Seu cachorro, só que mais forte (e rápido)

Como criar um companheiro de aventuras para aguentar seu ritmo, quilômetro após quilômetro, em treinos de endurance

BONS COMPANHEIROS: Quase todo cachorro curte correr, ms para treinar com ele é preciso tomar algumas precauções (Fotos: Shutterstock)

Por Kyle Boelte

Em determinada cena de Happy People, documentário de 2010 do alemão Werner Herzog que trata da vida na Sibéria, o caçador Nikolay volta a sua vila, Bakhtia. Chega em uma moto de neve, após passar vários meses longe de casa, na friaca. “A jornada é de 150 km por um rio congelado”, narra Herzog. “E preste atenção ao cachorro de Nikolay, que nunca viaja com ele em cima da moto. O cão percorre toda a distância correndo atrás do veículo.”

O cachorro de Nikolay corre dia e noite, no gelo e na neve fofa na altura dos joelhos. A cena faz qualquer atleta apaixonado por cães se questionar: será que Herzog encontrou uma versão canina de um atleta olímpico? Ou esse tipo de esforço de endurance é possível para a maioria dos cães domésticos? Em caso afirmativo, como eu faço para meu cachorro correr assim?

Dois anos atrás, quando adotei meu cachorro, o Tucker, eu estava empolgado para levá-lo para me acompanhar na corrida e mountain bike. Mas acontece que nem todo cachorro se comporta como o de Nikolay. Tucker, por exemplo, preferia correr por aí e latir para qualquer coisa que se movesse, em vez de correr obedientemente ao meu lado. Treinar um cachorro novo para te acompanhar o dia todo exige paciência, atenção e comprometimento. A maioria dos cães tem uma habilidade inata para exercícios de resistência e, se você lhe der o treinamento certo, terá anos e anos de aventuras com seu melhor amigo.

Veja a seguir tudo que você precisa saber a respeito para deixar seu cão em forma e cheio de gás para curtir o outdoor do seu lado.

> Qual é a Melhor Raça para Endurance?
Eis uma boa pergunta. De acordo com John Andersen, veterinário e ultramaratonista da Virgínia (EUA), que escreve frequentemente sobre treinamento de animais, a resposta está em um dos ancestrais dos cães. “Observando o lobo cinzento podemos aprender a respeito das capacidades e dos instintos inatos de nossos próprios cachorros”, diz.
Lobos são corredores incríveis de longas distâncias, viajando regularmente de 50 a 80 km por dia. “Quando observamos a dieta deles, rica em proteínas e gorduras e baixa em carboidratos, notamos que estes são os melhores corredores de longa distância adaptados a uma alimentação rica em gorduras”, explica John. Eles também possuem corpos relativamente leves, com o peso distribuído uniformemente sobre quatro patas, o que significa que conseguem suportar o impacto das longas distâncias.

Algumas raças de cães foram desenvolvidas de uma maneira que os torna péssimos companheiros de corrida. John recomenda que se evitem os cachorros de “focinho curto”, como buldogues, pugs e Boston terriers: eles têm dificuldade para respirar e transpirar e, devido ao tamanho, também de acompanhar as pernas humanas. Mas um cachorro grande tampouco será bom corredor. “Algumas das raças gigantes, como São Bernardo, mastiff e dog alemão, sofrem muito com problemas ortopédicos”, explica.

Bons candidatos são os de tamanho médio (de 15 a 30 kg) e pelo curto. Heather Simon-Buonocore, veterinária e ultramaratonista de Nova Jersey (EUA), recomenda cachorros dos grupos de “raças esportivas, pastores e trabalhadores, como weimaraner, labrador retriever, pastor australiano, border colli. Husky siberianos, apenas se você não morar em lugares de clima quente.” Mas não deixe que essa lista limite sua escolha: um vira-latas adotado pode se transformar em um excelente corredor.

A última das qualidades a se buscar é meio abstrata: o cachorro deve adorar correr. “A maioria dos cachorros ama correr”, diz John. “Com treinamento apropriado, seu cão pode ser um ótimo parceiro. Ainda assim, alguns cachorros são terríveis corredores, em termos de comportamento. Ficam entediados ou muito reativos, avançando em carros e em outros cachorros. Ou simplesmente são ruins de coleira. Por isso ter um bom temperamento para a corrida é importante.”

> Quando Posso Começar a Correr com Meu Filhote?
Quando adotei o Tucker, eu estava empolgado para ter um novo parceiro de corrida. Porém várias pessoas me disseram que eu deveria esperar até ele completar pelo menos um ano, antes de começar a fazê-lo correr comigo.

“Este é um mito comum”, conta John. “Vejo as pessoas não correrem com o cachorro novinho porque alguém recomendou. Em vez disso, vão brincar de jogar a bolinha, que é muito mais impactante e potencialmente danoso para as articulações do filhote.”

No lugar de jogos de alta intensidade com uma bola, ele recomenda caminhadas, passeios e, após alguns meses, corridas fáceis, de menos de 1,5 km. “Por volta dos quatro meses, os filhotes de lobo começam a sair com a matilha, em viagens curtas de caçada. Eles também brincam muito, correm uns atrás dos outros e exploram os arredores com os adultos e com o resto da ninhada. Aos seis meses, os filhotes já viajam com os adultos em caçadas a muitos quilômetros de distância da toca.”

BEBÊ A BORDO: Brincar de jogar a bolinha é muito mais impactante e potencialmente danoso para as articulações do filhote do que correr

> Que Distância e Quanto Tempo Podem Correr?
A distância que seu cachorro pode correr depende de suas habilidades inatas e do preparo físico. “Você precisa aprender a escutar o cão”, recomenda John. “Se ele fica puxando a coleira e tem energia constante durante toda a corrida, você sabe que não passou do limite.” Entretanto se ele começar a ficar para trás, desanimar e respirar de forma ofegante provavelmente você exagerou.”

