MTB endurance

4 dicas para se dar bem numa prova longa de mountain bike


VAMBORA: Breno pronto para inaugurar mais uma volta (Fotos: NGfotos e Mariana Sisconeto)

Já pensou em correr uma prova endurance de MTB? O ciclista Breno Bizinoto, que recentemente mandou bem na Brasil Ride 24 Horas, dá as dicas

No começo deste ano, rolou em Botucatu (SP) a Brasil Ride 24 Horas, prova que integra a família de competições da ilustre Brasil Ride, e que também veio para ficar.

Nesta esta edição, compareceram aproximadamente 500 competidores, divididos em duas categorias (solo e revezamento).

A largada foi ao meio dia, no estilo da tradicional corrida automobilística de Le Mans, que é disputada na França: os atletas correm (a pé) em direção aos seus veículos, nesse caso a bicicleta, e só então começam a pedalar no circuito de 11,6 quilômetros (com 313 metros de ascensão). Na categoria solo, os competidores pedalaram até o meio dia do dia seguinte, fazendo paradas para reabastecimento nas tendas de apoio.

Nesse tipo de prova, ganha quem completar o maior número de voltas. Na categoria revezamento, as equipes (entre quatro e seis integrantes) traçam a melhor estratégia para otimizar o tempo a cada volta.

Segundo o mountain biker Breno Bizinoto, experiente competidor em provas de mountain bike de longa distância, o nível técnico dos atletas brasileiros não deixou a desejar. Ficou nítido, no entanto, que preparação e estratégia corretas para competições endurance de mountain bike são fundamentais e, por isso, Breno, que foi o 5º colocado na categoria solo (completando uma distância de 266,8 km), a seguir dá dicas que irão fazer a diferença em sua próxima prova de longa distância.

>> Faça as contas: Quando falamos de distâncias grandes, que beiram ou passam dos 300 km, os cuidados para a prova vão além daqueles que estamos acostumados a ver em competições com menos de 10 horas de duração. Alimentação e hidratação, por exemplo, são essenciais durante o tempo todo, e devem ser pensadas com antecedência para não faltarem durante a prova.

>> Revise tudo: Todo o equipamento, principalmente a bicicleta, deve estar revisado e pronto para aguentar qualquer condição e os quilômetros a serem rodados. Não se esqueça da iluminação para o período noturno, pois o percurso não costuma ter postes de luz. No caso da Brasil Ride 24 Horas, ainda haverá sempre trilhas fechadas. São singletracks que passam pela aprovação do ciclista e organizador Mario Roma, classificados como ‘muito técnicos’ mesmo pelos atletas mais experientes. Pense que isso só aumentará os desafios durante as longas horas em cima da magrela, e por isso é fundamental estar com o tudo em perfeito funcionamento.



>> Seja otimista:
É importante lembrar sempre que qualquer pequeno desconforto se transformará num verdadeiro ‘monstro’ ao longo de tantas horas de pedal. Por outro lado, um pequeno erro não é tão relevante em meio a centenas de quilômetros rodados. Portanto, não desanime se algo der errado logo de cara porque quase tudo pode ser corrigido ao longo da competição. Quando comparada às provas curtas, que não deixam espaço para eventuais tombos ou azares, as provas de 24 horas têm essa vantagem.



>> Leve na esportiva e divirta-se:
Na Brasil Ride 24 horas, enquanto a pista de 11,6 km ficou agitada durante um dia inteiro com, 67 atletas competindo na categoria solo e outros 186 nas categorias de revezamento, fora da pista a animação era garantida com as equipes de apoio, mecânicos, familiares e apoiadores. Sem contar as bandas de rock que se apresentaram e deram o tom do evento.

Animou-se? Então anote na agenda e comece a treinar, porque em 2016 a segunda edição da Brasil Ride 24 Horas acontece dia 05 de março. Clique AQUI para saber mais e garantir a sua inscrição.