quando o então adolescente e local Jeff Clark resolveu encarar as água geladas junto com outros amigos, criando a competição Titãs de Mavericks. Os pôsteres da primeira edição continham o slogan “Homens que Surfam Montanhas”. E o cenário em Mavericks continuou assim por vários anos.

As ondas grandes em Mavericks se devem a uma formação geológica incomum, de grande profundidade, que transforma ondulações do inverno do Hemisfério Norte em “monstros” de até 18 metros de altura. Além disso, Mavericks fica ainda em uma área de presença de tubarões brancos.

Em algumas edições as mulheres eram convidadas para se apresentarem. Uma exposição de uma hora, com nada de prêmio. Em 2016 houve a primeira bateria feminina nos Titãs de Mavericks com uma premiação de US$ 30 mil. Entre as competidoras, estava a surfista brasileira Andrea Moller.

O Women’s Mavericks Challenge deve acontecer em algum momento entre agora e meados de fevereiro, quando as condições do mar o permitirem.

Leia também: Maya quebra recorde com bomba de 80 pés em Nazaré