Nas primeiras saídas, faça caminhadas fáceis e veja como seu cachorro se sai. Use essas caminhadas como base ao planejar a distância que ele correrá te acompanhando. E garanta tempo suficiente de recuperação para ele. “Você não deve simplesmente começar a correr com seu cachorro cinco dias por semana, mesmo que ele fique eufórico quando você pega os tênis de corrida. Os cães precisam de tempo de adaptação, assim como nós.”

Aumente a quilometragem exatamente como faria consigo mesmo: aos poucos. Heather recomenda começar de leve com o cachorro jovem (por volta de 1,5 km) e aumentar a quilometragem semanal em 10% ou 15%. “Isso pode significar correr um dia a mais na semana ou aumentar a distância em algum treino específico.”

> E as Corridas Longas?
Uma vez que seu cachorro não seja mais um filhote e se encontre em boa forma, pode ser que ele consiga te acompanhar em qualquer distância ou velocidade. Mas nem todos os cães são como o do Nikolay. E há fatos importantes a se ter em mente se você estiver levando seu companheiro no longão do final de semana.

“Tudo é uma questão de treino, temperatura externa e da habilidade individual do cão para se adaptar”, diz John. “Um dos meus colegas de corrida tem um cachorro que normalmente corre entre 25 a 30 km com ele e adora.”

Mas veja bem: se você for um ultramaratonista rápido saindo para uma corrida ritmada longa, provavelmente é melhor deixar seu cachorro em casa. “Nas corridas longas, você tem que dar tempo para o cachorro dar umas paradas, tomar água e correr em um ritmo mais fácil se cansar”, recomenda John. Se você não puder ou quiser fazer isso durante o treino, não faça seu cachorro sofrer.

> Devo Usar Coleira?
Os cachorros são muito mais felizes quando correm soltos nas trilhas, quando podem farejar o mato e correr sem compromisso. Se você mora em uma área onde pode explorar uma trilha com seu cachorro livre de uma guia, será a melhor opção para vocês dois — desde que o cão saiba se comportar quando encontrar outras pessoas.

“Infelizmente muitos cachorros não são bons sem uma coleira”, diz John. Se você precisar usar uma, ele recomenda aquelas do tipo que dá para prende na cintura. “Já é bem difícil cuidar sozinho da postura correta de corrida. Se, ainda por cima, tiver um cachorro te puxando e parando toda hora, você provavelmente vai correr com a postura errada. Quando a guia da coleira passa pela cintura, dá para correr com as mãos livres e com mais equilíbrio.”

Se você vive em uma cidade longe de trilhas, “apenas respeite que correr de coleira não é natural para os cachorros e leva tempo para ele se acostumar”, explica John. Por isso treinar correr de coleira é importantíssimo.

> Quais Devem Ser Meus Cuidados com a Saúde?
“Em primeiro lugar, fique sempre atento a um possível superaquecimento”, diz John. “Você pode treinar o preparo físico, mas não pode treinar seu cachorro para se sentir bem quando está fazendo 30ºC lá fora.”

Uma boa dica: acima de 21ºC, escolha com cuidado o local da corrida (uma floresta sombreada muitas vezes é melhor que um campo aberto) e à distância. Acima dos 27ºC, você não deve correr com o cachorro, a não ser que esteja ao longo de um córrego, onde ele possa entrar na água quando quiser para se refrescar. “Os lobos em parques como o de Yellowstone não saem para caminhar quando está fazendo mais de 32ºC”, conta John. “Eles ficam descansando na sombra das árvores.”

Se seu cachorro está ficando para trás, parando frequentemente para deitar ou superofegante, pare imediatamente. Se o cachorro sentir muita dor ou se mancar por mais de um dia, leve-o ao veterinário. Segundo Heather, “algumas das lesões mais comuns nos cachorros que correm são lacerações ou abrasão nas patas e ruptura do ligamento cruzado do joelho”.

Chegará um dia em que seu cachorro vai diminuir a velocidade por causa da idade. É natural, e não quer dizer que não poderão mais ser ativos, significa apenas que precisam de mais descanso. “A chave, nesse caso, é encontrar um bom equilíbrio entre descanso e menos quilometragem, sem nunca parar de exercitá-lo”, diz John. “E, uma vez mais, a resposta aqui são as caminhadas.”

> Meu Cachorro Precisa de Suplementos?
Durante os treinos longos, você deve sempre disponibilizar água para seu cachorro, assim como faz para si mesmo. Tenha sempre em mente que cães podem ter giardia e leptospirose, então caso esteja correndo em uma área com suspeita de contaminação, ofereça água tratada. Você pode carregar uma tigela leve portátil.

“Não ofereça muita comida ao seu cachorro logo antes de sair para uma corrida cansativa”, alerta Heather. “Isso pode predispor as raças maiores, de tórax mais profundo, a desenvolver um problema chamado síndrome da dilatação vólvulo-gástrica, na qual o estômago se torce e começa a encher com ar, uma condição que chega a matar em casos sérios. Uma opção mais sensata seria dar um lanchinho leve uma hora antes do exercício ou uma refeição depois do exercício.”

Cães, assim como humanos, não precisam se alimentar durante uma corrida que tenha menos de 90 minutos, mas, ao final do dia, ofereça uma quantidade de alimento compatível com seu nível de atividade. E não lhe dê porcaria em casa – opte por comida de verdade, rica em nutrientes, em vez de comida barata. John recomenda uma ração com carne como ingrediente principal, que tem altos teores de gorduras e proteínas, e menos carboidratos (mais parecida com a dieta dos lobbos).

SHARE