Por um Mundo Selvagem

Pergunta da semana: Por que as vacas têm quatro tetas se elas raramente dão cria a dois filhos, quanto mais quatro?


(Ilustração: Bruno Szulczewski)

Por Yuri Vasconcelos

Por que as vacas têm quatro tetas se elas raramente dão cria a dois filhos, quanto mais quatro?

É tudo uma questão de evolução da espécie. Os cientistas acreditam que há milhões de anos os ancestrais dos bovinos tinham ninhadas numerosas e não apenas com um ou dois bezerros, como as vacas de hoje. Com o passar do tempo, esses mamíferos – bem como outras espécies animais – evoluíram e passaram a ter proles mais reduzidas. Registros fósseis mostram que no passado remoto vacas e porcos dividiram um ancestral em comum, que tinha mais o jeitão de um porco do que de uma vaca. Essa criatura, a exemplo dos suínos modernos, dava ninhadas com 12 a 24 bebês e, por isso, ela precisava de muitas tetas para alimentá-los adequadamente. O tempo passou e, aparentemente, as vacas retiveram esses bicos extras que, no final das contas, lhe trazem certas vantagens. Com mais de uma teta, ela garante o fornecimento de alimento para o bezerro mesmo que uma delas fique inflamada. Um fato curioso é que por volta de 50% dos bezerros nascem com mais de quatro tetas. A vaca leiteira Asa Branca, por exemplo, tem dois mamilos extras e virou atração na pequena Juatuba, cidade localizada a 60 quilômetros de Belo Horizonte.