Na contramão da onda

Aprenda a deslizar em cima de um sonrisal


VÔO LIVRE: Bzinho decola com seu sonrisal

Por Mario Mele
Foto por Daniel Ferrentini

Saber nadar é fundamental

Não há limite de idade para praticar o skimboard – prancha que desliza, em inglês, conhecido como sonrisal aqui no Brasil. Mas só se inicie se souber nadar. Apesar de ser um esporte à beira-mar, em praias de tombo bastam alguns passos para dentro d’água para não dar mais pé.

Equipamento é importante

As pranchas redondas funcionam em praias planas e águas calmas. Para as ondas, o ideal são os modelos hidrodinâmicos, parecidos com pranchas surf, só que menores. Às crianças são indicadas pranchas de 1 metro de comprimento. Já as maiores (1,45 metro) são para adultos com até 100 quilos.

Prepare a prancha

Assim como nas pranchas de surf, no sonrisal também se cola deck antiderrapante. E na área restante não economize na parafina. A boa aderência dos pés é um fator indispensável para quem está decidido a evoluir.

Comece na areia

Antes de se lançar às ondas, treine na areia dura e seca. Deixe a prancha no chão e dê cinco passos para trás. Corra e aterrisse sobre a prancha com os dois pés ao mesmo tempo, flexionando as pernas e abrindo os braços para aumentar o equilíbrio. Inclinar o corpo levemente para frente evita uma queda de costas.

Solte o corpo

Não há equipamento de proteção nesse esporte, mas as chances de se machucar existem. Uma das causas mais comuns de “rolas” é a prancha travar, por falta de água para deslizar, arremessando a pessoa para frente. Se isso acontecer, proteja o rosto do impacto e não lute contra a inércia.

Entenda as ondas

Da beira d’água, observe o vai-e-vem das ondas quebrando na areia. No intervalo delas, solte a prancha na fina camada de água que fica na areia, colocando em prática o treino feito na parte seca. No começo não se preocupe em ser veloz e opte por praias pouco inclinadas. Dois picos de alta performance no Brasil são a praia do Forte de São João, no Rio de Janeiro, e a praia da Sununga, em Ubatuba (SP), nas quais quebram extensas ondas laterais próximas à beira.


Sincronia é a alma do negócio

O One step (um passo) é um recurso muito usado por skimboarders profissionais. Significa correr com a prancha na mão até chegar bem próximo à onda. Antes que ela se feche, jogue a prancha um passo a frente e imediatamente se lance sobre o equipamento. Até conseguir acertar o tempo entre jogar e subir na prancha sem perder a onda, demora um pouco. Mas só assim é possível alcançar as melhores ondas, quando elas ainda estão se formando. E lembre-se: o banhista sempre tem preferência, por isso escolha lugares e horários menos movimentados.

Nosso consultor nesta matéria foi Bernardo Picorelli, o Bzinho, bicampeão brasileiro de skimboard. Ele é patrocinado pela cantina Spoleto e pela marca Redley.

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de junho de 2008)