A favor do vento

O kitesurfing de longa distância é a oportunidade perfeita para quem quer conhecer o litoral brasileiro sob uma perspectiva ousada e diferente

Que tal viajar muitos quilômetros pelo mar, conhecendo praias novas e as cidades vizinhas a elas sem a necessidade de um carro? Esta é a proposta do kitesurf de longa distância, vertente do esporte que passa longe da competição, priorizando a criação de uma conexão do viajante com o sentimento de exploração e aventura. 

Aproveitando as condições favoráveis ao esporte que predominam no Ceará, as viagens são feitas de maneira simples, sempre velejando a favor do vento, e proporcionam um desprendimento completo do mundo e das estradas comuns. Contando com a ajuda de um carro de apoio, os kitesurfistas levam consigo apenas o necessário, como uma mochila à prova d’água com itens básicos e algum dinheiro para as paradas estratégicas feitas pelo caminho.

A ideia é conhecer novos destinos usando apenas o combo “pipa + prancha” como meio de transporte. Em terra, os equivalentes do kitesurf de longa distância poderiam ser a escalada em big walls, com projetos que duram dias na parede, grandes expedições por diferentes modais, ou até mesmo uma simples caminhada por trilha longa, em que se avança pelo desconhecido por dias e noites.

O detentor do recorde mundial de distância em kite é o brasileiro Francisco Lufinha, que em 2015 percorreu 874 quilômetros sem paradas, de Lisboa à Ilha da Madeira, em Portugal, em um trajeto que durou 47 horas  em mar aberto.

O vídeo abaixo, da agência Surfin Sem Fim, mostra como funcionam as deliciosas aventuras aquáticas. Confira:

SHARE