COB confirma os dez atletas do Time Brasil em PyeongChang 2018

País terá representantes em cinco modalidades: snowboard, bobsled, patinação artística, esqui alpino e esqui cross-country

Michel Macedo durante os Jogos Olímpicos da Juventude em Lillehammer, Noruega, em 2016. Foto: Divulgação

Por Redação

O Time Brasil terá dez representantes (nove titulares + um reserva) em cinco modalidades nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, que acontecem de 8 a 25 de fevereiro em PyeongChang, na Coreia do Sul. A delegação brasileira será formada por:

  • Snowboard: Isabel Clark
  • Patinação artística: Isadora Williams
  • Esqui alpino: Michel Macedo
  • Esqui Cross-country: Jaqueline Mourão e Victor Santos
  • Bobsled: Edson Bindilatti, Odirlei Pessoni, Rafael Souza, Edson Martins e Erick Vianna (reserva)

A primeira equipe a chegar à Coreia do Sul será a de bobsled, no dia 1º de fevereiro. O jogos em PyeongChang serão a quarta disputa olímpica de Isabel Clark, nosso nome mais consagrado no snowboard. Outra veterana é Jaqueline Mourão, de esqui cross-country, que vai para a sua sexta Olimpíada (a quarta de inverno) com os novatos Michel Macedo (esqui alpino) e Victor Santos (esqui cross-country). Na patinação artística, Isadora Williams chega a sua segunda edição olímpica, enquanto Edson Bindilatti, piloto do bobsled, vai para sua quarta participação.

Expectativas  

Isadora Williams em treino excepcional em Canoas (RS) – Divulgação

Patinação artística
Atleta: Isadora Williams (21).
As chances: Depois de não ter acertado algumas sequências em Sochi, erro que lhe custou a última colocação, Isadora está mais confiante para PyeongChang. Em setembro, ela conquistou a vaga olímpica com um 5º lugar no Nebelhorn Trophy, um tradicional evento de patinação artística na Alemanha. “Desta vez, competi durante toda a temporada e estou mais madura”, disse a atleta, que mora em Nova Jersey.
Ao vivo: Dias 11, 12 e 23 de fevereiro. No dia 25, rola a clássica apresentação de encerramento.

Bobsled
Atletas:
Edson Bindilatti (38), Odirlei Pessoni (35), Rafael Silva (21), Edson Martins (28) e o reserva Erick Vianna (24).
As chances: Os Blue Birds, como o time brasileiro de bobsled é conhecido, ocupam a 20ª colocação no ranking internacional entre os quartetos masculinos. Na Coreia do Sul, será a quarta participação olímpica deles. O piloto Edson Bindilatti, que compete também em duplas, é o único que está na equipe desde o início, e atualmente é um dos mais experientes e respeitados atletas de bobsled do mundo. Trata-se da modalidade em que podemos mais ter chances de ganhar a primeira medalha em uma Olimpíada de inverno.
Ao vivo: As disputas entre os quartetos de bobsled acontecem nos dias 24 e 25 de fevereiro.

Esqui alpino
Atletas:
Michel Macedo (19)
As chances:
Apesar da pouca idade, Michel é tetracampeão brasileiro de slalom gigante (disciplina do esqui alpino), com muita experiência em eventos internacionais. Em 2017, ele também passou a limpo as melhores marcas brasileiras conquistadas no super combinado e no downhill, e em janeiro tem que somar só mais alguns pontos em eventos na América do Norte para garantir a classificação olímpica.
Ao vivo: O esqui alpino ocupa boa parte da agenda olímpica, com provas decisivas entre os dias 11 e 24 de fevereiro.     

Isabel Clack no Campeonato Brasileiro de Snowboard de 2011 – Divulgação

Snowboard
Atleta:
Isabel Clark (41).
As chances:
Nossa experiente atleta de snowboard cross é 18 vezes campeã brasileira e pentacampeã sul-americana. Em 2017, Isabel conseguiu bons resultados que lhe deram chances de representar o Brasil na Coreia do Sul: em setembro, no Chile, foi ouro na Copa Sul-Americana e, em dezembro, na França, chegou às finais da Copa do Mundo de Val Thorens, terminando em 15º lugar entre 41 atletas do mundo inteiro. É de Isabel também o melhor resultado do Brasil em uma Olimpíada de inverno (9º lugar em Turim 2006). Quem sabe dessa vez ela, que parou nas quartas de final em Sochi, chegue a uma final olímpica.
Ao vivo: As disputas do snowboard cross feminino rolam no dia 16 de fevereiro.

Esqui cross-country
Atleta:
Jaqueline Mourão (42) e Victor Santos (20)

As chances: Victor é um dos melhores atletas do esqui cross-country do país na atualidade, revelado há alguns anos pelo projeto social Ski na Rua, idealizado pelo técnico e atleta Leandro Ribela. Em setembro, no Chile, a esquiadora e mountan biker mineira Jaqueline Mourão sagrou-se campeã brasileira de esqui cross-country.
Ao vivo: As disputas de esqui cross-country começam no dia 10 de fevereiro, com a prova feminina de 7,5 km.

A delegação brasileira utilizará as duas Vilas Olímpicas dos Jogos: Gangneung, na costa, e a vila de PyeongChang, na montanha. Isadora Williams ficará na Vila de Gangneung, na costa, próxima à instalação onde competirá – a Gangneung Ice Arena. Já o restante da delegação ficará alojada na vila de PyeongChang, na montanha, onde serão realizadas as competições de bobsled, esqui alpino e cross country, além do snowboard.

COMPARTILHAR