Ultrabaiana

Uma ultracorrida de montanha em um lindo cenário: a Chapada Diamantina, na Bahia

Por Fernanda Beck, em colaboração com a Go Outside

Em novembro, mais de 500 corredores passaram por Mucugê, uma pequena cidade do sul da Chapada Diamantina, na Bahia, para disputar da Ultra Trail Chapada Diamantina , que nesta edição ganhou percurso inédito de 50 km, em um terreno acidentado, marcado por pedras soltas e riachos pelo caminho – também era possível se inscrever nas distâncias de 5 km, 11 km e 21 km, como já aconteceu em anos anteriores.

Acostumado com corridas de longa distância, o mineiro Ernani Souza venceu a prova com folga, correndo 50 km em 4h43min – 30 minutos a menos do que o segundo colocado, o francês Antoine Dhaynaut.

Único brasileiro a vencer até hoje a clássica El Cruce Columbia – em 2015 –, este corredor mineiro de 41 anos assegurou seu lugar no topo do pódio na Bahia depois de muito treino e estratégia.

Para Sidney Togumi, outro experiente corredor de montanha que é o treinador de Ernani, apesar de o percurso não ter sido muito rigoroso na altimetria, havia partes muito técnicas que dificultavam a progressão. “Era preciso muita atenção para não se machucar”, disse. “Mas Ernani tem preparo e quilometragem de sobra para lidar com estas situações.”

Os idealizadores da prova, Diana Gomes e Alan Pedreira, da Gantuá, estimaram em cinco horas o tempo mínimo para concluir os 50 km da UTCD. Mas Ernani, incrivelmente, conseguiu ser mais rápido do que isso.

“É difícil falar em tempo quando se trata de trail running, pois há muitas variáveis naturais que influenciam. No dia da prova, por exemplo, o rio poderia estar mais cheio, poderia ter ocorrido uma erosão…”, explicou o campeão. “Mas eu larguei pronto para passar sete horas correndo, sem precisar de nenhuma assistência.”

Apenas um único trecho da prova “abalou” Ernani. Mais especificamente entre os quilômetros 38 e 45. “Apesar de ser plano, havia muita areia, a corrida não fluía”, justificou. “Comecei a ficar desanimado, a mente entrou em combate com o físico, mas eu não me rendi. Trabalhei o fator psicológico e mantive o ritmo. Felizmente, consegui fazer uma prova muito boa.”

Como organizadores desta competição pela terceira vez, Diana e Alan decidiram incluir o desafio de 50 km para aproveitar ainda mais as trilhas da Chapada Diamantina, um cenário perfeito para a corrida de montanha. “Também acreditávamos que oferecer um percurso mais longo atrairia mais gente de fora da Bahia”, disse Diana. “Estávamos certos, pois recebemos participantes de 14 estados diferentes.” Junto com Alan, ela sentiu na pele o desafio de promover uma prova de grandes proporções. “A logística é mais complicada em um evento como este. Mais staff, mais custos… É mais difícil, por exemplo, monitorar frequentemente os locais mais inóspitos por onde a prova passa.”

Mas os atletas e visitantes saíram de Mucugê felizes. “Queria muito conhecer a Chapada Diamantina e adorei”, disse Ernani. “Corremos próximos ao Parque Nacional, um lugar com muitas vistas lindas e privilegiadas.”

Portanto, você corredor, coloque na agenda: a próxima edição da UTCD acontece entre os dias 15 e 18 de novembro de 2018. (gantua.com.br)

COMPARTILHAR