Aquecimento central

Aproveite para curtir férias em terras tropicais na América Central


PREGUIÇA: Até os coqueiros relaxam na praia de Carrillo, na Costa Rica
(Foto: Corbis)

Por Bonnie Tsui

Fique ilhado no Panamá

Ilhas particulares não são nem baratas nem fáceis de achar. A exceção a essa regra é a ilha Boca Brava, uma pedaço de terra de 20 km2 na costa do Panamá, no lado do Pacífico. Situada nos limites do luxuriante e tropical Parque Nacional Marinho do Golfo de Chiriqui, essa ilha isolada é o lar de um novo eco-resort movido a energia solar, o Cala Mia (quartos para dois a partir de US$ 220; boutiquehotelcalamia.com). Logo na chegada (de aviãozinho da Cidade do Panamá até a cidade de David e daí de barco até o hotel), acomode-se em um dos 11 bangalôs de frente para o mar. Em seguida, passe seus dias mergulhando com máscara e snorkel ou andando de caiaque pela costa próxima (areia sem fim, águas claras e muitos peixes de coral). Ou então faça mergulho de um barco nas montanhas submersas de Los Ladrones, onde baleias-corcundas e arraias podem ser encontradas. No final do dia, experimente o queijo orgânico, feito com ingredientes da fazenda do próprio resort.

Dê uma dropada em Oaxaca

Embora não seja mais segredo, Puerto Escondido, localizado na costa do Pacífico de Oaxaca, ainda oferece o que você precisa em uma viagem ao México: relaxamento e solidão (ainda hoje há apenas um voo diário saindo da Cidade do México). Escondido é mais conhecido pelos surfistas devido ao Mexpipe, um break de triturar ossos na Playa Zicatela, logo ao lado da área central. Para os meros mortais, há a Playa Principal, boa para bodysurfing, ao norte, sem falar de um número sem fim de lagoas para nadar e mergulhar com snorkel. Quando estive lá no outono passado, os moradores locais me indicaram seu esconderijo favorito, a Playa Carrizalillo, uma praia cercada de palmeiras que é ótima para nadar e para surfar tranquilamente de longboard (aluguel de pranchas, US$ 3,50 por hora; aulas, US$ 20 por duas horas; ambos disponíveis na praia – procure o Ramón). Fique na Villas Carrizalillo (quartos para dois a partir de US$ 150; villascarrizalillo.com), situado nas falésias acima da praia

Costa Rica para amantes de aves

Um fato pouco conhecido sobre a Costa Rica é que o país – conhecido por ser basicamente um grande eco-resort – sofre com uma das maiores taxas de desmatamento na América Central devido à pecuária e ao corte de madeira. Para promover a conservação através do turismo, o Rainforest Biodiversity Group recentemente inaugurou ali a primeira rota de observação de aves da América Central. Modelada a partir de trilhas similares nos Estados Unidos, a Rota Aviária da Costa Rica compreende 5.000 acres em 13 localidades remotas com 520 espécies de aves. Descole um mapa e um guia de campo (US$ 13; costa­rican­bird­route.com) e, assim que chegar ao aeroporto de San José, alugue um 4×4 (cerca de US$ 50 por dia) e siga para a floresta tropical para uma semana de caminhadas diurnas. Comece no Centro de Floresta Tropical Tirimbina Rainforest Center (a cerca de uma hora e meia a nordeste de San José) e siga para o extremo norte das trilhas, perto de Boca San Carlos, lar da ameaçada arara-verde-grande. Seu ponto de partida: o Maquenque Eco-Lodge (quartos para dois, US$ 105; maquenqueecolodge.com), próxima à recém-criada reserva de vida selvagem com o mesmo nome.


