Coisa mais linda!

A médica e aventureira Karina Oliani revela seus lugares preferidos na região de Bonito, no Mato Grosso do Sul

Karina Oliani durante um mergulho nas águas claras do Rio da Prata

Por Karina Oliani
Fotos de Alexandre Socci

Bonito é um daqueles lugares impossíveis de não se apaixonar: nessa área no oeste de Mato Grosso do Sul, encostada no Pantanal, se localizam os mais lindos e variados atrativos de toda a Serra da Bodoquena, um parque nacional do tamanho de Florianópolis. Para a médica, apresentadora e aventureira Karina Oliani, que esteve por lá recentemente, é também um dos melhores picos de mergulho em água doce do planeta – onde “preservação” e “ecossistema” são palavras levadas a sério. A seguir, Karina revela seus cinco lugares preferidos para flutuar e submergir nesse magnífico aquário natural

RIO DA PRATA
Introdução ao paraíso
“Considerado um dos rios mais lindos do mundo, o cristalino Prata é daquelas atrações que por si só já fazem valer para sempre a visita a Bonito”, diz Karina. As fotos desse reservatório natural habitado por inúmeras espécies de plantas e peixes (como piraputangas e piaus) falam por si só. A visibilidade da água é impressionante (veja na foto que abre esta matéria), e você pode explorar as águas de snorkel por quatro horas para admirar tudo isso ou, se for credenciado, curtir um mergulho autônomo de 40 minutos, chegando aos sete metros de profundidade. O lugar é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) localizada a 50 km da cidade de Bonito. Dispõe de um restaurante com cardápio típico perfeito para quando você sair faminto da água. A partir de R$ 220 (flutuação, com guia, equipamentos e almoço); riodaprata.com.br

NASCENTE DO RIO FORMOSO
Fenômeno subaquático

Acima e abaixo, os peixes no Rio Formoso

“O movimento da água que brota do solo levanta a areia e lembra uma erupção submarina”, conta Karina, comparando a nascente do Formoso, o principal rio de Bonito, com um vulcão. Nesse lugar único no mundo, você pode mergulhar para recarregar as energias da forma mais pura que existe: direto da fonte. Ali também há registros fósseis de mamíferos da megafauna da “era do gelo” – é uma sensação quase sobrenatural estar em um espaço que já foi frequentado por mamutes e preguiças gigantes. Também rola descer o Formoso de caiaque ou bote de rafting, passando por duas corredeiras e três cachoeiras. A partir de R$ 100 (duas horas de flutuação); parquerioformoso.com.br

LAGOA MISTERIOSA
Desvendando um segredo

Acima e abaixo, momentos na lagoa Misteriosa


Dentro de uma colina de 75 metros, escondida na mata fechada, a lagoa Misteriosa é avistada primeiramente em um mirante durante a trilha. Entre outubro e abril, a água é azul, com visibilidade praticamente infinita. É um tipo de formação geológica característica de áreas cársticas (que visualmente se assemelham a enormes buracos circulares), que colabora para que a lagoa ultrapassasse os 220 metros de coluna d’água – por isso é considerada “a caverna inundada mais profunda do Brasil”. “Nunca nenhum mergulhador pisou em seu fundo, daí seu nome de Misteriosa”, explica Karina. Em geral, mergulhadores de nível avançado descem até, no máximo, uns 25 metros nesse abismo azul. lagoamisteriosa.eco.br

GRUTA DO MIMOSO
Galeria fantástica

Karina na gruta do Mimoso


O Salão dos Cones, onde “habitam” formações calcárias de quase oito metros de altura, é só um dos atrativos vistos por aqueles que submergem na Gruta do Mimoso, localizada a 35 km de Bonito. “Além do visual incrível, com estalactites e outros espeleotemas raríssimos, a água é super transparente. Não tenho dúvidas de que se trata de um dos sistemas de cavernas submersas mais ricos da Terra”, garante Karina. “Certamente será um mergulho diferente de todos os outros que você já fez.” A descida, no entanto, é autorizada somente para os credenciados em mergulhos técnicos (Intro to Cave Diver ou Full Cave Diver). “Para chegar ao salão dos cones, por exemplo, é necessário um mergulho horizontal de 70 metros pelo interior da caverna, chegando aos 20 metros de profundidade”, diz Karina. agenciaygarape.com.br

ABISMO ANHUMAS
Mergulho com emoção

O rapel inicial do Abismo Anhumas

A aventura no Abismo Anhumas começa com um rapel de 72 metros em uma fenda. Então se chega a uma caverna com formações características e um lago cristalino do tamanho de um campo de futebol, com 80 metros de profundidade. Um mergulho autônomo (com cilindro) atinge os 18 metros, mas é uma atividade viável somente para mergulhadores credenciados. Você está em Bonito, portanto lembre que a visibilidade aquática continua sendo um dos fortes apelos. Entre os atrativos subaquáticos estão os imensos cones de calcário de mais de 15 metros de altura. abismoanhumas.com.br

 

>> Bonito também fora d’água
A beleza de Bonito não se restringe ao mundo submerso: roteiros que mesclam trechos fluviais e terrestres pela região também são opções para contemplar sua fauna e flora. “Na região, você tem a chance de interagir com a natureza em sua forma mais bruta”, afirma Karina.

Karina Oliani com a sucuri enrolada no pescoço

Para fugir dos tradicionais passeios a cavalo ou motorizados, ela optou por uma expedição de seis dias alternando rios e trilhas. “Além da total imersão na paisagem linda e exuberante, retocada por lagos e cachoeiras, queria testar a possibilidade de ver animais selvagens”, explica. Além de encontrar tucanos, araras, antas e até onças-pintadas, Karina e sua equipe – que incluía o fotógrafo de esportes e natureza Alexandre Socci, autor das imagens desta reportagem – tiveram encontros inusitados com sucuris, entre elas uma fêmea de oito metros. “Parece que a sucuri percebeu que nós não éramos uma ameaça e nos deixou nadar por mais de uma hora ao seu lado, na maior tranquilidade”, lembra. Segundo a aventureira, foi mais um exemplo de “beleza de simplicidade” desse pedaço privilegiado do cerrado. agenciaygarape.com.br

COMPARTILHAR