Respira, não pira

O "Homem de gelo" ensina seu inovador método de respiração a grandes atletas do surf

GURU: O holandês Wim Hof na Polônia, ensinando a um grupo de alunos como respirar para resistir ao frio extremo, em 2014

Atletas como o havaiano Laird Hamilton estão aderindo a exercícios de respiração e crioterapia – elaborados por um holandês misterioso – para dar um gás na performance

Por Shelby Stanger

O surfista profissional havaiano Koa Smith se prepara para a competição de surf Volcom Pipe Pro, na costa norte de Oahu. A praia está lotada de fãs, e as ondas rugem, violentas. Deitado de costas no chão de uma casa, sentindo a areia e respirando lentamente, Koa tenta manter a calma. “Sempre tive dificuldade para ficar tranquilo antes de provas”, diz. “Eu chegava a me esquecer de como era surfar bem. Agora respiro e isso afasta todas as besteiras da minha cabeça.”

Koa faz parte de um crescente grupo de atletas – entre eles o renomado waterman californiano Laird Hamilton – que começou a usar os exercícios de respiração do aventureiro Wim Hof como um modo de atingir o máximo da performance.

Big Wave Surfer Laird Hamilton takes a bath in an ice tub
NUMA FRIA: O waterman havaiano Laird Hamilton em um banho de gelo (Foto: Peter Bohler)

Esse holandês de 57 anos tornou-se um guru meio improvável do condicionamento físico. Wim passou décadas perseguindo façanhas bizarras, quase todas com o objetivo de demonstrar sua habilidade incomum para suportar o frio extremo: já escalou 6.000 metros do Everest vestindo apenas short e tênis; correu uma maratona descalço no Círculo Polar Ártico; ficou submerso em uma banheira de gelo por quase duas horas. A TV holandesa o apelidou, por isso, de “o homem de gelo”.

Wim credita boa parte do seu sucesso aos exercícios de respiração que começou a praticar há cinco anos. Ele diz que sua técnica – que envolve uma série de inspirações e expirações profundas e ritmadas seguidas pela suspensão da respiração – é capaz de fortalecer o corpo, melhorar o sistema imunológico e a circulação, prevenir doenças e ajudar a construir foco, confiança e atenção plena. O que é surpreendente: pesquisas respaldam muitas de suas afirmações duvidosas.

Em 2014, um estudo publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences revelou que as pessoas podem aprender a controlar sua resposta imunológica e o sistema nervoso autônomo depois de apenas dez dias dedicando-se a exercícios de respiração, meditação e exposição ao frio, como Wim faz. No trabalho, 24 participantes – metade deles treinada pelo holandês – receberam injeção da endotoxina E. coli. Aqueles que foram treinados por Wim tiveram resposta inflamatória, imunológica e hormonal diferentes, o que os permitiu combater a infecção significativamente melhor do que o outro grupo.

ALÍVIO: Após treinar respiração, o surfista Koa Smith passou a competir com mais tranquilidade (Foto: Prince and Jacob)
ALÍVIO: Após treinar respiração, o surfista Koa Smith passou a competir com mais tranquilidade (Foto: Prince and Jacob)

“Se Wim me contasse isso pessoalmente, eu teria dito: ‘Parece bobagem de hippie de yoga’”, diz Andy Galpin, pesquisador do Centro para Performance Esportiva da California State University (EUA). “Mas a pesquisa foi divulgada por um periódico científico muito conceituado.” Andy conheceu Wim no ano passado e experimentou ele mesmo sua técnica. “Meu corpo inteiro imediatamente ficou quente”, Andy diz. “Acho que isso se deve porque você aumenta a saturação de oxigênio nos músculos e torna o corpo mais apto para absorver oxigênio e ter um desempenho mais eficiente.”

Wim recomenda tomar um banho gelado, entrar em uma banheira de gelo ou alguma outra forma de submersão na friaca imediatamente depois da sequência de respiração – uma indicação peculiar também apoiada pela pesquisa. “A crioterapia eleva o hormônio norepinefrina”, explica a bióloga Rhonda Patrick. “Isso aumenta o metabolismo da gordura e produz calor.” O frio ainda reduz a inflamação e alivia a dor crônica.

Nos últimos anos, Wim começou a espalhar seus ensinamentos. Em seu website, é possível assinar dez semanas de tutorial em vídeos por US$ 200 ou comprar o e-book Becomingan Iceman [Virando um Homem de Gelo] por US$ 15. Entretanto a maioria dos pesquisadores diz que ainda são necessários mais estudos para comprovar a eficácia desse treinamento. “Parte dos padrões de reação do organismo é compreensível”, diz Pierre Capel, imunologista da Utrecht University, na Holanda. “Porém o conhecimento a respeito dos métodos de Wim ainda não é completo.”

Andy, no entanto, não é desencorajador. “Não vou dizer que se trata de um milagre e que depois de 30 respirações todos os seus problemas terão acabado”, diz. “Mas definitivamente acho que vale a pena tentar.”

Enquanto isso, Brian Mackenzie, estrela norte-americana do CrossFit, se reuniu com o waterman havaiano Laird Hamilton para ensinar surfistas, lutadores de MMA, crossfitters e outros atletas a usarem o método. “A respiração me ajuda na recuperação”, diz Brian. “E eu também me sinto melhor, durmo melhor e estou mais feliz de modo geral desde que passei e praticar os ensinamentos dele.”

Seja sua própria cobaia
Você pode pagar US$ 200 pelas dicas de Wim. Ou pode tentar nosso guia para iniciantes

Siga estes oito passos toda manhã antes de comer, beber ou treinar. E, por precaução, pratique com um amigo por perto.

1. Deite no chão ou sente-se com as costas retas.
2. Inspire profundamente, usando o diafragma para puxar o máximo de ar que conseguir.
3. Expire completamente, mas sem força; apenas deixe o ar sair.
4. Repita a inspiração e a expiração de 30 a 40 vezes, no seu ritmo.
5. Na última repetição, expire e segure o ar até o corpo sentir necessidade de respirar.
6. Inspire profundamente e segure o ar por 10 segundos.
7. Repita os passos 3 a 6 por três ou quatro ciclos.
8. Depois do último ciclo, tome um banho frio. Na primeira tentativa, fique embaixo da água por 30 segundos, e então aumente gradualmente o tempo até chegar a 3 ou 5 minutos.

COMPARTILHAR