(Foto: Corbis)

Surf em El Salvador

Surfistas têm um talento especial para descobrir locais para aventuras, e El Salvador é um ótimo lugar para procurá-las: ao longo da costa La Libertad, a apenas 35 minutos da capital, San Salvador, hoteizinhos estão surgindo para atender aos caçadores de ondas estrangeiros que estão migrando para lá. Outro ponto positivo: “surfer chic”, em El Salvador, quer dizer surf barato. Com vista para dois dos melhores breaks da região – El Sunzal e La Bocana – há o Tekuani Kal, uma casa de hospedagem de seis cômodos com influência da cultura dos nativos nahuas com pórticos com teto de palha (quartos para dois a partir de US$ 84; tekuanikal.com). As aldeias ao longo da costa ainda têm aquele tom rústico – eu fui lá ano passado e fiquei impressionada com a amigável mistura entre os locais e os surfistas de todo o mundo – mas não vai demorar para que estabelecimentos mais sofisticados apareçam por lá. Por enquanto, é bom obter informações internas. Contate a Cadejo Adventures em San Salvador, que aluga barcos e oferece viagens de um dia com guia tanto para iniciantes como para veteranos (a partir de US$ 85 por pessoa; cadejoadventures.com). Quando já tiver surfado o suficiente, você pode tentar a experiência única de mergulhar no interior de uma cratera vulcânica inativa no lago Ilopango, explorando cavernas e paredões de rocha verticais que descem por 200 metros (US$ 90).

Agite na Nicarágua

Os agentes de viagem gostam de pintar a Nicarágua como se fosse a próxima Costa Rica. E realmente os dois países são muito parecidos, com uma paisagem salpicada de vulcões cheia de florestas de altitude e lagos transparentes. Infelizmente, a novidade já se espalhou e empreendimentos com a cara de Las Vegas estão surgindo na costa do Pacífico do país. Mas, no interior, ainda dá para encontrar aventuras sem entraves. E um café muito gostoso. Faça uma peregrinação até o Finca Esperanza Verde, um eco-lodge e fazenda de café orgânico perto de Matagalpa, o centro da região cafeicultora do país (pacote de duas noites, US$ 186; fincaesperanzaverde.org). Os donos do Finca foram os pioneiros na produção responsável de café e no uso da energia solar na região. Faça hiking na trilha Roxa, que leva ao ponto mais alto da fazenda de 265 acres, uma vista a 1.220 metros de altitude para a cordilheira Dariense. Depois, relaxe na trilha Azul, uma rota circular que passa por florestas repletas de bichos-preguiças até uma piscina natural aos pés de uma cachoeira. É um pouco frio, mas sempre dá para se esquentar com um pouco de café orgânico no hotel.

Reme em Belize

Pode ser fácil se virar em Belize, onde todo mundo fala inglês e aceita dólares. Mas a melhor parte pode ser mais difícil de achar do que você pensa e, às vezes, vale a pena pedir a ajuda dos experts. Um exemplo é a nova viagem Maya Reef Explorer, da Island Expeditions, que vai te levar à luxuriante e remota Reserva Marinha de Coral de Glover, um Patrimônio da Humanidade, 110 quilômetros a sudeste da capital Belize. Saindo de um acampamento-base ao estilo de safári trip, os hóspedes podem fazer caiaque oceânico na lagoa de 212 km2, indo de recife em recife (há mais de 700 deles!) e fuçando nos leques submarinos e corais nas águas rasas. Após alguns dias de visuais maravilhosos, é hora de partir para as ruínas maias de Lamanai e Altun Ha, onde você pode bancar o explorador nas antigas cidades antes de capotar no eco-lodge perto da Reserva Animal de Crooked Tree (viagem de cinco dias, US$ 1.199; islandexpeditions.com).

Festa no barco

No reality show norte-americano “The Cougar” (na tradução literal, “A Puma”; se fosse trazido para o Brasil provavelmente se chamaria “A Loba”), 20 homens jovens tentam conquistar uma quarentona bonita e bem resolvida. Por meio de desafios semanais, os participantes são eliminados até restar um. O programa tem feito tanto sucesso nos EUA que inspirou até um roteiro de viagem: o Cougar Cruise. De 16 a 23 de maio, a Singles Travel Company realiza a segunda edição do roteiro, para cerca de 200 jovens rapazes e mulheres mais velhas em um passeio saindo de San Diego, na Califórnia, para Ensenada, no México (a partir de $160; singlestravelcompany.com). O navio tem 855 pés, por isso voltar para a própria cabine ao raiar do dia dará um bom exercício.

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de fevereiro de 2010)