Com relevo montanhoso espalhado por todo o território e 411 quilômetros de costa litorânea, o Espírito Santo reserva paisagens impressionantes e destinos estratégicos para quem curte escalada, trekking, mountain bike e, claro, surf

Por Sheyla Miranda

O Espírito Santo está na lista de destinos das suas próximas férias? Não? Então talvez seja uma boa hora para você reconsiderar o roteiro. Rodeado por três dos estados mais visitados por turistas no Brasil – Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia –, o Espírito Santo não é uma opção óbvia para quem procura por belas praias, pelo sossego de uma casa no alto da serra ou por novos lugares para praticar esportes outdoor. Mas vale muito a pena visitá-lo: o estado oferece opções de lazer para todos os gostos, tem um povo muito hospitaleiro e uma moqueca deliciosa, preparada com vegetais e frutos do mar em tradicionais panelas de barro. A estrutura de serviços está sendo ampliada para receber melhor quem quer conhecer as terras capixabas, e ainda há muito para ser explorado, principalmente quando o assunto é turismo de aventura. Para quem está em busca de desafios em novas e exuberantes paisagens, é um prato cheio: lá ficam atrações imperdíveis como o Parque Nacional do Caparaó, o Monumento Natural dos Pontões Capixabas e as praias de Regência e Barra do Sahy.

PAREDAÇOS: Parque Nacional dos Pontões Capixabas (Foto: Oswaldo Baldin)

De olho no número cada vez maior de pessoas que desembarcam por ali para escalar, surfar, pedalar e praticar trekking, o governo do estado se uniu à ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura) para implantar o programa Aventura Segura. Desde 2010, várias empresas de turismo do Espírito Santo estão sendo treinadas para se encaixarem nas normas de segurança ditadas pelo Ministério do Turismo, reunidas sob a sigla NBR 15331. O processo deverá chegar ao fim entre fevereiro e março de 2013, e as empresas, que serão certificadas pelo Inmetro, terão mais competência técnica para operar seus roteiros, o que na prática significa oferecer mais segurança para esportistas e turistas.

A seguir, selecionamos lugares e dicas de atletas e associações de esportistas para você curtir ao máximo as belezas e os desafios do Espírito Santo:

Escalada

Com uma comunidade ativa de escaladores, que estão sempre dispostos a ajudar atletas mais novos e visitantes através da Associação Capixaba de Escalada, o Espírito Santo tem ótimos picos para os adeptos do esporte. Segundo Oswaldo Baldin, escalador profissional e também instrutor, para quem quer praticar escalada tradicional vale a pena conhecer os paredões do Monumento Natural dos Pontões Capixabas, localizado entre as cidades de Pancas e Águia Branca, no norte do estado. São mais de dez montanhas, como a Pedra do Camelo, de 500 metros de extensão, cuja via Deserto Vertical é de grau 7 de dificuldade.

Para se hospedar na área urbana de Pancas, uma boa pedida é a pousada Ninho da Águia, que tem vista para os impressionantes paredões da região. Para os amantes da escalada esportiva, o escalador Naoki Arima recomenda a montanha Calogi, localizada no município de Serra (a menos de 1 hora de Vitória) e detentora da via mais difícil do estado (Avalanche, 9c), aberta por Caio Salomão em 2011. Quando estiver lá no alto, aproveite para observar a densa vegetação que recobre o entorno do Calogi. O Complexo de Viana (a 20 quilômetros de Vitória) também oferece desafios, entre eles a via Tiru-Liru (9a), assim como o Morro do Moreno, em Vila Velha, com a via Matrix (8c).

Trekking

O esporte tem crescido bastante no estado, alimentado principalmente por praticantes de Minas Gerais e da Bahia. Quase todas as boas trilhas de trekking do Espírito Santo são localizadas dentro de parques estaduais, o que exige planejamento prévio – para entrar em todos eles, é necessário ligar e agendar sua visita. Para quem está a fim de paisagens estonteantes e de uma caminhada de ritmo intenso, a pedida é seguir até o Parque Nacional do Caparaó, localizado na divisa entre ES e MG e lar do Pico da Bandeira, de 2.890 metros de altitude. Marcio Borgo, da Enduro de Aventura, recomenda se aproximar do parque pelo distrito Pedra Menina, em Dores de Rio Preto, onde há pousadas e campings confortáveis.

