Por Redação

Tony Giles é um britânico de 39 anos totalmente cego e 80% surdo em ambos os ouvidos. Em 2008 ainda fez um transplante renal. E mesmo com o que muitos podem achar que são adversidades, Tony visitou os sete continentes do mundo, todos os cinquenta estados dos EUA, cruzou Círculo Ártico, viajou por todos os países da América do Sul e todas as dez províncias canadenses. E isso tudo sozinho.

Já foram 124 países, com direito a salto de paraquedas na Austrália e voo de asa-delta no Rio de Janeiro. A paixão por viajar começou em 2000, durante um intercâmbio universitário nos Estados Unidos. “Viajando sozinho consigo interagir com mais gente”, disse em entrevista à rede britânica BBC.

Em 2010, Tony lançou o livro Seeing the World My Way (“Vendo o Mundo do Meu Jeito”, em tradução livre), no qual narra suas aventuras pelo mundo. Além disso, relata algumas das aventura em seu blog.

Para Tony, viajar é uma experiência para os sentidos do cor                                                                                    po. Quando foi para Jerusalém, ele relatou que ao entrar em mercados, ele era atraído pelo aroma dos temperos, a textura dos tecidos e a barulho dos comerciantes.

Entrevista com a BBC:

“Gosto da atmosfera, dos cheiros. É estreito e compacto. Parece muito autêntico”, descreve para a BBC. Tony também é formado em História Americana, com um mestrado em Estudos Transatlânticos.

Mas nem tudo é assim tão fácil. “É preciso ser paciente, você se perde o tempo todo. É muito difícil procurar algo específico quando você não pode ver, porque obviamente você não consegue identificar”, afirma.

Tony diz também que a solidariedade das pessoas é importante para a viagem seguir.

“Vão passar umas dez pessoas por você até que alguém pare e pergunte: ‘Você está perdido, precisa de ajuda?’. Aí você interage. É como funciona”, explica.