Desde pele mais saudável a menos vitaminas

O veganismo, a dieta baseada em vegetais que evita carne e laticínios, está ganhando cada vez mais adeptos. A motivação é variada, mas inclui preocupações sobre o bem-estar animal, com o meio ambiente e até motivos religiosos.

Para aqueles que seguiram uma dieta rica em carne e laticínios durante a maior parte de suas vidas, embarcar numa dieta vegana pode levar a mudanças significativas no corpo.

O site da CNN Health conversou com a professora de nutrição e dietética do King’s College London, Sophie Medlin, que explicou as mudanças fisiológicas que ocorrem quando você para de ingerir alimentos de origem animal.

Primeiras semanas

A primeira mudança que alguém que está começando uma dieta vegana pode notar é um aumento de energia com a remoção da carne processada. Ao inserir mais frutas, legumes e nozes na dieta, esses alimentos aumentarão seus níveis de vitaminas, minerais e fibras.

Ao longo das semanas sem produtos animais, é provável que ocorra uma mudança na função intestinal para um padrão mais regular e saudável ou um aumento no inchaço e na prisão de ventre. Com uma dieta vegana, a tendência é consumir mais fibras e carboidratos. Porém, com o aumento dos dois, a fermentação ocorre simultaneamente, podendo causar a síndrome do intestino irritável.

Três a seis meses depois

Após vários meses em uma dieta vegana, algumas pessoas podem achar que o aumento de frutas e legumes e redução de alimentos processados pode ajudar com problemas de acne. No entanto, neste período, suas reservas de vitamina D podem estar diminuindo. As fontes principais de vitamina D de nossa dieta vêm de carne, peixe e laticínios. A vitamina D é essencial para manter ossos, dentes e músculos saudáveis e a deficiência tem sido associada ao câncer, doenças cardíacas, enxaquecas e depressão.

O período quando decide se tornar vegano é importante, porque o corpo pode produzir vitamina D a partir de a luz solar. Comer muitos alimentos fortificados ou tomar um suplemento é importante, especialmente nos meses de inverno.

Se permanecer com uma dieta vegana bem balanceada, pobre em sal e alimentos processados, neste período já é possível ter benefícios para a saúde cardiovascular, ajudando a prevenir doenças cardíacas, derrames e reduzindo o risco de diabetes.

De seis meses a vários anos

Próximo de completar um ano com uma dieta vegana, as reservas de vitamina B12 podem se esgotar. A vitamina B12 é um nutriente essencial para o funcionamento saudável das células sanguíneas e nervosas e só pode ser encontrado em produtos de origem animal. Os sintomas da deficiência de vitamina B12 incluem falta de ar, exaustão, falta de memória e formigamento nas mãos e nos pés.

A vitamina pode ser reposta facilmente com três porções de alimentos fortificados por dia ou tomando um suplemento. Mas administrá-lo é muito importante, pois qualquer deficiência anularia os benefícios de uma dieta vegana para doenças cardíacas e risco de derrame e danificar nervos e cérebro.

É também importante se preocupar com a questão do cálcio. O nosso esqueleto é uma loja de minerais e até aos 30 anos podemos adicionar minerais à nossa dieta. Depois disso, os nossos ossos não absorvem mais minerais e, portanto, obter cálcio suficiente quando somos jovens é vital.

Vegetais ricos em cálcio como couve e brócolis podem proteger os ossos, mas muitos veganos não satisfazem suas necessidades de cálcio. O cálcio à base de plantas também é mais difícil de absorver e, portanto, suplementos ou muitos alimentos fortificados são recomendados.

A professora Sophie Medlin recomenda o equilíbrio ao ter uma dieta vegana, para que seja bem balanceada e com acompanhamento de profissional.