Serra da Canastra é uma verdadeira ‘disneylândia’ para aventureiros 

Por Flávia Vitorino

Berço do rio São Francisco, a Serra da Canastra abriga exóticas cachoeiras, rios, trilhas e animais selvagens. É tudo mesmo deslumbrante. Tem um privilegiado cenário que não integra o meu cotidiano da metrópole cansativa de São Paulo. E o melhor: É bem perto daqui.

O lugar é uma espécie de meca dos esportes de aventura. Dos cinco dias que separei para explorar a região, estenderia para o dobro, no mínimo. As opções são tantas que eu já até programei a minha volta. Isso porque o Parque Nacional da Serra da Canastra tem mais de 200 mil hectares e abrange vários municípios: São João Batista do Glória, Delfinópolis, Vargem Bonita, São Roque de Minas entre outros.

Selecionei algumas dicas de atividades que são imperdíveis para quem adora aventura e quer curtir ao máximo a Serra da Canastra:

TREKKING

Já logo no primeiro dia, escolhi descer pela Serra do Rolador até a cachoeira Casca D’Anta, em uma caminhada de 3 horas. O presente foi um mergulho num poço que parecia uma panela de imersão mágica: revigorou para caminhar pelo resto do dia, e daí encarei uma subida até Morro das Cruzes onde tive uma visão 360º do horizonte, vendo o pôr do sol e a lua surgindo.

MOUNTAIN BIKE

Prepare-se porque a sua bike vai rodar muito. As opções são infinitas para todos os níveis de habilidade. O pedal da Serra Branca até o Chapadão da Babilônia, é um dos mais legais, porque você pedala em um vale que abriga a maior jazida de diamante do mundo. Outro pedal, com trechos técnicos e alguns batidões, que vale muito é lá na Serra do Letreiro. É um sítio arqueológico datado de 14 mil anos.

RAPEL

Foi pendurada pelas cordas do rapel no Vale do Céu que vi uma das paisagens mais incríveis dali: A queda de duas cachoeiras lindas canyon adentro, cobertas por árvores que mesclavam seus tons de verde ao intenso azul do céu. Este rapel tem 3 metros de corda a menos e acaba com um salto para o poço da cachoeira.

REMO

O famoso Mar de Minas, no Canyon de Furnas, forma muitos poços naturais para remos, inclusive o mais surpreendente: Cascata e Cascatinha. Você consegue chegar remando até as quedas e a cor da água é fora do comum. Dá para passar o dia inteiro por ali e ainda pegar o pôr do sol no lago ao final do dia.