De lá, há um trajeto de 9 quilômetros que pode ser feito de carro até a Casa Queimada, que é a portaria capixaba do Caparaó, já nos 2.160 metros de altitude. Depois, começam os 4,2 quilômetros de subida acidentada e íngreme que levam ao topo do Pico da Bandeira e à vista incrível das montanhas dos dois estados. Se você procura por um roteiro um pouco mais ameno, porém não menos bonito, visite o Parque Estadual da Pedra Azul, no distrito de Domingos Martins. Lá existem diversas trilhas de cerca de três horas, de nível médio a avançado, para chegar ao topo da Pedra Azul, de 1.822 metros de altitude. Do alto, é possível avistar os muitos vales da região e curtir o clima agradável em todas as épocas do ano.

Mountain bike

TRILHAS SHOW: Pedale em percursos lindos, que cruzam praias e montanhas

Com renomados campeonatos de mountain bike desde 2005, o Espírito Santo é invadido todos os anos por mineiros e baianos loucos para competir em suas trilhas ainda pouco exploradas. São pelo menos duas provas por ano, a Copa Capixaba MTB e a Copa Interestadual de MTB, com trechos também nos estados vizinhos. Para quem quer apenas treinar ou passear, Sidney Ataide, o Sidão, organizador dos campeonatos e proprietário da Casinha de Aventuras, indica a trilha do Sufoco, localizada no município de São Mateus, no nordeste do Estado, uma das mais difíceis do território capixaba. São 65 quilômetros de pista estreita e sinuosa dentro da mata, com trechos de subida íngreme que exigem muita técnica do participante.

Se a ideia é pedalar e aproveitar uma paisagem diferente, vale apostar nas trilhas do Parque Estadual de Itaúnas, em Conceição da Barra, a cerca de 260 quilômetros de Vitória, uma unidade de conservação de mais de 3.200 hectares com ecossistemas variados: praias, manguezal, restinga, rios e dunas. Uma das principais trilhas é a Costa Dourada, de 70 quilômetros de extensão e que exige alguma experiência e ótimo preparo físico, já que há trechos de terra, de areia e sobre falésias. A Casinha de Aventuras monta pacotes de trilhas, hospedagem e também aluga equipamentos.

Surf

INDONÉSIA CAPIXABA: Ondas perfeitas te esperam na praia de Regência (Foto: Rino de Souza)

Diante das ondas de altíssima qualidade, não espanta que o surf seja o esporte mais popular do Espírito Santo. O estado oferece picos ainda pouco explorados pelos turistas, mas bem conhecidos e apreciados pelos atletas nativos. No topo do ranking, figura a praia de Regência, no distrito de Linhares, 120 quilômetros ao norte de Vitória. Localizada na foz do rio Doce e em uma pequena e bucólica vila de pescadores, a praia tem ondas fortes e constantes e uma das melhores quedas do Brasil. Oswaldo Bissoli, da Federação de Surf do Espírito Santo e fundador do portal Onda On, conta que na saída do rio quebra uma esquerda longa e tubular, e por isso a praia é apelidada pelos locais de a “Indonésia capixaba”.

A pousada com a melhor estrutura da região é a Farol da Vila, a poucos metros da areia. Já na Barra do Sahy capixaba, conhecida pelos surfistas como Xangão, as direitas são extensas, tubulares e conhecidas como as mais perfeitas do estado. É preciso ir de barco até a bancada do Xangão, e na praia há pessoas que fazem esse transporte. Para se hospedar, o melhor é ficar em Aracruz, cidade a 20 quilômetros da praia e com boa estrutura de pousadas e restaurantes. Caso queira ver um grande número de capixabas dentro d’água, siga para o Balneário de Jacareípe (em Serra) ou para a praia do Ulé (em Guarapari). Ambas têm ótimas ondas praticamente todos os dias.

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de novembro de 2012)