Caminhos da mata

Ao interligar trechos que antes eram independentes, a Trilha Transcarioca convida os exploradores a verem de perto o verde exuberante que permeia o Rio de Janeiro

VISTA PREMIADA: O Pão-de-açúcar visto do treco 23 da trilha (Foto: Marcello Cavalcanti)

Por Fernanda Beck

No começo de fevereiro, foi inaugurada oficialmente a Transcarioca, a maior trilha do Brasil, com 180 km de extensão. O trajeto forma um “corredor” que corta a cidade do Rio de Janeiro de leste a oeste e passa por diversos pontos de interesse histórico e natural. Projeto pensado inicialmente nos anos 1990 por um diplomata apaixonado pela exuberância da mata carioca, a trilha já tinha trechos abertos ao público, mas ganhou ao longo do ano passado a sinalização oficial que a unifica, com pegadas de botas pintadas em rochas ou árvores, e esquema de cores diferenciado de acordo com o sentido seguido: oeste-leste (Guaratiba – Morro da Urca) e leste-oeste (Morro da Urca – Guaratiba). A oficialização do trajeto completo saiu do papel graças ao esforço conjunto de governo, voluntários, gestores e instituições que patrocinaram a empreitada.

TRILHA URBANA: Um panorama da trilha Transcarioca que atravessa a cidade do Rio de Janeiro

Diferentemente de outras trilhas de longa distância famosas no mundo, como a Pacific Crest e a Appalachian, nos EUA, ou a Te Araroa, na Nova Zelândia, a Transcarioca não permite pernoite. Ou seja, mesmo que você queira fazê-la “direto”, é necessário sair do percurso para dormir e voltar a ele no dia seguinte. Há várias saídas para o asfalto em diferentes pontos do trajeto, e a maioria dos trechos costuma durar poucas horas. O caminho possui pedaços de diferentes níveis de dificuldade, desde caminhadas fáceis até curtas “escalaminhadas” (quando temos que usar pés e mãos para transpor obstáculos) em determinados momentos – mas nada muito técnico ou que exija muito da coragem dos trilheiros.

Conheça alguns dos atributos da Transcarioca e considere o Rio na hora de agendar um desafio de longa distância: há uma abundante floresta a ser descoberta e curtida bem na nossa casa.

RETRATO: Outro ponto da trilha com vista incrível, o mirante Sacopã, de onde é fácil avistar o Parque da Catacumba (Foto: Rafael Duarte)

 

180 km

A extensão total da Transcarioca pode ser percorrida de acordo com o gosto do freguês. Vale tudo: fazer os trechos em ordem, em um sentido só ou em sentidos opostos, de uma só vez ou por partes.

25 trechos

Eles possuem dificuldades, atrações e durações variadas, com alguns totalmente inseridos no contexto urbano do Rio. Para ir do Portão da Floresta à Mesa do Imperador, por exemplo, o visitante caminha por um trecho considerado difícil por cerca de três horas. Já o pedaço seguinte, que liga a Mesa do Imperador à Vista Chinesa, tem apenas 1,6 km de extensão, leva cerca de 40 minutos e é considerado fácil.

1 a 7 horas

São essas as durações estimadas dos trechos, dependendo do condicionamento físico e do número de pessoas no grupo.

12:00

É o horário limite recomendado para iniciar qualquer trecho, para diminuir a possibilidade de ter que andar no escuro – alguns pedaços em matas densas sofrem com a escuridão antes mesmo do pôr do sol. A trilha possui saídas para o asfalto a intervalos regulares, e
a maioria dos trechos leva poucas horas.

1.024 m

É a altura no Pico da Pedra Branca, o mais alto da cidade, que fica no trecho Rio da Prata – Casa Amarela. A trilha também passa pelos picos do Papagaio (987 metros), da Tijuca (1.021 metros) e da Cocanha (982 metros).

1.000

Voluntários já contribuíram para a sua implantação ou “adotaram” trechos específicos da Transcarioca.

12 dias

É o tempo estimado para completar a trilha inteira “de uma vez” (parando para dormir fora do percurso).

6 unidades de conservação

A trilha passa pelo Parque Natural Municipal de Grumari, o Parque Estadual da Pedra Branca, o Parque Nacional da Tijuca, o Parque Natural Municipal da Catacumba e o Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca.

833 espécies vegetais

Possui a Transcarioca, sendo 676 típicas de mata atlântica, 133 de lagoas e 24 de mangues. Entre os espécimes nativos da mata atlântica, são destaque a quaresma, a aleluia, o ipê-roxo e o ipê-amarelo, a paineira, o jequitibá, a embaúba e o pau-Brasil. A trilha é repleta de bromélias.

FAUNA ABUNDANTE: Um quati na trilha (Foto: Marcello Cavalcanti)

53 espécies de anfíbios, 32 de répteis

Jiboias, rãs e lagartos são os mais comuns.  As cobras são os animais que mais assustam os visitantes, mas a maioria das serpentes locais não é peçonhenta.

107 espécies de mamíferos

É frequente avistar três tipos de macacos pela trilha: o macaco-prego, nativo da mata atlântica, o sagui-estrela e o bugio. Além disso, é possível encontrar na floresta cotias, preguiças, gambás e esquilos-caxinguelê. Outros mamíferos existentes no trajeto, mas cuja observação é um pouco mais rara, são o cachorro-do-mato, o guaxinim, o tatu e o tamanduá-mirim.

481 espécies de pássaros

Entre eles, o joão-de-barro, o bem-te-vi, o pica-pau, o saíra-sete-cores e os tucanos, além de beija-flores, gaviões, falcões, pardais e corujas. Papagaios, maritacas e periquitos também marcam presença.

3 pessoas

É o mínimo indicado pelo site Wikiparques para percorrer a trilha em segurança. As indicações de tempo estimado da trilha levam em conta grupos de quatro pessoas.

 

Bem na trilha
Apesar de não ser exigente e receber turistas de todos os tipos, a Transcarioca oferece perigos. Veja dicas para garantir a segurança do seu passeio e cooperar com a preservação ambiental.

> Leve um casaco e uma lanterna. A variação de temperatura dentro da trilha pode ser brusca.

> Se você se perder, fique no mesmo lugar, especialmente à noite. Isso facilita o trabalho de equipes de resgate.

> Lembre-se de que mesmo restos de frutas têm forte impacto negativo sobre o conjunto ecológico, podendo causar o desequilíbrio na fauna e na flora locais. Não deixe nenhum tipo de lixo na trilha (nem mesmo orgânico).

> Como em qualquer trilha, é prudente avisar alguém sobre o trajeto pretendido para o dia.

> Não é permitido o acesso com carros nem percorrer a trilha de bicicleta.

 

trilhatranscarioca.com.br

(mapas disponíveis para download em transcarioca.wikiparques.org)

SHARE